Escritura e cultura em a hora da estrela, de Clarice Lispector

Carlos Roberto Ludwig

Resumo


Esse ensaio analisa alguns aspectos da construção da obra A Hora da Estrela, de Clarice Lispector, como elementos de cultura, marcas de leitura, oralidade e cultura de massa na obra. Assim também, analisa a escritura da obra através do olhar do narrador Rodrigo S. M. A representação da personagem feminina Macabéa se dá pela busca da escritura lapidar e racional no romance, como uma tentativa de construir uma escritura apropriada para a configuração dessa figura feminina apagada, opaca, cujo sofrimento instaura um espaço silente de dor. Além disso, serão analisadas referências intertextuais na obra.

 


Palavras-chave


Leitura; Cultura; Intertextualidade; Escritura de A Hora da Estrela; Reading; Culture; Intertextuality; Writing of The Hour of the Star.

Texto completo:

PDF

Referências


BROWN, Peter. Le renoncement à la chair: virginité, célibat et contenence dans le christianisme primitif. Tradução: Pierre Emmanuel Dauzat et Christian Jacob. Paris: Edições Gallimard, 1995.

BÍBLIA SAGRADA. Tradução: José Ferreira de Almeida. São Paulo: Vozes, 1986.

DOSTOIÉVSKI Fiódor M. Humilhados e Ofendidos. Tradução: Klara Gourianova São Paulo: Nova Alexandria, 2004.

FREUD, Sigmund. Edição Standard Brasileira das Obras psicológicas Completas de Sigmund Freud. Rio de Janeiro: Imago, 2006. v.15

LACAN, J. Escritos. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1998.

LISPECTOR, Clarice. A Hora da Estrela. 23. ed. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1995.

SHAKESPEARE, William. Complete Works. Londres: Wordsworth Editions: 2007.

VERÍSSIMO, Érico. Solo de Clarineta: memórias. Porto Alegre: Editora Globo, 1974.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.