Religiosidade/espiritualidade em saúde: uma disciplina de pós graduação

Vivian Fukumasu da Cunha, Lucas Rossato, Ronan da Silva Parreira Gaia, Fabio Scorsolini-Comin

Resumo


Evidências sugerem uma relação importante entre a religiosidade/espiritualidade (R/E) e a saúde. No entanto, poucos profissionais da área têm uma formação que contemple os conhecimentos pertinentes a essa relação. O objetivo deste estudo é apresentar um relato de experiência sobre uma disciplina desenvolvida em um programa de pós-graduação de uma universidade pública do Estado de São Paulo. A disciplina se propôs a compreender como a R/E tem sido abordada no cuidado em saúde e evidenciar técnicas, instrumentos e estratégias de intervenção que podem ser utilizadas nesses contextos. Os estudantes se envolveram ativamente ao serem convidados a falar de suas experiências pessoais, profissionais e acadêmicas com a R/E. A disciplina cumpriu a função de transmitir conhecimentos a partir das evidências científicas sobre a dimensão da R/E, além de formar profissionais capazes de olharem para si e para os outros de maneira empática, valorizando sentimentos e emoções e, consequentemente, ampliando recursos formativos.


Palavras-chave


educação superior; religião; espiritualidade; pessoal de saúde; atenção à saúde

Texto completo:

PDF

Referências


Azambuja, L. E. O., & Garrafa, V. (2010). Testemunhas de Jeová ante o uso de hemocomponentes e hemoderivados. Revista da Associação Médica Brasileira, 56(6), 705-709. doi:10.1590/S0104-42302010000600022

Cid, D. P. T., Dias, M., Benincasa, M., & Martins, M. C. F. (2019). Elos entre a psicologia e o trabalho humanizado na saúde: Compreensão, formação e práticas. Semina: Ciências Sociais e Humanas, 40(1), 5-24. doi:10.5433/1679-0383.2019v40n1p5

Cunha, V. F., & Scorsolini-Comin, F. (2019). A religiosidade/espiritualidade (R/E) como componente curricular na graduação em Psicologia: Relato de experiência. Psicologia Revista, 28(1), 193-214. doi:10.23925/2594-3871.2019v28i1p193-214

Cunha, V. F., & Scorsolini-Comin, F. (2020). Brazilian psychotherapists and the dimension of religiosity/spirituality. Counselling and Psychotherapy Research, 20(4), 1-9. doi:10.1002/capr.12357

Espíndula, J. A., Valle, E. R. M., & Bello, A. A. (2010). Religião e espiritualidade: Um olhar de profissionais de saúde. Revista Latino-Americana de Enfermagem (Ribeirão Preto), 18(6), 1229-1236. doi:10.1590/S0104-11692010000600025.

Evangelista, C. B., Lopes, M. E. L., Costa, S. F. G., Abrão, F. M. S., Batista, P. S. S., & Oliveira, R. C. (2016). Espiritualidade no cuidar de pacientes em cuidados paliativos: Um estudo com enfermeiros. Escola Anna Nery, 20(1), 176-182. doi:10.5935/1414-8145.20160023.

Ferreira, A. G. N., Gubert, F. A., Martins, A. K. L., Galvão, M. T. G., Vieira, N. F. C., & Pinheiro, P. N. C. (2011). Promoção da saúde no cenário religioso: Possibilidades para o cuidado de enfermagem. Revista Gaúcha de Enfermagem, 32(4), 744-750. doi:10.1590/S1983-14472011000400015.

Gaia, R. S. P., Vitória, A. S., & Roque, A. T. (2020). Candomblé no Brasil: Resistência negra na diáspora africana. Jundiaí, SP: Paco Editorial.

