Estudo das crenças dos agentes de saúde a respeito da violência doméstica

Lélio Moura Lourenço, Érica Cruvinel, Adriana Aparecida de Almeida, Carla Ferreira de Paula Gebara

Resumo


A violência doméstica (VD) vem sendo apontada como uma das principais causas de morbi-mortalidade, despertando, no setor saúde, uma grande preocupação com essa temática. A presente pesquisa objetivou avaliar as crenças dos Agentes Comunitários de Saúde (ACS) a respeito da violência doméstica(VD) contra crianças, adolescentes e idosos. Utilizou-se a técnica dos grupos focais e foram pesquisadas 24 Unidades Básicas de Saúde (UBS). Os dados foram analisados através da técnica de análise de conteúdo. Dentre os tipos de VD mais freqüentemente detectados, estão: “Física” e “Negligência” para crianças/adolescentes, e “Financeira” e “Psicológica/Emocional” no caso dos idosos. As mães foram apontadas como principais agressores das crianças/adolescentes enquanto os filhos foram citados como principais agressores dos idosos. Os resultados deixam clara a necessidade de se pensar em uma capacitação dos ACS, assim como na elaboração e implantação de políticas públicas de prevenção e combate à VD no universo pesquisado.

Palavras-chave


violência doméstica; crenças; gestão em saúde

Texto completo:

PDF

Referências


Bardin, L. (1977). Análise de Conteúdo. Lisboa. Edições 70.

Bauer, M.W. (2007). Análise de conteúdo clássica: uma revisão. In: Bauer, M.W. & Gaskell, G. Pesquisa qualitativa com texto, imagem e som. Um manual prático. 6 ed. Petrópolis, RJ: Vozes; 2007.

Berger, M., Wagner, T.H., & Baker, L. C. (2005). Internet use and stigmatized illness. Social Science and Medicine, v. 61, p. 1821- 27.

Ministério da Saúde - Secretaria de Vigilância em Saúde (2005). Impacto da violência na saúde dos brasileiros. Brasília: Ministério da Saúde.

Brito, A. M., Zanetta, D. M. T., Mendonça, R. C. V., Barison, S. Z. P., & Andrade, V. A. G. (2005). Violência doméstica contra crianças e adolescentes: estudo de um programa de intervenção. Revista Ciência e Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, 10,(1), s/p.

Costa, M. C. O., Carvalho, R. C., Santa Bárbara, J. F. R., Santos, C. A. S. T., Gomes, W. A., &

Sousa, H. L. (2007). O perfil da violência contra crianças e adolescentes, segundo registros de Conselhos Tutelares: vítimas, agressores e manifestações de violência. Ciência & Saúde Coletiva, 12(5), 1129-1141.

Espíndola, C. R., & Blay, S. B. (2007). Prevalência de maus-tratos na terceira idade: revisão sistemática. Rev. Saúde Pública; 41(2), 301-6.

Flick, U. (2009). Introdução à pesquisa qualitativa Porto Alegre: Artmed. Florêncio, M. V. L., Ferreira Filha, M. O., & Sá, L. D. (2007). A violência contra o idoso: dimensão ética e política de uma problemática em ascensão. Revista Eletrônica de Enfermagem, 9(3), 847-857.

Fonseca, A. M., Galduróz, J. F. C., Tondowski, C. S., & Noto, A. R. (2009). Padrões de violência domiciliar associada ao uso de álcool no Brasil. Revista de Saúde Pública, 43(5), 743-749.

Gaioli, C. C. L. O., & Rodrigues, R. A. P. (2008). Ocorrência de maus-tratos em idosos no domicílio. Rev. Latino-americana de Enfermagem,16(3), s/p.

Gonçalves, H. S., & Ferreira, A. L. (2002). A notificação da violência intrafamiliar contra crianças e adolescentes por profissionais de saúde. Cad. Saúde Pública, 18(1),315-319.

Kluthcovsky, A. C. G., & Takayanagui, A. M. M. (2006). O trabalho do Agente Comunitário de Saúde. Revista Brasileira de Medicina de Família e Comunidade, 2(5), s/p.

Krüger, H. R. (1995). Psicologia das crenças: Perspectivas teóricas. Tese (Concurso para professor titular de Psicologia Social) - Universidade Federal do Rio de Janeiro.

Laranjeira, R., Duailibi, S. M., & Pinsky, I. (2005). Álcool e violência: a psiquiatria e a saúde pública. Revista Brasileira de Psiquiatria; 27(3),176-7.

Levy, F. M., Matos, P. E. S., & Tomita, N. E. (2004). Programa de agentes comunitários de saúde: a percepção de usuários e trabalhadores da saúde. Cad. Saúde Pública, 20(1), 197-203.

Lourenço, L M. (1993). Crenças e crendices sobre a sexualidade humana. Dissertação apresentada no mestrado em Psicologia Social- UGF. Rio de Janeiro.

Marino, A. S. (2008). Violência Doméstica contra crianças: conceito e caracterização. Revista de Psicologia Atlaspsico, nº 11.

Michaud, Y. (1989). A violência. São Paulo, Editora Ática.

Minayo, M. C. S. (1994). Violência social sob a perspectiva da saúde pública. Cadernos de Saúde Pública, 10 (suppl. 1), 7-18.

