Uma leitura sociológica do conto Mestre’ Tamoda

Valda Suely da Silva Verri

Resumo


O presente trabalho faz uma leitura do conto “‘Mestre’ Tamoda” de Uanhenga Xitu, no qual as ações ocorrem em uma pequena aldeia africana. Por meio destas ações, buscamos mostrar algumas marcas da enunciação textual, a qual revela a interferência de aspectos socioculturais do espaço a que se refere. Apontamos alguns aspectos linguísticos, a fim de mostrar que o texto assinala a sobreposição de uma cultura dominante em relação a uma cultura dominada. Para tanto, o referencial teórico oferecido por Mikhail Bakhtin se presta adequadamente como nossa terminologia básica.


Palavras-chave


Literatura africana; Cultura; Colonização

Texto completo:

PDF

Referências


BAKHTIN, Mikhail. Marxismo e filosofia da linguagem. Tradução: Michel Lahud; Yara Frateschi Vieira. São Paulo: Hucitec, 2004.

BONNICI, Thomas. O pós-colonialismo e a literatura: estratégias de leitura. Maringá: Eduem, 2000.

CANDIDO, Antônio. A literatura e a formação do homem. Ciência e cultura, v. 24, p. 803-809, 1972.

MEMMI, Albert. Retrato do colonizado precedido pelo retrato o colonizador. 3. ed. Tradução: Roland Corbisier e Mariza Pinto Coelho. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1977.

XITU, Uanhenga. Mestre: Tamoda & Kahitu. São Paulo: Ática, 1984.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.