Identificação da síndrome de Burnout em motoristas do transporte da saúde

Caroline Estéfani Zanin, Amanda Saraiva Angonese

Resumo


O estudo objetivou verificar a ocorrência da Síndrome de Burnout nos Motoristas do Transporte da Saúde, analisando-se as consequências que esta pode trazer para a vida do profissional. A pesquisa é de abordagem quanti-qualitativa e de caráter descritivo. Aplicou-se o formulário do Maslach Burnout Inventory (MBI-HSS) para identificação da síndrome e uma entrevista semiestruturada. Participaram da investigação 14 Motoristas da Saúde dos municípios que compõem a Agência de Desenvolvimento Regional de município do interior do estado de Santa Catarina. Para a análise dos dados relativos ao instrumento MBI-HSS, foram seguidas as normas apresentadas pelo instrumento e, para a análise dos dados da entrevista, foi utilizada a técnica de análise de conteúdo de Bardin (2009). Os resultados apontaram a manifestação da Síndrome de Burnout nessa categoria de trabalhadores (93% dos entrevistados). Conclui-se que a manifestação da síndrome neste público ocorre pela profissão ocasionar intenso estresse e exposição a fatores nocivos.


Palavras-chave


Burnout; Trabalho; Doenças profissionais; esgotamento emocional; Psicologia do trabalho.

Texto completo:

PDF

Referências


Álvarez R. F. (2011). El síndrome de burnout: Síntomas, causas y medidas de atención en la empresa. Éxito empresarial, (160), 1-4.

Bardin L. (2009). Análise de conteúdo. Lisboa, Portugal: Edições 70, LDA.

Battiston M., Cruz R. M., & Hoffmann M. H. (2006). Condições de trabalho e saúde de motoristas de transporte coletivo urbano. Estudos de Psicologia, 11(3), 333-343. doi:10.1590/S1413-294x2006000300011

Benevides-Pereira, A. M. T. (2001). MBI - Maslach Burnout Inventory e suas adaptações para o Brasil. Anais da 32ª Reunião Anual de Psicologia (p. 84-85). Rio de Janeiro, RJ: Congresso da Sociedade Brasileira de Psicologia.

Benevides-Pereira, A. M. T. (2002). Burnout: O processo de adoecer pelo trabalho. In A. M. T Benevides-Pereira, Burnout: Quando o trabalho ameaça o bem-estar do trabalhador (p. 21-91). São Paulo, SP: Casa do Psicólogo.

Benevides-Pereira, A. M. T. (2008). Burnout: Quando o trabalho ameaça o bem-estar do trabalhador. São Paulo, SP: Casa do Psicólogo.

Benevides-Pereira, A. M. T. (2012). Considerações sobre a síndrome de Burnout e seu impacto no ensino. Boletim de Psicologia, 62(137), 155-168.

Campos, R. G. (2005). Burnout: Uma revisão integrativa na enfermagem oncológica. (Dissertação de Mestrado). Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, São Paulo, Brasil.

Carlotto, M. S. (2001). Síndrome de Burnout: Um tipo de estresse ocupacional. Canoas, RS: Cadernos Universitários Ulbra.

Carlotto, M. S. (2002). A Síndrome de Burnout e o trabalho docente. Psicologia em Estudo, 7(1), 21-29.

Chagas, P. C. (2017). Transtornos mentais são a terceira maior causa de afastamento do trabalho. Brasília, DF: Agência Brasil. Recuperado de http://agenciabrasil.ebc.com.br/geral/noticia/2017-04/transtornos-mentais-sao-terceira-maior-causa-de-afastamento-do-trabalho

Conselho Federal de Psicologia. (2018). CFP - Resolução 009/2018. Define e regulamenta o uso, a elaboração e a comercialização de testes psicológicos. Recuperado de https://bit.ly/386jwCC

Cox, T., Griffiths, A., & Rial-González, E. (2000). Work-related stress. European Agency for Safety and Health at work. Recuperado de https://osha.europa.eu/en/tools-andpublications/publications/reports/203

Dalri, R. C. M. B., Silva L. M. A, Mendes, A. M. O. C., & Robazzi, M. L. C. C. (2014). Carga horária de trabalho dos enfermeiros e sua relação com as reações fisiológicas do estresse. Revista Latino-Americana de Enfermagem, 22(6), 959-65.

