Estratégias de aprendizagem e a regulação da emoção no Ensino Fundamental

Adriana Cristina Boulhoça Suehiro, Evely Boruchovitch, Patrícia Waltz Schelini

Resumo


O presente estudo teve como objetivos caracterizar o uso de estratégias de aprendizagem e de regulação emocional de crianças brasileiras do Ensino Fundamental, examinar se existem diferenças nessas variáveis em razão do sexo, ano escolar e idade dos estudantes, bem como explorar possíveis relações entre elas. A amostra foi composta de 38 alunos, do Ensino Fundamental de escolas públicas. Os dados foram coletados por meio de duas escalas do tipo Likert. Não foram encontradas diferenças significativas entre meninos e meninas nas escalas de estratégias de aprendizagem e de regulação emocional. Os resultados revelaram que os estudantes de anos mais avançados obtiveram médias significativamente menores na escala de estratégias de aprendizagem quando comparados aos alunos que estão no meio do curso. As correlações tenderam a ser positivas e significativas entre os aspectos cognitivos, metacognitivos e a regulação emocional, todavia as magnitudes foram predominantemente fracas.

 


Palavras-chave


estratégias cognitivas; metacognição; emoções; educação básica

Texto completo:

PDF

Referências


Aldao, A. (2013). The future of emotion regulation research: Capturing context. Perspectives on Psychological Science, 8(2), 155-172. doi:10.1177/1745691612459518.

Baker, L., & Wigfield, A. (1999). Dimensions of children’s motivation for reading and their relations to reading activity and reading achievement. Reading Research Quarterly, 34(4), 452-477. doi:10.1598/RRQ.34.4.4.

Bortoletto, D., & Boruchovitch, E. (2013). Learning strategies and emotional regulation of pedagogy students. Paidéia, 23(55), 235-242. doi:10.1590/1982-43272355201311.

Boruchovitch, E. (1999). Estratégias de aprendizagem e desempenho escolar: Considerações para a prática educacional. Revista Psicologia: Reflexão e Crítica, 12(2), 361-375. doi:10.1590/S0102-79721999000200008.

Boruchovitch, E., & Bortoletto, D. (2010). Regulação emocional: Conceituação e instrumentos de medida. In A. A. A. Santos, F. F. Sisto, E. Boruchovitch, & E. Nascimento (Eds.), Perspectivas em Avaliação Psicológica (pp. 271-292). São Paulo, SP: Casa do Psicólogo.

Boruchovitch, E., & Santos, A. A. A. (2006). Estratégias de aprendizagem: Conceituação e avaliação. In A. P. P. Noronha, F. F. Sisto, & A. A. A. Santos (Eds.), Facetas do fazer em avaliação psicológica (pp. 107-124). São Paulo, SP: Vetor.

Boruchovitch, E., Santos, A. A. A., Costa, E. R., Neves, E. R. C., Cruvinel, M., & Primi, R. (2006). A construção de uma escala de estratégias de aprendizagem para alunos do Ensino Fundamental. Psicologia: Teoria e Pesquisa, 22(3), 297-304.

Boruchovitch, E., Schelini, P. W., & Santos, A. A. A. (2010). Metacognição: Conceituação e medidas. In A. A. A. Santos, F. F. Sisto, E. Boruchovitch, & E. Nascimento (Eds.), Perspectivas em Avaliação Psicológica (pp. 123-144). São Paulo, SP: Casa do Psicólogo.

Carvalho, M. R. (2006). Estratégias metacognitivas de leitura utilizadas de 2ª a 4ª séries do Ensino Fundamental. (Dissertação de Mestrado). Universidade São Francisco, Itatiba- SP.

Costa, E. R. (2000). As estratégias de aprendizagem e a ansiedade de alunos do Ensino Fundamental: implicações para a prática educacional. (Dissertação de Mestrado). Universidade Estadual de Campinas, Campinas- SP.

Costa, E. R, & Boruchovitch, E (2004). Compreendendo as relações entre estratégias de aprendizagem e ansiedade de alunos do ensino fundamental de Campinas. Revista Psicologia Reflexão e Crítica, 17(1), 15-24. doi:10.1590/S0102-79722004000100004.

Cruvinel, M. (2003). Depressão infantil, rendimento escolar e estratégias de aprendizagem em alunos do Ensino Fundamental. (Dissertação de Mestrado). Universidade Estadual de Campinas, Campinas- SP.

Cruvinel, M, & Boruchovitch, E. (2011). Regulação emocional em crianças com e sem sintomas de depressão. Estudos de Psicologia, 16(3), 219-226. doi:10.1590/S1413-294X2011000300003.

