Os sonetos na obra de Glauco Mattoso

Winnie Wouters Fernandes Monteiro

Resumo


Pretendemos observar o desenvolvimento dos sonetos na obra de Glauco Mattoso, como não apenas uma forma mnemônica que lhe contribui a produzir em sua segunda fase – cega – mas também como parte do projeto poético, presente desde os primeiros escritos. Para isso, trazemos como corpus de investigação seis poemas metalinguísticos, nos quais o poeta esboça relação com a tradição, repensando e recriando a forma clássica, não almejando negá-la ou substituí-la, característica que o coloca junto aos poetas neobarrocos contemporâneos.


Palavras-chave


Glauco Mattoso; Soneto; Estética Neobarroca; Metalinguagem

Texto completo:

PDF

Referências


ADOLFO, A. Composição: uma discussão sobre o processo criativo brasileiro. Rio de Janeiro: Lumiar, 1997.

AYALA, W. (Org.) Gregório de Matos: Antologia poética. São Paulo: Ediouro, 1991. p.46.

BARTHES, R. O prazer do texto. Tradução: J. Guinsburg. São Paulo: Perspectiva, 1987.

BENJAMIN, W. Charles Baudelaire: um lírico no auge do capitalismo. Tradução: José Martins Barbosa; Hemerson Alves Baptista. São Paulo: Brasiliense, 1989.

CALABRESI, O. La era neobarroca. Tradução. Ana Giordano. 3. ed. Madrid: Catedra, 1999.

CALIXTO, F. Para Glauco, os temas tratados. O poeta: Algumas opiniões sobre a poesia de Glauco Mattoso. Disponível em: http://glaucomattoso.sites.uol.com.br/opoeta.htm. Acesso em: 05 set. 11.

CANDIDO, A. O tempo do contra. In: CANDIDO, A. Textos de intervenção. São Paulo: Duas Cidades, 2002. p. 369-379.

CHIAMPI, I. La literatura neobarroca ante la crisis de lo moderno. Criterios. Revista de teoría de la literatura y las artes, estética y culturología. La Habana, n. 32, p. 171-183, 1994.

DANIEL, C. A escritura como tatuagem. In: DANIEL, C. (Org) Jardim de camaleões. São Paulo: Iluminuras, 2004. p. 17-21.

MATOS, G. Neste mundo é mais rico o que mais rapa. In: AYALA, W. (Org.) Gregório de Matos: Antologia poética. São Paulo: Ediouro, 1991. p. 46.

MATTOSO, G. Precípuo. In: FALCÃO. et. al. Melopéia sonetos musicados. São Paulo Rotten Records, 2001. 1 CD (68min). Faixa 16 (3 min 22 s).

MATTOSO, G. 7 Chave de ouro. In: Sonetos de 0 à 100. 1999. Disponível em: http://sonetodos.sites.uol.com.br/ATE0100.htm. Acesso em: 04 jul. 2011.

MATTOSO, G. 9 Censurado. In: Sonetos de 0 à 100. 1999. Disponível em: http://sonetodos.sites.uol.com.br/ATE0100.htm. Acesso em: 04 jul. 2011.

MATTOSO, G. 39 Concreto. In: Sonetos de 0 à 100. 1999. Disponível em: http://sonetodos.sites.uol.com.br/ATE0100.htm. Acesso em 04 jul. 2011.

MATTOSO, G. 43 Vanguardista. In: Sonetos de 0 à 100. 1999. Disponível em: http://sonetodos.sites.uol.com.br/ATE0100.htm. Acesso em 04 jul.2011.

MATTOSO, G. Precípuo. In: Sonetos de 401 à 500. 2000. Disponível em: http://sonetodos.sites.uol.com.br/ATE0500.htm. Acesso em: 04 jul. 2011.

MATTOSO, G. 746 Da rima rara. In: Sonetos de 401 à 500. 2000. Disponível em: http://sonetodos.sites.uol.com.br/ATE0800.htm. Acesso em: 04 jul. 2011.

MATTOSO, G. Sonetos de 0 à 100. 1999. Disponível em: http://sonetodos.sites.uol.com.br/ATE0100.htm. Acesso em 04 jul. 2011.

MATTOSO, G. In: Sonetos de 401 à 500. 2000. Disponível em: http://sonetodos.sites.uol.com.br/ATE0500.htm. Acesso em: 04 jul. 2011.

PAZ, O. Signos em Rotação. Tradução: Sebastião Uchoa Leite. São Paulo: Perspectiva, 1972.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.