Atenção psicológica à gestante infectada por Zika Vírus: revisão integrativa da literatura e das Políticas Públicas Nacionais

Cristina Martins Tavelin, Ana Cristina Barros da Cunha, Rodrigo Abel, Maria Carolina Pereira Ribeiro

Resumo


A recente epidemia de Zika vírus no Brasil, associada à microcefalia em recém-nascidos, resultou na necessidade de atenção integral à saúde das gestantes. Diante disso, o objetivo desta revisão integrativa é analisar como as políticas públicas nacionais e estaduais e a literatura científica brasileira têm discutido o cuidado psicológico para essa população. Com base em levantamento bibliográfico feito nas bases de dados Scielo, Lilacs e Portal Capes, usando os descritores “Zika vírus” AND “atenção à saúde”, foram incluídas nesta revisão 10 referências, sem restrição de ano. Observou-se que, enquanto os documentos públicos enfocam aspectos técnicos e biológicos da epidemia para prevenção, diagnóstico e acompanhamento dos casos de microcefalia, apenas duas referências científicas abordam criticamente o tema, mas sem uma grande discussão sobre o cuidado à saúde mental das gestantes infectadas pelo Zika vírus. Conclui-se que é urgente e necessário investir na produção científica nacional sobre o tema.


Palavras-chave


zika vírus; atenção à saúde; gestantes

Texto completo:

PDF

Referências


Ainsworth, M. D. S., & Bowlby, J. (1991). An ethological approach to personality

development. American Psychologist, 46(4), 333-341.

Battikha, E. C., Faria, M. C. C., & Kopelman, B. I. (2007). As representações maternas acerca do bebê que nasce com doenças orgânicas graves. Psicologia: Teoria e Pesquisa, 23(1), 17-24. doi: 10.1590/S0102-37722007000100003

Bowlby, J. (1982). Attachment and loss: Volume I. (2ª ed.). New York, NY: Basic Books. (Trabalho original publicado em 1969).

Bowlby, J. (1988). A secure base: Parent-child attachment and healthy human development. Nova York, NY: Basic Books.

Brunoni, D., Blascovi-Assis, S. M., Osório, A. A. C., Seabra, A. G., Amato, C. A. H., Teixeira, M. C. T. V., ... Carreiro, L. R. R. (2016). Microcefalia e outras manifestações relacionadas ao vírus Zika: Impacto nas crianças, nas famílias e nas equipes de saúde. Ciência & Saúde Coletiva, 21(10), 3297-3302. doi:10.1590/1413-812320152110.16832016

Campos Neta, T. J., Fernandes, A. S., Furtado, G., Scavuzzi, A., Coentro, M., Cruz, D., ... Oliveira, M. (2016). Ações desenvolvidas no Instituto de Medicina Integral Prof. Fernando Figueira para enfrentamento à microcefalia pelo Zika vírus. Revista Brasileira de Saúde Materno Infantil, 16(1), 111-116. doi: 10.1590/1806-9304201600s100009

Clavreul, J. (1983). A ordem médica: Poder e impotência do discurso médico. São Paulo, SP: Brasiliense.

Cunha, A. C. B., & Benevides, J. (2012). Prática do psicólogo em intervenção precoce na saúde materno-infantil. Psicologia em Estudo, 17(1), 111-119. doi: 10.1590/S1413-73722012000100013

Cunha, A. C. B., Pereira Júnior, J. P., Caldeira, C. L. V., & Carneiro, V. M. S. P. (2016). Diagnóstico de malformações congênitas: Impactos sobre a saúde mental de gestantes. Estudos de Psicologia, 33(4), 601-611. doi: 10.1590/1982-02752016000400004

Gomes, A. G., & Piccinini, C. A. (2010). Malformação no bebê e maternidade: Aspectos teóricos e clínicos. Psicologia Clínica, 22(1), 15-38. doi: 10.1590/S0103-56652010000100002

Maldonado, M.T.P. (1985). Psicologia da Gravidez: Parto e puerpério. Petrópolis, RJ: Vozes.