Henning-Geronasso, M. C., & Moré, C. L. O. O. (2015). Influência da religiosidade/espiritualidade no contexto psicoterapêutico. Psicologia: Ciência e Profissão, 35(3), 711-725. doi: 10.1590/1982-3703000942014

Koenig, H. G. (2007). Religião, espiritualidade e psiquiatria: Uma nova era na atenção à saúde mental. Revista de Psiquiatria Clínica, 34(Suppl. 1), 5-7. doi:10.1590/S0101-60832007000700002

Koenig, H. G. (2012). Religion, spirituality, and health: The research and clinical implications. ISRN Psychiatry, Article ID 278730. doi:10.5402/2012/278730

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. (2010). Censo Demográfico 2010 - Características gerais da população, religião e pessoas com deficiência. Rio de Janeiro, RJ: Autor. Disponível em: https://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/periodicos/94/cd_2010_religiao_deficiencia.pdf

Murakami, R., & Campos, C. J. G. (2012). Religião e saúde mental: Desafio de integrar a religiosidade ao cuidado com o paciente. Revista Brasileira de Enfermagem, 65(2), 361-367. doi:10.1590/S0034-71672012000200024

Nascimento, A. (2016). O genocídio do negro brasileiro: Processo de um racismo mascarado. São Paulo, SP: Perspectivas.

Nascimento, L. C., Santos, T. D. F. M., Oliveira, F. C. S., Pan, R., Flória-Santos, M., & Rocha, S. M. M. (2013). Espiritualidade e religiosidade na perspectiva de enfermeiros. Texto & Contexto Enfermagem, 22(1), 52-60. doi:10.1590/S0104-07072013000100007.

Peteet, J. R. (2014). What is the Place of clinicians’ religious or spiritual commitments in psychotherapy? A virtues-based perspective. Journal of Religion and Health, 54, 1190-1198. doi:10.1007/s10943-013-9816-9

Penha, R. M., & Silva, M. J. P. (2012). Significado de espiritualidade para a enfermagem em cuidados intensivos. Texto & Contexto - Enfermagem, 21(2), 260-268. doi:10.1590/S0104-07072012000200002.

Raddatz, J. S., Motta, R. F., & Alminhana, L. O. (2019). Religiosidade/espiritualidade na prática clínica: Círculo vicioso entre demanda e ausência de treinamento. Psico-USF, 24(4), 699-709. doi:10.1590/1413-82712019240408

Sá, A. C., & Pereira, L. L. (2007). Espiritualidade na enfermagem brasileira: Retrospectiva histórica. O Mundo da Saúde, 31(2), 225-37. doi:10.15343/0104-7809.200731.2.10

Salimena, A. M. O., Ferrugini, R. R. B., Melo, M. C. S. C., & Amorim, T. V. (2016). Compreensão da espiritualidade para os portadores de transtorno mental: Contribuições para o cuidado de enfermagem. Revista Gaúcha de Enfermagem, 37(3), e51934. doi:10.1590/1983-1447.2016.03.51934.

Scorsolini-Comin, F., Rossato, L., Cunha, V. F., Correia-Zanini, M. R. G., & Pillon, S. C. (2020). Religiosity/Spirituality as a resource to face COVID-19. RECOM - Revista de Enfermagem do Centro Oeste Mineiro, 10, e3723. doi:10.19175/recom.v10i0.3723

Scorsolini-Comin, F., Melo, L. P., Rossato, L., & Gaia, R. S. P. (2020). Distance learning in nursing training: Reflections on the COVID-19 pandemic. Revista Baiana de Enfermagem, 34, e36929. doi:10.18471/rbe.v34.36929

Tosta, L. R. O., Silva, T. B. F., & Scorsolini-Comin, F. (2016). O relato de experiência profissional e sua veiculação na ciência psicológica. Clínica & Cultura, 5(2), 62-73. Disponível em https://seer.ufs.br/index.php/clinicaecultura/article/download/6016/5994

Toniol, R. (2017). Atas do espírito: A Organização Mundial da Saúde e suas formas de instituir a espiritualidade. Anuário Antropológico, (II), 267-299. doi:10.4000/aa.2330




DOI: http://dx.doi.org/10.5433/2236-6407.2020v11n3p232

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Estud. Interdiscip. Psicol.
E-mail: revistaeip@uel.br
E-ISSN: 2236-6407
DOI: 10.5433/2236-6407 

 Esta obra está licenciada com uma licença Attribution 4.0 International (CC BY 4.0)