Cruvinel, M., & Boruchovitch, E. (2010). Regulação Emocional de Estudantes: A construção de um instrumento qualitativo. Psicologia em Estudo (Maringá), 15(2), 537-545. doi:10.1590/S1413-73722010000300011.

Cruvinel, M., & Boruchovitch, E. (2008). Escala de Avaliação da Regulação Emocional para Estudantes do Ensino Fundamental – ERE-EF. Manuscrito não publicado. Universidade Estadual de Campinas, São Paulo.

Dancey, C. P., & Reidy, J. (2013). Estatística sem matemática para psicologia. 5a. ed. Porto Alegre, RS: Artmed.

Dansereau, D. F., Collins, K. W., MacDonald, B. A., Holley, C. D., Garland, J. C. Diekhoff, G. M., & Evans, S. H. (1979). Development and evaluation of an effective learning strategy. Journal of Educational Psychology, 79, 64-73.

Dembo, M. H. (1994). Applying educational psychology. New York, NY: Longman Publishing Group.

Duncan, T. G., & McKeachie, W. J. (2005). The making of the motivated strategies for learning questionnaire. Educational Psychologist, 40(2), 117-128. doi:10.1207/s15326985ep4002_6.

Dunn, K. E., Lo, W.-J., Mulvenon, S. W., & Sutcliffe, R. (2012). Revisiting the motivated strategies for learning questionnaire: A theoretical and statistical reevaluation of the metacognitive self-regulation and effort regulation subscales. Educational Psychological Measurement, 72(2), 312-331. doi:10.1177/0013164411413461

Felicori, C. M. (2017). Estratégias de aprendizagem, compreensão leitora e regulação emocional: Relações com o sucesso de estudantes no ingresso no Ensino Médio. (Dissertação de Mestrado). Universidade Estadual de Campinas, Campinas- SP.

Garner, R., & Alexander, P. A. (1989). Metacognition: Answered and unanswered questions. Educational Psychologist, 24(2), 143-158. doi:101207/sl15326985ep2402_2.

Gomes, M., & Boruchovitch, E. (2013). Motivação para ler e compreensão leitora no Ensino Fundamental-alguns fatores relacionados. In XI CONPE Congresso Nacional de Psicologia Escolar e Educacional (pp. 3-3). Uberlândia, MG: Universidade Federal de Uberlândia.

Gross, J. J. (1998). The emerging field of emotion regulation: An integrative review. Review of General Psychology, 2(3), 271-299. doi:101037/1089-2680.2.3.271.

Gross, J. J., Richards, & J. M., John, O. P. (2006). Emotion regulation in everyday life. In D. K. Snyder, J. Simpson, & J. N. Hughes (Eds.), Emotion regulation in couples and families: Pathways to dysfunction and health (pp. 13-35). Washington, DC, US: American Psychological Association.

Hemphill, J. F. (2003). Interpreting the magnitudes of correlation coefficients. American Psychologist, 58(1), 78-79. doi:1037/0003-066X.58.1.78.

Izard, C. E. (2010). The many meanings/aspects of emotion: Definitions, functions, activation, and regulation. Emotion Review, 2(4), 363-370. doi:10.1177/1754073910374661.

Izard, C. E., Woodbum, E. M., Finlon, K. J., Krauthamer-Ewing, E. S., Grossman, S. R., & Seidenfeld, A. (2011). Emotion knowledge, emotion utilization, and emotion regulation. Emotion Review, 3(1), 44-52. doi:10.1177/1754073910380972.

Kopp, C. B. (1989). Regulation of distress and negative emotions: A developmental view. Developmental Psychology, 25(3), 343-354.

Linnenbrink-Garcia, L., & Pekrun, R. (2011). Students´ emotions and academic engagement: Introduction to the special issue. Contemporary Educational Psychology, 36, 1-3. doi:10.1016/j.cedpsych.2010.11.004.

Mega, C., Ronconi, L., & De Beni, R. (2013). What makes a good student? How emotions, self-regulated learning and motivation contribute to academic achievement? Journal of Educational Psychology, 1, 1-11.

Metallidou, P., & Vlachou, A. (2007). Motivational beliefs, cognitive engagement, and achievement in language and mathematics in elementary school children. International Journal of Psychology, 42(1), 2-15. doi:10.1080/00207590500411179.

Mok, M. M. C., Ma, H. S., Lui, F. Y. F., & So, E. Y. P. (2005). Multilevel analysis of primary students' perception and deployment of self-learning strategies. Educational Psychology, 25(1), 129-148.