Dejours, C., & Abdoucheli E. (1994). Itinerário Teórico em Psicopatologia do Trabalho. In: Dejours C, Abdoucheli E, Jayet C. Psicodinâmica do Trabalho. São Paulo, SP: Atlas.

Direitos Trabalhistas. (2017). Jornada de Trabalho. Disponível em: http://direito-trabalhista.info/direitos-do-trabalhador/jornada-de-trabalho.html

Estado de Santa Catarina. (2012). Regimento interno SAMU 192/SC. Florianópolis, SC: Secretaria de Estado da Saúde.

Farber, B. A. (1991). Crisis in education. Stress and Burnout in the american teachers. São Francisco, CA: Jossey-Bass Inc.

Fonte, E. (2010). Dispõe sobre a profissão de motorista e de condutor de veículos de emergência. Recuperado de http://www.camara.gov.br/proposicoesWeb/prop_mostrarintegra?codteor=817110

Formighieri, V. J. (2003). Burnout em fisioterapeutas: Influência sobre a atividade de trabalho e bem-estar físico e psicológico. (Dissertação de mestrado). Universidade do Oeste de Santa Catarina, Florianópolis, Santa Catarina, Brasil.

Frazão, A. (2014). Síndrome de Burnout. Disponível em: http://www.tuasaude.com/sindrome-de-burnout/

Freudenberger, H. (1974). Staff burn-out. Journal of Social Issues, 30, 159-165. doi:10.1111/j.1540-4560.1974.tb00706

Grau-Alberola, E., Gil-Monte P. R., Juesas J. A. G., & Ferraz, H. F. (2009). Efectos de los conflictos interpersonales sobre el desarrollo del síndrome de quemarse por el trabajo (burnout) y su influencia sobre la salud. Un estudio longitudinal en enfermería. Riesgos Psicosociales en el Trabajo, 11(32), 72-79.

Jornal R7. (2015). Esgotamento no trabalho pode causar Síndrome do Pânico e depressão. Recuperado de http://noticias.r7.com/saude/esgotamento-no-trabalho-pode-causar-sindrome-do-panico-e-depressao-29082015

Hu, Q. & Schaufeli, W. B. (2009). The factorial validity of the Maslach Burnout Inventory - student survey in China. Psychological Reports, 105(2), 394-408.

International Stress Management Association no Brasil. (2013). Cansaço demais tem jeito. Isma-Br. Recuperado de http://ismabr.blogspot.com/2013/11/

Jodas, D. A. & Haddad, M. C. L. (2009). Síndrome de Burnout em trabalhadores de enfermagem de um pronto socorro de hospital universitário. Acta Paulista de Enfermagem, 22(2), 192-197.

Lautert, L. (1995). O desgaste profissional do enfermeiro. (Tese de doutorado). Universidade Pontificia de Salamanca, Salamanca, Espanha.

Leiter, M. P. & Schaufeli, W.B. (1996). Consistency of the Burnout constructo across ocupations. Anxiety Stress Coping, 9, 229-243.

Lima, A. S. (2016). Prevalência e fatores associados à Síndrome de Burnout nos profissionais da saúde da atenção primária de Juiz de Fora (Dissertação de Mestrado). Universidade Federal de Juiz de Fora, Juiz de Fora, Minas Gerais, Brasil.

Lima, F., Buunk, A.P, Araújo, M.B.J., Chaves, J.G.M., Muniz, D.L.O., & Queiroz, L.B. (2007). Síndrome de Burnout em residentes da Universidade Federal de Uberlândia. Rio de Janeiro, RJ: Editora Med.

