A psicanálise e o desamparo frente à crise de valores e ideais na atualidade

Erico Bruno Viana Campos, Lucianne Sant´Anna de Menezes, Josiane Cristina Bocchi

Resumo


A psicanálise tem privilegiado o conceito de desamparo para tecer considerações ontológicas e éticas fundamentais sobre ser humano, constituindo um operador importante para refletir sobre as condições subjetivas da sociabilidade contemporânea, marcada por uma transição nos valores e ideais normativos sustentados pelas instituições modernas. O objetivo deste artigo é trazer uma reflexão baseada em três eixos complementares para a consideração do sofrimento a partir desse operador essencial: (1) a concepção de sublimação como um destino pulsional; (2) a concepção de trabalho como condição de elaboração psíquica e criação do laço social; (3) os limites e condições da razão diagnóstica na consideração do sofrimento psíquico. Conclui-se que o aprofundamento da compreensão do trabalho sublimatório sobre as pulsões, abordando seus efeitos simultaneamente nas dimensões individual e coletiva, seja um encaminhamento possível para contribuir no sentido de constituição de vínculos sociais integrativos e propositivos de novos ideais para a cultura da atualidade.


Palavras-chave


psicanálise; desamparo; sublimação; trabalho; saúde mental

Texto completo:

PDF

Referências


Agambem, G. (2017). O uso dos corpos. (S. J. Assmann, Trad.). São Paulo, SP: Boitempo.

Antunes, R. (2018). O privilégio da servidão: O novo proletariado de serviços na era digital. São Paulo, SP: Boitempo.

Barreto, F. P., & Iannini, G. (2017). Introdução à psicopatologia lacaniana. In A. Teixeira, & H. Caldas (Eds.), Psicopatologia lacaniana 1 – semiologia (pp. 35-54). Belo Horizonte, MG: Autêntica.

Birman, J. (2006). Arquivos do mal-estar e da resistência. Rio de Janeiro, RJ: Civilização Brasileira.

Bocchi, J. (2018). A psicopatologização da vida contemporânea: Quem faz os diagnósticos? DOXA: Revista Brasileira de Psicologia e Educação, 20(1), 97-109. doi:10.30715/rbpe.v20.n1.2018.11309

Butler, J. (2017). A vida psíquica do poder: Teorias da sujeição (Rogério Bettoni, Trad). Belo Horizonte, MG: Autêntica.

Campos, E. B. V. (2013). Sublimação e violência: Destinos da pulsão no social. In C. C. E. Mouammar, & É. B. V. Campos (Eds.) Psicanálise e questões da contemporaneidade – I (pp. 133-148). Curitiba, PR: CRV; São Paulo, SP: Cultura Acadêmica.

Campos, E. B. V., & Loffredo, A. M. (2019). A metapsicologia freudiana da sublimação. Psicologia em Estudo, 24(1): 1-16. doi:10.4025/psicolestud.v23i0.40557

Dardot, P., & Laval, C. (2016). A nova razão do mundo: Ensaio sobre a sociedade neoliberal. São Paulo, SP: Boitempo.

Dunker, C. I. L. (2015). Mal-estar, sofrimento e sintoma: Uma psicopatologia do Brasil entre muros. São Paulo, SP: Boitempo.

Ehrenberg, A. (2009). O sujeito cerebral (Marianna T. de Oliveira & Monah Winograd, Trad.). Psicologia Clínica, 21(1): 187-213.

Freud, S. (2010) O mal-estar na civilização, novas conferências introdutórias à psicanálise e outros textos (1930-1936) (P. C. Souza, Trad.) In S. Freud, Obras Completas, v. 18 (pp. 10-89). São Paulo, SP: Companhia das Letras. (Trabalho original publicado em 1930)

Freud, S. (2010) Os instintos e seus destinos (P. C. Souza, Trad.) In Introdução ao narcisismo, ensaios de metapsicologia e outros textos (1914-1916) In S. Freud, Obras Completas, v. 12 (pp. 38-60). São Paulo, SP: Companhia das Letras. (Trabalho original publicado em 1915)

Gaulejac, V. (2007) Gestão como doença social: Ideologia, poder gerencialista e fragmentação social. (I. Storniolo, Trad.) São Paulo, SP: Ideias e letras.

Infante, D. P. (2011). Psiquiatria para que e para quem. In A. Jerusalinsky, S. Fendrik (Eds.), O livro negro da psicopatologia contemporânea (pp. 63-71). 2. ed. São Paulo, SP: Via Lettera.

Jones, E. (1989). A vida e a obra de Sigmund Freud (Júlio Castañon Guimarães, Trad.). Rio de Janeiro, RJ: Imago. (Trabalho original publicado em 1953)

Kehl, M. R. (2000). (Ed.) Função fraterna. Rio de Janeiro, RJ: Relume-Dumará.

Loffredo, A. M. (2014). Figuras da sublimação na metapsicologia freudiana. São Paulo, SP: Escuta; Fapesp.

Menezes, L.S. (2008) Desamparo. São Paulo, SP: Casa do Psicólogo (Coleção Clínica Psicanalítica).

Menezes, L. S. (2012). Psicanálise e saúde do trabalhador: nos rastros da precarização do trabalho. São Paulo, SP: Primavera Editorial.

Rosa, M. D. A (2016). A clínica psicanalítica em face da dimensão sociopolítica do sofrimento. São Paulo, SP: Escuta; Fapesp.

Russo, J., & Venâncio, A. T. A. (2006). Classificando as pessoas e suas perturbações: a “revolução terminológica” do DSM III. Revista Latinoamericana de Psicopatologia Fundamental, IX(3): 460-483.

Safatle, V. (2016). O circuito dos afetos: Corpos políticos, desamparo e o fim do indivíduo. Belo Horizonte, MG: Autêntica.

Seligmann-Silva, E. (2011). Trabalho e desgaste mental: o direito de ser dono de si mesmo. São Paulo, SP: Cortez.




DOI: http://dx.doi.org/10.5433/2236-6407.2020v11n3suplp4

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Estud. Interdiscip. Psicol.
E-mail: revistaeip@uel.br
E-ISSN: 2236-6407
DOI: 10.5433/2236-6407 

 Esta obra está licenciada com uma licença Attribution 4.0 International (CC BY 4.0)