Monteiro, V., & Mata, L. (2001). Motivação para a leitura em crianças do 1º, 2º, 3º e 4 anos de escolaridade. Infância e Educação – Investigação e Práticas, 3, 49-68.

Nisbett, J., & Schucksmith, J. (1986). Learning Strategies. Londres, UK: Routledge and Keagan Paul.

Oliveira, K. L. (2008). Escala de estratégias de aprendizagem para o Ensino Fundamental: análise de suas propriedades psicométricas. (Tese de Doutorado). Universidade Estadual de Campinas, Campinas- SP.

Oliveira, K. L., Boruchovitch, E., & Santos, A. A. A. (2010). Escala de avaliação de estratégias de aprendizagem para o ensino fundamental – EAVAP - EF Manual. São Paulo, SP: Casa do Psicólogo.

Pekrun, R., Goetz, T., Frenzel, A. C., Barchfeld, P., & Perry, R. P. (2011). Measuring emotions in students’ learning and performance: The Achievement Emotions Questionnaire (AEQ). Contemporary Educational Psychology, 36, 36-48. doi:10.1016/j.cedpsych.2010.10.002.

Pekrun, R., Goetz, T., Titz, W., & Perry, R. P. (2002). Academic emotions in students’ self-regulated learning and achievement: A program of qualitative and quantitative research. Educational Psychologist, 37, 91–105. doi:10.1207/S15326985EP3702_4.

Perassinoto, M. G. M. (2011). Estratégias de Aprendizagem no Ensino Fundamental: Relações com Regulação Emocional, Motivação e Rendimento Escolar. (Dissertação de Mestrado). Universidade Estadual de Campinas, Campinas- SP.

Pozo, J. I. (1996). Estratégias de Aprendizagem. In C. Coll, J. Palácios, & A. Marchesi (Eds.), Desenvolvimento psicológico e educação: Psicologia da educação (pp. 176-197). Porto Alegre, RS: Artes Médicas.

Pressley, M., Borkowski, J. G., & Schneider, W. (1989). Good information processing: What it is and how education can promote it. Journal of Educational Research, 13(8), 857-867.

Rufini, S. E., Bzuneck, J. A., & Oliveira, K. L. (2012). Qualidade da Motivação em Estudantes do Ensino Fundamental. Paidéia, 22(51), 53-62. doi:10.1590/S0103-863X2012000100007.

Schunk, D. H., & Zimmerman, B. J. (2008). Motivation and self-regulated learning. Theory, research and applications. New York, NY: Lawrence Erlbaum Associates.

Suehiro, A. C. B., & Boruchovitch, E. (2016). Hábitos e estratégias para a realização da lição de casa e variáveis demográficas em estudantes do Ensino Fundamental II. Psico (Porto Alegre), 47(2), 132-139. doi:10.15448/1980-8623.2016.2.22729.

Thompson, R. A. (1994). Emotion regulation: A theme in search of a definition. Monographs for the Society for Research in Child Development, 59, 25-52.

Tobias, S. (1985). Test anxiety: interference, defective skills, and cognitive capacity. Educational Psychologist, 20(3), 133-142. doi:10.1207/s15326985ep2003_3.

Weinstein, C. E., Acee, T. W., & Jung, J. (2011). Self-regulation and learning strategies. New Directions for Teaching and Learning, 126, 45-53. doi:10.1002/tl.443.

Weinstein, C. E., & Mayer, R. E. (1985). The teaching of learning strategies. In M. Wittrock (Ed.), Handbook of research on teaching (p.315-327). New York, NY: Macmillan.

Zimmerman, B. J., & Martinez-Pons, M. (1986). Development of a structured interview for assessing student use of self-regulated learning strategies. American Educational Research Journal, 23(4), 614-628. doi:10.3102/00028312023004614.

Zimmerman, B. J., & Schunk, D. H. (2011). Self-regulated learning and performance: an introduction and an overview. In B. J. Zimmerman, & D. H. Schunk (Eds.), Handbook of self-regulation of learning and performance (pp-1-12). New York, NY: Routledge Taylor & Francis Group.




DOI: http://dx.doi.org/10.5433/2236-6407.2018v9n3suplp90

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Estud. Interdiscip. Psicol.
E-mail: revistaeip@uel.br
E-ISSN: 2236-6407
DOI: 10.5433/2236-6407 

 Esta obra está licenciada com uma licença Attribution 4.0 International (CC BY 4.0)