Pessoas em situação de rua: revisão sistemática

Gesyelle Batista Oliveira, Aline Moraes Selusnhaki, Débora Mayumi Higa, Jackeline Araújo, Tomás Collodel Magalhães dos Reis, Adriano Valério dos Santos Azevêdo

Resumo


O presente artigo objetivou realizar uma revisão sistemática das pesquisas empíricas sobre pessoas em situação de rua. Foram consultadas as bases de dados (Lilacs, Medline, Ibecs, Redalyc, PePSIC) para identificar as pesquisas publicadas no período de 2011 a 2016. Identificaram-se 23 artigos que foram categorizados: 1. Aspectos sociodemográficos e macro determinantes; 2. Processo saúde e doença; 3. Modos de vida e significações e 4. Identidade social. Destacou-se o aumento da população em situação de rua e aspectos da vulnerabilidade social: uso de álcool e drogas, relatos de violência, o cotidiano de morar nas ruas, a discriminação, a fragilização de vínculos familiares, e as transformações nas identidades que repercutem na exclusão social. Trata-se de uma temática de estudo que possibilita a análise de aspectos psicossociais para o desenvolvimento de projetos de intervenção voltados para a integralidade do cuidado.


Palavras-chave


pessoas em situação de rua; exclusão social; vulnerabilidade social

Texto completo:

PDF

Referências


Aguiar, M. M., & Iriart, J. A. B. (2012). Significados e práticas de saúde e doença entre a população em situação de rua em Salvador, Bahia, Brasil. Cadernos de Saúde Pública, 28(1), 115-124. doi:10.1590/S0102-311X2012000100012.

Alcantara, S. C., Abreu, D. P., & Farias, A. A. (2015). Pessoas em situação de rua: Das trajetórias de exclusão social aos processos emancipatórios de formação de consciência, identidade e sentimento de pertença. Revista Colombiana de Psicologia, 24(1), 129-143. doi:10.15446/rcp.v24n1.40659.

Andrade, L. P., Costa, S. L., & Marquetti, F. C. (2014). A rua tem um ímã, acho que é a liberdade: Potência, sofrimento e estratégias de vida entre moradores de rua na cidade de Santos, no litoral do Estado de São Paulo. Saúde e Sociedade, 23(4), 1248-1261. doi:10.1590/S0104-12902014000400011.

Araújo, P. T., & Tavares, M. G. (2015). População em situação de rua: Identidade social e a dialética da inclusão/exclusão. Ciências humanas e sociais, 2(3), 113-131.

Arruda, M. A, Oliveira, C. H, & Almeida, L. P. (2015). A história de vida de pessoas em situação de rua na cidade de Campo Grande/MS - Brasil. DIRE, 6, 37-47. doi:10.25965/dire.583

Bachiller, S. (2013). Una análisis etnográfico sobre las personas en situación de calle y los sentidos de hogar. Sociedade e Cultura, 16(1), 81-90.

Barata, R. B., Carneiro-Júnior, N., Ribeiro, M. C. S. A., & Silveira, C. (2015). Desigualdade social em saúde na população em situação de rua na cidade de São Paulo. Saúde e Sociedade, 24(Suppl. 1), 219-232. doi: 10.1590/S0104-12902015S01019.

Bardin, L. (2002). Análise de conteúdo. Lisboa: Edições.

Bireme (2017). Descritores em Ciências da Saúde: DECS. Recuperado de: http://decs.bvsalud.org

Biscotto, P. R., Pinto de Jesus, M. C., Silva, M. H., Oliveira, D. M., & Merighi, M. A. B. (2016). Compreensão da vivência de mulheres em situação de rua. Jornal da Escola de Enfermagem da USP, 50(5), 750-756. doi: 10.1590/s0080-623420160000600006

Borysow, I. C., & Furtado, J. P. (2013). Acesso e intersetorialidade: O acompanhamento de pessoas em situação de rua com transtorno mental grave. Physis: Revista de Saúde Coletiva, 23(1), 33-50. doi:10.1590/S0103-73312013000100003.

Butler, J. (2007). El feminismo e la subversión de la identidad. Barcelona: Paidós.

Cociuffo, T. (2013). O ensino de Psicopatologia no cotidiano das ruas de São Paulo: Um relato de experiência. Psicologia em Revista, 22(2), 251-260.

Costa, S. L., Vida, C. P. C., Gama, I. A., Locatelli, N. T., Karam, B. J., Ping, C. T., … Bernardes, A. F. M. (2015). Gestantes em situação de rua no município de Santos, SP: Reflexões e desafios para as políticas públicas. Saúde e Sociedade, 24(3), 1089-1102. doi:10.1590/S0104-12902015134769.

