A tragédia e o caos da modernidade: aspectos do gênero trágico na obra de Nelson Rodrigues

Doris Munhoz de Lima

Resumo


Este artigo apresenta uma reflexão sobre as características da tragédia que permanecem constantes ao longo da trajetória do gênero, bem como as implicações de sua permanência dentro do universo conceptual cristão e da realidade sócio histórica da modernidade. A partir da leitura de Vestido de Noiva, obra de 1943, analisa o modo como Nelson Rodrigues vincula sua obra à tradição ocidental da tragédia cristã, recriando-a a partir da observação da sociedade burguesa do século XX e revelando que o Caos, componente essencial do trágico, permanece e se consolida na modernidade.


Palavras-chave


Tragédia; Caos; Nelson Rodrigues; Vestido de noiva

Texto completo:

PDF

Referências


ARISTÓTELES. Arte Poética. Tradução: Pietro Nassetti. São Paulo: Ed. Martin Claret, 2005.

BORNHEIM, Gerd. O Sentido da Tragédia.Folhetim: Teatro do Pequeno Gesto, n. 12, jan-mar, 2002.

GUMBRECHT, Hans Ulrich. Os Lugares da Tragédia. In: ROSENFIELD, Denis (org). Filosofia e Literatura: O Trágico. Tradução: Lawrence Flores Pereira. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 2001.

LESKY, Albin. A Tragédia Grega. 2. ed. Tradução: Alberto Guzik. São Paulo: Perspectiva, 1976.

LOPES, Ângela Leite. O trágico no teatro de Nelson Rodrigues.Folhetim: Teatro do Pequeno Gesto, n. 12, jan-mar, 2002.

MAGALDI, Sábato. Nelson Rodrigues: Dramaturgia e Encenações. São Paulo: Perspectiva, 1992.

MIRANDA, Célia M. Arns de. Conceito de Tempo e Memória: Entre a Realidade e a Ficção. In: MIRANDA, Célia M. Dramaturgia e Teatro. Maceió: UFAL, 2004.

NUNES, Luiz Arthur. In: RODRIGUES, Nelson. Teatro Completo: Peças Psicológicas. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2004.

PEREIRA, Victor Hugo. Nelson Rodrigues e a Obs-cena Contemporânea. Rio de Janeiro: EdUERJ, 1999.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.