A contradição entre proteção e violência na trajetória de adolescentes em medida socioeducativa

Amata Xavier Medeiros, Fernando Santana de Paiva

Resumo


O presente artigo objetiva refletir sobre as experiências de adolescentes em conflito com a lei em suas trajetórias pela rede de atendimento socioeducativo de um município de médio porte brasileiro. A pesquisa foi realizada com 07 adolescentes do gênero masculino, em cumprimento de Medida Socioeducativa (MSE), na modalidade de Liberdade Assistida (LA). Foram realizadas entrevistas narrativas, empregando-se o método de história de vida. Diferentes formas de violência foram relatadas no cumprimento da MSE de internação, como humilhações, vergonha e privações. As ações realizadas pela LA, por sua vez, podem favorecer a construção de projetos de vida que se configuram como uma alternativa à violência vivenciada. Compreender as experiências dos adolescentes pode contribuir para superarmos práticas que se perpetuam no cenário das MSE, e, ao mesmo tempo, fortalecer o cuidado preconizado pelo Sistema Nacional de Atendimento Socioeducativo (SINASE) e pelo Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA).


Palavras-chave


medida socioeducativa; liberdade assistida; violência; adolescência; psicologia social

Texto completo:

PDF

Referências


Batista, V. B. (2015). Introdução crítica à criminologia brasileira. Rio de Janeiro: Revan, 2ed.

Bertaux, D. (1999). El enfoque biográfico: su validez metodológica, sus potencialidades. Proposiciones, 29, 1-23.

Brasil (1990). Lei nº 8.069, de 13 de julho de 1990. Dispõe sobre o Estatuto da Criança e do Adolescente e dá outras providências. Brasília, DF: Diário Oficial da União.

Brasil (2012), Lei nº 12.594, de 18 de janeiro de 2012. Institui o Sinase-Sistema Nacional de Atendimento Socioeducativo. Brasília, DF: Diário Oficial da União.

Brasil (2018). Levantamento anual SINASE 2016. Brasília: Ministério dos Direitos Humanos.

Coelho, B. I., & Rosa, E. M. (2013). Ato infracional e medida socioeducativa: representações de adolescentes em LA. Psicologia & Sociedade, 25(1), 163-173. https://doi.org/10.1590/S0102-71822013000100018

Goffman, E. (2001). Manicômios, prisões e conventos. Tradução de Dante Moreira Leite. São Paulo: Perspectiva.

Gomes, R. (2008). Análise e interpretação de dados de pesquisa qualitativa. In M. Minayo (org.). Pesquisa Social: teoria, método e criatividade. 27º ed. Petrópolis: Editora Vozes.

Martin-Baró, I. (1990a). La violencia en Centroamerica: una vision psicosocial. Revista de Psicologia de El Salvador, 7(28), 123–146.

Martín-Baró, I. (1990b). Psicología social de la guerra: trauma y terapia. El Salvador: UCA Editores.

Minayo, M. C. D. S. (2012). Análise qualitativa: teoria, passos e fidedignidade. Ciência & saúde coletiva, 17, 621-626. https://doi.org/10.1590/S1413-81232012000300007

Moura Jr, J. F., Ximenes, V. M., & Sarriera, J. C. (2013). Práticas de discriminação às pessoas em situação de rua: histórias de vergonha, de humilhação e de violência em Fortaleza, Brasil. Revista de Psicología, 22(2), ág-18. https://doi.org/10.5354/0719-0581.2013.30850

Muylaert, C. J., Sarubbi Jr, V., Gallo, P. R., Neto, M. L. R., & Reis, A. O. A. (2014). Entrevistas narrativas: um importante recurso em pesquisa qualitativa. Revista da Escola de Enfermagem da USP, 48(spe2), 184-189. https://doi.org/10.1590/S0080-623420140000800027

Oliveira, T, F, K., Miranda, L. (2019) Um estudo sobre os sentidos da medida socieoeducativa na vida de adolescentes institucionalizados. Psicologia e Sociedade, 31, 1-18. https://doi.org/10.1590/1807-0310/2019v31188517

Piombini, H. P. (2015). O perfil de adolescentes em conflito com a lei: o cumprimento no Creas Maria Lina. In: VII Jornada Internacional de Políticas Públicas, 2015, São Luís. Para Além da Crise Global.

Scisleski, A. C. C., Bruno, B. S., Galeano, G. B., Santos, S. N. D., & Silva, J. L. C. D. (2015). Medida educativa de internação: estratégia punitiva ou protetiva?. Psicologia & Sociedade, 27(3), 505-515. https://doi.org/10.1590/1807-03102015v27n3p505

Silva, L. H. A. D. (2007). A marca da violência e a reincidência na medida socioeducativa. (Dissertação de mestrado). Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo.

Silva, R. S., & Silva, V. R. (2011). Política Nacional de Juventude: trajetória e desafios. CADERNO CRH, 24(63), 663-678. https://doi.org/10.1590/S0103-49792011000300013

Tavares, A. M. (2018). A medida socioeducativa de internação para adolescentes em conflito com a lei: uma análise a partir do Centro de Atendimento Socioeducativo. (Dissertação de mestrado). Universidade Federal da Paraíba, Programa de Pós Graduação em Serviço Social, João Pessoa.

Zappe, J. G., da Silva Ferrão, I., dos Santos, C. R., da Silva Silveira, K. S., da Costa, L. P., & Siqueira, T. V. (2011). A internação de adolescentes em conflito com a lei: uma reflexão teórica sobre o sistema socioeducativo brasileiro. Revista Brasileira Adolescência e Conflitualidade, (5), 112-133. https://doi.org/10.17921/2176-5626.n5p%25p




DOI: http://dx.doi.org/10.5433/2236-6407.2021v12n1suplp18

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Estud. Interdiscip. Psicol.
E-mail: revistaeip@uel.br
E-ISSN: 2236-6407
DOI: 10.5433/2236-6407 

 Esta obra está licenciada com uma licença Attribution 4.0 International (CC BY 4.0)