Donoso, M. T. V., Bastos, M. A. R., Faria, C. R., & Costa, A. A. (2013). Estudo etnográfico sobre pessoas em situação de rua em um grande centro urbano. REME Revista Mineira de Enfermagem, 17(4), 894-901. doi:10.5935/1415-2762.20130065.

Farias, D. C. S., Rodrigues, I. L. A., Nogueira, L. M. V., & Marinho, I. C. (2014). Saberes sobre saúde entre pessoas vivendo em situação de rua. Psicologia e Saber Social, 3(1), 70-82. doi:10.12957/psi.saber.soc.2014.10064.

Ferreira, F. P. M. (2011). Crianças e adolescentes em situação de rua e seus macro determinantes. Saúde e Sociedade, 20(2), 338-349. doi:10.1590/S0104-12902011000200007

Flores, M., Contreras, C., Hernández, Y., Levicoi, Y., & Vargas, C. (2015). Ocupación e identidade social en personas en situación de calle de la ciudad de Punta Arenas. Revista Chilena de Terapia Ocupacional, 15(2). doi: 10.5354/0719-5346.2015.38159

Grangeiro, A., Holcman, M. M., Onaga, E. T., Alencar, H. D. R., Placco, A. L. N., & Teixeira, P. R. (2012). Prevalência e vulnerabilidade à infecção pelo HIV de moradores de rua em São Paulo, SP. Revista de Saúde Pública, 46(4), 674-684. doi:10.1590/S0034-89102012005000037.

Gusmão, B. S., Leite, K. L. Y., Monteiro, L., Umeno, M. B., Pessutti, M. S., Santos, … Falcão, D. V. (2012). Idoso em situação de rua e vivência em centros de acolhida: Uma revisão de literatura. Revista Temática Kairós Gerontologia, 15(6), 313-331.

Hallais, J. A. S., & Barros, N. F. (2015). Consultório na Rua: visibilidades, invisibilidades e hipervisibilidade. Cadernos de Saúde Pública, 31(7), 1497-1504. doi:10.1590/0102-311X00143114.

Henrique, R. A., Santos, C. M., & Vianna, J. J. B. (2013). Sentidos e significados do trabalho entre pessoas em situação de rua. Psicologia para América Latina, 24, 109-120.

Herrera N. C., Rojas A. C., & Jiménez, C. L. (2016). Prevalência de HIV em crianças e adolescentes vivendo na rua e sujeitos a exploração sexual comercial: Uma revisão sistemática. Cadernos de Saúde Pública, 32(10), 1-13. doi:10.1590/0102-311X00134315.

Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (2016). Estimativa da População em Situação de rua no Brasil. Brasília: DF.

Kunz, G. S., Heckert, & Carvalho, A. L. (2014). Modos de vida da população em situação de rua: Inventando táticas nas ruas de Vitória/ES. Fractal: Revista de Psicologia, 26(3), 919-942. doi:10.1590/1984-0292/1192.

Leiva-Hidalgo, J., Madrigal-Méndez, A., & Salas-Segura, D. (2013). Seroprevalencia de hepatitis B, C y VIH en indigentes en Costa Rica. Revista Costar Salud Pública, 22(2), 113-118.

Lima, H. S., & Seidl, E. M. F. (2015). Consultório na rua: Atenção a pessoas em uso de substâncias psicoativas. Psicologia em Estudo, 20(1), 57-69. doi:10.4025/psicolestud.v20i1.24697.

Matias, H. J. D. (2011). Jovens em situação de rua: Espaço, tempo, negociações de sentido. Psicologia & Sociedade, 23(2), 237-247. doi:10.1590/S0102-71822011000200004.

Matias, H. J. D. (2013). Sedução e descaminho: Narrativas e identidades de jovens em situação de rua. Psicologia: Reflexão e Crítica, 26(3), 543-551. doi:10.1590/S0102-79722013000300014.

Ministério da Saúde (2008). Política nacional para inclusão social da população em situação de rua. Brasília:DF. Recuperado de http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2007-2010/2009/Decreto/D7053.htm.

Ministério da Saúde (2012). Manual sobre o cuidado a saúde junto à população em situação de rua. Departamento de Atenção Básica. Brasília: DF. Recuperado de http://dab.saude.gov.br/portaldab/biblioteca.php?conteudo=publicacoes/manual_saude_populacao_rua

Ministério da Saúde (2014). Saúde da população em situação de rua: Um direito humano. Brasília, DF: Recuperado de http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/saude_populacao_situacao_rua.pdf

Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (2014). Orientações técnicas: Centro de referência especializado para população em situação de rua e serviço especializado para pessoas em situação de rua. Brasília, DF.