Melo, L. L., & Lima, M. A. D. S. (2000). Mulheres no segundo e terceiro trimestres de gravidez: Suas alterações psicológicas. Revista Brasileira de Enfermagem, 53(1), 81-86. doi: 10.1590/S0034-71672000000100010

Mendes, A., & Maciel, V. (2016). Ministério da Saúde vai distribuir teste rápido de zika. Prevenção e combate: Dengue, Chikungunya e Zika. Recuperado em 12 de agosto, 2018, de http://combateaedes.saude.gov.br/pt/noticias/856-ministerio-da-saude-vai-distribuir-teste-rapido-de-zika

Ministério da Saúde. (2004). Política nacional de atenção integral à saúde da mulher: Princípios e diretrizes. Brasília, DF: Ministério da Saúde.

Ministério da Saúde. (2016). Protocolo de atenção à saúde e resposta à ocorrência de microcefalia relacionada à infecção pelo vírus zika. Brasília, DF: Ministério da Saúde.

Ministério da Saúde. (2016b). Zika: Abordagem clínica na atenção básica. Ministério da Saúde, Secretaria de Atenção à Saúde. Brasília, DF: Ministério da Saúde.

Nunes, J., & Pimenta, D. N. (2016). A epidemia de Zika e os limites da saúde global. Lua Nova: Revista de Cultura e Política, 98, 21-46. doi: 10.1590/0102-6445021-046/98

Piccinini, C. A., Lopes, R. S., Gomes, A. G., & de Nardi, T. (2008). Gestação e a constituição da maternidade. Psicologia em Estudo, 13(1), 63-72. doi: 10.1590/S1413-73722008000100008

Ribas, A. F. P., & Moura, M. L. S. (2004). Responsividade materna e teoria do apego: Uma discussão crítica do papel de estudos transculturais. Psicologia: Reflexão e Crítica, 17(3), 315-322.

Salge, A. K. M., Castral, T. C., Sousa, M. C., Souza, R. R. G., Minamisava, R., & Souza, S. M. B. (2016) Infecção pelo vírus Zika na gestação e microcefalia em recém-nascidos: Revisão integrativa de literatura. Revista Eletrônica de Enfermagem, 18. doi: 10.5216/ree.v18.39888

Secretaria de Estado de Saúde da Bahia (2016). Protocolo de atenção à gestante com suspeita de zika e a criança com microcefalia. (1ª ed.). Bahia: Secretaria de Estado de Saúde da Bahia.

Secretaria de Estado da Saúde do estado do Espírito Santo. (2015). Protocolo de assistência a gestantes com suspeita de zika vírus e bebês com microcefalia: 2015-2016 (1ª ed.). Vitória, ES: Secretaria de Estado da Saúde do estado do Espírito Santo.

Secretaria de Estado da Saúde da Paraíba. (2015). Protocolo para investigação e acompanhamento dos casos de microcefalia no Estado da Paraíba (1ª ed.). João Pessoa, PB: Secretaria de Estado da Saúde da Paraíba.

Secretaria de Estado da Saúde do Paraná. (2016). Protocolo de vigilância e resposta à ocorrência de microcefalia e suspeita de infecção congênita pelo vírus zika no Estado do Paraná (1ª ed.). Curitiba, PR: Secretaria de Estado da Saúde do Paraná.

Souza, M. T., Silva, M. D., & Carvalho, R. (2010). Revisão integrativa: O que é e como fazer? Einstein, 8(1), 102-106. doi: 10.1590/s1679-45082010rw1134

Silva, E. H. P., Girão, E. R. C., & Cunha, A. C. B. (2016). Enfrentamento do pai frente à malformação congênita do filho antes e depois do nascimento. Estudos e Pesquisas em Psicologia, 16(1), 180-199.

Silva, P., & Caldas, M. (2016). Curso capacitará profissionais para abordagem clínica do vírus Zika. Prevenção e combate: Dengue, chikungunya e zika. Recuperado em 12 de agosto, 2018, de http://combateaedes.saude.gov.br/pt/noticias/377-curso-capacitara-profissionais-para-abordagem-clinica-do-vírus-zika




DOI: http://dx.doi.org/10.5433/2236-6407.2020v11n1p224

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Estud. Interdiscip. Psicol.
E-mail: revistaeip@uel.br
E-ISSN: 2236-6407
DOI: 10.5433/2236-6407 

 Esta obra está licenciada com uma licença Attribution 4.0 International (CC BY 4.0)