Minayo, M. C. S. (1996). O desafio do conhecimento: pesquisa qualitativa em saúde. São Paulo, SP: Ed. Hucitec.

Minayo, M. C. S., & Souza, E. R. (Orgs.) (2003). Violência sob o olhar da saúde: a infra-política da contemporaneidade brasileira. Rio de Janeiro: Fiocruz.

Minayo, M. C. S. (2006). Violência e Saúde; Rio de Janeiro: Fiocruz.

Moura, A. T. M. S., & Reichenheim, M. E. (2005). Estamos realmente detectando violência familiar contra a criança em serviços de saúde? A experiência de um serviço público do Rio de Janeiro, Brasil. Cad. Saúde Pública, 21(4), 1124-1133.

Moura, A. T. M. S., Moraes, C. L., & Reichenheim, M. E. (2008). Detecção de maus-tratos contra a criança: oportunidades perdidas em serviços de emergência na cidade do Rio de Janeiro, Brasil. Cad. Saúde Pública, 24(12), 2926-2936.

Noto, A. R., Fonseca, A. M., Silva, E. A., & Galduròz, J. C. F. (2004). Violência Domiciliar Associada ao Consumo de Bebidas Alcoólicas e de Outras Drogas: Um Levantamento No Estado de São Paulo. Jornal Brasileiro de Dependência Química, 5(1),9-17.

Patton, M. Q. (2002). Qualitative Evaluation and Research Methods. London: Sage.

Pasinato, M. T, Camarano, A. A., & Machado, L. (2004). Idosos Vítimas de MausTratos Domésticos: Estudo Exploratório das Informações dos Serviços de Denúncia. In XIV Encontro Nacional De Estudos Populacionais, ABEP (s/p), Caxambu-MG.

Associação Brasileira de Estudos Populacionais. Raby, A. (1995). Perfil de als denucias por violencia intrafamilar contra la mujer efectuadas en el hospital Gustvo Fricke. Bol. Hosp. Viña del Mar, 51(2/3), 127-132.

Reichenheim, M.E., Hasselmann, M. H., & Moraes, C. L. (1999). Conseqüências da violência familiar na saúde da criança e do adolescente: contribuições para a elaboração de propostas de ação. Ciência & Saúde Coletiva, 4(1),109-121.

Ribeiro, M. A., Ferriani, M. G. C., & Reis, J. N. (2004). Violência sexual contra crianças e adolescentes: características relativas à vitimização nas relações familiares. Cad. Saúde Pública, 20(2),456-464..

Sanchez, R.N. (2003). O enfrentamento da violência no campo dos direitos de crianças eadolescentes. In Fundação Petrópolis (Org.), Pacto Pela Paz: Uma Construção Possível (pp.39-46). São Paulo.

Sanchez, R. N., & Minayo, M. C. S. (2004). Violência contra Crianças e Adolescentes: Questão Histórica, Social e de Saúde. In Lima, C. A. (Org). Violência faz mal à saúde (pp.s/p). Brasília: Ministério da Saúde.

Santos, N. O. D. (1995). Abuso sexual: vítimas das relações familiares. Salvador: Universidade Federal da Bahia. 161p. Dissertação apresentada à Escola de Enfermagem para obtenção do grau de mestre.

Schewe, P., Riger, S., Howard, A., Staggs, S.L. & Mason, G.E. (2006). Factors Associated with Domestic Violence and Sexual Assault Victimization. Journal of Family Violence, 21, 469–475.

Trad, L. A. B. (2003). A utilização de grupos focais no estudo de avaliação de satisfação do usuário: limites e possibilidades. In VII Congresso Brasileiro De Saúde Coletiva (p.65). Brasília - DF. ABRASCO.

Tondowski, C. S. (2008). Padrões multigeracionais de violência familiar associada ao abuso de bebidas alcoólicas: Um estudo com genograma. Tese (mestrado) – Universidade Federal de São Paulo. Escola Paulista de Medicina. Programa de Pós-graduação em Ciências da Saúde. São Paulo.

United Nations Organizaton (UNO) (2004). Drugs Crime and Viollence: the microlevel impact. New York: UNO.

Vatnar, S.K.B., & Bjorkly, S. (2008). An Interactional Perspective of Intimate Partner Violence: An In-depth Semi-structured Interview of a Representative Sample of Help-seeking Women. Journal of Family Violence, 23, 265–279.

World Health Organization (WHO) (2002). World report on violence and health. Geneve: WHO.

World Health Organization (WHO) (2004). Handbook for the documentation of interpersonal violence prevention programmes. Geneve: WHO.

Zanoti-Jeronymo, D. V., Laranjeira, R., & Figlie, N. B. (2008). Efeitos do abuso do álcool relacionados à violência doméstica nos filhos: um levantamento bibliográfico. Revista Brasileira de Psiquiatria, 30(2),168-76.




DOI: http://dx.doi.org/10.5433/2236-6407.2010v1n1p108

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Estud. Interdiscip. Psicol.
E-mail: revistaeip@uel.br
E-ISSN: 2236-6407
DOI: 10.5433/2236-6407 

 Esta obra está licenciada com uma licença Attribution 4.0 International (CC BY 4.0)