Inversões do paraíso: os guias dantescos em o primo Basílio e memórias póstumas de Brás Cubas

Tatiana Prevedello

Resumo


O foco de nossa análise parte do pressuposto de que as obras O primo Basílio e Memórias Póstumas de Brás Cubas, em evidente ironia aos paradigmas sociais e morais, cada uma valendo-se de recursos narrativos específicos, trazem para o seu cerne ficcional um diálogo, implícito ou referido em símbolos e citações, com A Divina Comédia, do poeta italiano Dante Alighieri. Pretende-se, nesse estudo, verificar o itinerário das personagens que se apresentam como guias dantescas no percurso metafórico de condução ao Inferno nestas duas obras exponenciais do realismo português e brasileiro.

 


Palavras-chave


Tradição; Influência; Realismo; Inferno

Texto completo:

PDF

Referências


ALIGHIERI, Dante. A Divina Comédia. 2. ed. Tradução: Italo Eugenio Mauro. São Paulo: Editora 34, 2010.

ASSIS, Machado. Memórias póstumas de Brás Cubas. São Paulo: Abril, 2010.

ASSIS, Machado. Crítica literária. São Paulo: Mérito, 1959.

AUERBACH, Erich. Dante, poeta do mundo secular. Tradução: Raul de Sá Barbosa. Rio de Janeiro: Topbooks, 1997.

BAKTHIN, Mikhail. A cultura popular na Idade Média e no Renascimento: o contexto de François Rabelais. Tradução: Yara Franteschi Vieira. São Paulo: Hucitec, 2010.

BLOOM, Harold. Bloom’s major poets: T. S. Eliot. United States: Chelsea House Publishers, 1999.

ELIOT, Thomas Stern. Tradition and the individual talent. London: Faber, 1975.

QUEIRÓS, Eça.O primo Basílio. São Paulo: Abril, 2010.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.