Um enredamento de baratas: a mise en abyme em a quinta história, de Carice Lispector

Mariângela Alonso

Resumo


Este artigo tem como objetivo investigar os efeitos do procedimento novelístico do encaixe presentes no conto “A quinta história”, de Clarice Lispector. Apresentando uma estrutura narrativa concêntrica e espiralada, na qual cinco estórias ilustram uma espécie de jogo de espelhos ou mise en abyme, o conto repete instigantes estruturas temáticas. Uma leitura nessa direção tem como embasamento ensaios críticos que examinam a produção de Clarice Lispector e a técnica narrativa do encaixe. Por meio da análise apresentada espera-se revelar e descrever a escritura de Clarice Lispector com base na técnica narrativa de encaixe e suas implicações no conto “A quinta história”.

 


Palavras-chave


Mise en abyme; Encaixe; Clarice Lispector; A quinta história

Texto completo:

PDF

Referências


BARTHES, Roland. Literatura e metalinguagem. In: BARTHES, Roland. Crítica e verdade. 3. ed. Tradução: Leyla Perrone-Moisés. São Paulo: Perspectiva, 2007. p. 27- 30. (Debates, 24).

BETTELHEIM, Bruno. A estrutura das Mil e uma noites. In: BETTELHEIM, Bruno. A psicanálise dos contos de fadas. 16. ed. Tradução: Arlene Caetano. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2002. p. 94-98.

CARVALHO, Lúcia Helena. A ponta do novelo: uma interpretação de Angústia de Graciliano Ramos. São Paulo: Ática, 1983. (Ensaios, 96).

DALLENBACH, Lucien. Intertexto e autotexto. In: DALLENBACH, Lucien. Intertextualidades. Tradução: Clara Crabbé Rocha. Coimbra: Almedina, 1979. p. 51-76.

GARCIA, Maria José Ladeira. A mise en abyme em Inventário do inútil de Elias José. Verbo de Minas, Juiz de Fora, v. 7, n. 13, p. 127-138, jan/jun 2008.

GOTLIB, Nádia Battella. A dupla feiticeira. In: GOTLIB, Nádia Battella. Clarice: uma vida que se conta. 4. ed. São Paulo: Ática, 1995. p. 281-283.

KAHN, Daniela Mercedes. As mil e uma formas do mesmo. In: KAHN, Daniela Mercedes. A via crucis do outro: identidade e alteridade em Clarice Lispector. São Paulo: Associação Editorial Humanitas: Fapesp, 2005. p. 25-38.

LISPECTOR, Clarice. A quinta história. In: LISPECTOR, Clarice. A legião estrangeira. Rio de Janeiro: Rocco, 1999. p. 74-76.

LISPECTOR, Clarice. A paixão segundo G.H. Rio de Janeiro: Rocco, 1998.

LISPECTOR, Clarice. Os desastres de Sofia. In: LISPECTOR, Clarice. Felicidade Clandestina. Rio de Janeiro: Rocco, 1998. p. 98-116.

LISPECTOR, Clarice. A hora da estrela. 22. ed. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1993.

LUCAS, Fábio. O conto no Brasil moderno. In: PROENÇA FILHO, Domício (org.). O livro do Seminário: ensaios. São Paulo: L. R., 1983. p. 105- 161.

MARIA, Luzia. A crise da representatividade na arte do século XX e o conto. In: MARIA, Luzia. O que é conto. São Paulo: Brasiliense, 2004. p. 76-96. (Coleção Primeiros Passos; 135).

NOLASCO, Edgar César. Clarice Lispector: nas entrelinhas da escritura. São Paulo: Annablume, 2001.

NUNES, Benedito. A forma do conto. In: NUNES, Benedito. O drama da linguagem: uma leitura de Clarice Lispector. 2. ed. São Paulo: Ática, 1995. p. 83-95.

POE, Edgar Allan. A queda da casa de Usher. In: POE, Edgar Allan. Histórias extraordinárias. Tradução e adaptação de Clarice Lispector. Rio de Janeiro: Ediouro, 2005. p. 69-81.

ROSENBAUM, Yudith. Do mal secreto. In: ROSENBAUM, Yudith. Metamorfoses do mal: uma leitura de Clarice Lispector. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo: Fapesp, 1999. p. 121-136. (Ensaios de Cultura, 17).

SANT’ANNA, A . R. O ritual epifânico do texto. In: SANT’ANNA, A . R. A paixão segundo G.H. Ed. Crítica/Benedito Nunes, coordenador. Paris: Association Archives de la littérature latinoaméricaine, des Caraibes et africaine du siècle XXe; Brasília, DF: CNPQ, 1988. p. 237-257, (Col.Arquivos, 13).

SANTIAGO, Silviano. Bestiário. Cadernos de Literatura Brasileira, Instituto Moreira Salles, São Paulo, n. 17 ed. 18, p. 192-223, dez, 2004.

TODOROV, Tzvetan. Os homens-narrativas. In: TODOROV, Tzvetan. As estruturas narrativas. Tradução: Moysés Baumstein. São Paulo: Perspectiva, 1969. p. 119-133.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.