Ministério do Planejamento e Gestão (2016). Estimativa da população em situação de rua no Brasil. Brasília, DF.

Montiel, J. M., Bartholomeu, D., Carvalho, L. F., & Pessotto, F. (2015). Avaliação de transtornos da personalidade em moradores de rua. Psicologia: Ciência e Profissão, 35(2), 488-502. doi:10.1590/1982-370301992013

Moura, J. F., & Ximenes, V. M. (2016). O lugar do uso de drogas na identidade de uma pessoa em situação de rua. Gerais: Revista Interinstitucional de Psicologia, 9(2), 259-276.

Moura, J. F., Ximenes, V. M., & Sarriera, J. C. (2013). Práticas de discriminação às pessoas em situação de rua: Histórias de vergonha, de humilhação e de violência em Fortaleza, Brasil. Revista de Psicologia, 22(2), 18-28. doi:10.5354/0719-0581.2014.30850

Pacheco, M. E. A. G. (2014). Políticas públicas e capital social: O projeto consultório de rua. Fractal: Revista de Psicologia, 26(1), 43-58. doi:10.1590/S1984-02922014000100005.

Panadero-Herrero, S., & Muñoz-López, M. (2014). Salud, calidade de vida y consumo de sustâncias em función del tempo en situación sin hogar. Anales de psicología, 30(1), 70-77. doi:10.6018/analesps.30.1.137911.

Parro, E. A., & Adamos, R. E. (2015). Pesquisa censitária da população em situação de rua, caracterização socioeconômica da população adulta em situação de rua e relatório temático de identificação das necessidades desta população na cidade de São Paulo. Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas.

Presidência da República. Casa Civil. Subchefia para Assuntos Jurídicos. (1990). Lei nº 8.080, de 19 de setembro de 1990: Dispõe sobre as condições para a promoção, proteção e recuperação da saúde, a organização e o funcionamento dos serviços correspondentes e dá outras providências. Brasília, DF. Recuperado em 23 de Novembro de 2017. Disponível em: http://conselho.saude.gov.br/legislacao/lei8080_190990.htm

Presidência da República. Casa Civil. Subchefia para Assuntos Jurídicos. (2009). Decreto n° 7.053, de 23 de dezembro de 2009: Institui a Política Nacional para a População em Situação de Rua e seu Comitê Intersetorial de Acompanhamento e Monitoramento, e dá outras providências. Brasília, DF. Disponível em http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2009/decreto/d7053.htm

Reis, T. C. M., & Azevêdo, A. V. S. (2019). Vivências de homens em situação de rua no sul do Brasil. Contextos Clínicos, 12(3), 976-999. doi: 10.4013/ctc.2019.123.13

Risco, M. M., Léon, E., Dongo, M., & Munayco, C. V. (2015). Características sociodemográficas y de salud de los adultos mayores en situación de calle en Lima, Perú. Revista Peruana de Medicina Experimental y Salud Publica, 32(4), 693-700.

Rosa, A. S., & Brêtas, A. C. P. (2015). A violência na vida de mulheres em situação de rua na cidade de São Paulo, Brasil. Interface - Comunicação, Saúde, Educação, 19(53), 275-285. doi:10.1590/1807-57622014.0221

Salavera, C. (2014). Influência de los transtornos mentales y de la personalidade nel abandono de processos en personas sin hogar. Anales de psicología, 30(1), 78-82. doi:10.6018/analesps.30.1.124081.

Sampaio, R. F., & Mancini, M. C. (2007). Estudos de revisão sistemática: Um guia para síntese criteriosa da evidência científica. Revista Brasileira de Fisioterapia, 11(1),83-89. doi: 10.1590/S1413-35552007000100013.

Santana, C. (2014). Consultórios de rua ou na rua? Reflexões sobre políticas de abordagem à saúde da população de rua. Cadernos de Saúde Pública, 30(8), 1798-1799. doi:10.1590/0102-311XCA010814

Scappaticci, A. L. S. S., & Blay, S. L. (2010). Mães adolescentes em situação de rua: Uma revisão sistemática da literatura. Revista de Psiquiatria do Rio Grande do Sul, 32(1), 3-15.

Silva, F. P., Frazão, I. S., & Linhares, F. M. P. (2014). Práticas de saúde das equipes dos consultórios de rua. Cadernos de Saúde Pública, 30(4), 805-814. doi:10.1590/0102-311X00100513.




DOI: http://dx.doi.org/10.5433/2236-6407.2020v11n2p58

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Estud. Interdiscip. Psicol.
E-mail: revistaeip@uel.br
E-ISSN: 2236-6407
DOI: 10.5433/2236-6407 

 Esta obra está licenciada com uma licença Attribution 4.0 International (CC BY 4.0)