Lyra, G. J. H. (2015). Síndrome de Burnout: Esgotamento profissional, estresse, sintomas e o caminho para a liberdade docente. Revista Científica, 1,1-16.

Maroco, J., Tecedeiro, M., Martins, P., & Meireles, A. (2008). Estrutura fatorial de segunda ordem da Escala de Burnout de Malasch para estudantes numa amostra portuguesa. Análise Psicológica, 10(2), 639-49.

Maslach, C. & Jackson, S. E. (1986). The measurementof experienced burnout. Journal of Occupational Bahaviour, 2, 99-113.

Maslach, C. & Schaufeli, W. B. & Leiter, M. P. (2001). Job Burnout. Annual Review of Psychology, 52(1), 397-422.

Mendes, A. M. B. (1995). Aspectos psicodinâmicos da relação homem-trabalho: as contribuições de C. Dejours. Psicologia Ciência e Profissão, 15(1-3), 1-5. doi:10.1590/S1414-98931995000100009

Menegaz, F. D. L. (2004). Características da incidência de burnout em pediatras de uma organização hospitalar pública. (Dissertação de Mestrado). Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, Santa Catarina, Brasil.

Ministério da Saúde. Organização Pan-Americana da Saúde. (2010). Doenças relacionadas ao trabalho: Manual de procedimentos para os serviços de saúde. Brasília, DF: Ministério da Saúde.

Moreira, D. S., Magnago, R. F., & Magajewski, F. R. L. (2009). Prevalência da Síndrome de Burnout em trabalhadores de enfermagem de um hospital de grande porte da Região Sul do Brasil. Caderno Saúde Pública 25(7), 1559-1568. doi:10.1590/S0102-311X2009000700014

Murofuse, N. T., Abranches, S. S., & Napoleão, A. A. (2005). Reflexões sobre estresse e Burnout e a relação com a enfermagem. Revista Latino-Americana de Enfermagem, (13)2, 255-261. doi:10.1590/S0104-11692005000200019

Peixoto, L. (2016). Estresse afeta saúde gastrointestinal e causa sintomas como azia e diarreia. Minha vida. Recuperado de http://www.minhavida.com.br/saude/materias/17657-estresse-afeta-saude-gastrointestinal-e-causa-sintomas-como-azia-e-diarreia

Pereira, J. G. & Mello, F. (2017). Causas e efeitos do estresse no trabalho. Revista Interação, 146-164.

Pinto, F. M. & Souza, P. C. Z. (2015). A atividade de trabalho de Motorista de Ambulância sob o ponto de vista ergológico. Revista Brasileira de Saúde Ocupacional, 25(131), 49-58. doi:10.1590/0303-7657000076113

Presidência da República. (1999). Decreto 3048/99 de 06 de maio de 1999. Regulamento do Ministério da Previdência Social. Recuperado de http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/decreto/d3048.htm

Roazzi A., Carvalho A. D, Guimarães P. V. (2000). Análise da estrutura de similaridade da síndrome de burnout: Validação da escala “Maslach Burnout Inventory” em professores. Anais da VIII Conferência Internacional de Avaliação Psicológica – Formas e Contexto e V Encontro Mineiro de Avaliação Psicológica: Teorização e Prática. Belo Horizonte.

Rozestraten, R. J. A. (1998). Psicologia do Trânsito, conceitos e processos básicos. São Paulo, SP: EPU/EDUSP.

Schaufeli, W. B. & Enzmann, D. (1998). The burnout companion to study and practice: A critical analysis. London: CRC press.

Schaufeli, W. B. & Janczur, B. (1994); Burnout among nurses: A Polish-Dutch comparison. Journal of Cross-Cultural Psychology, 95-113.

Tamayo, M. R. (1997). Relação entre a síndrome de burnout e os valores organizacionais no pessoal de enfermagem de dois hospitais públicos. (Dissertação de Mestrado). Universidade de Brasília, Brasília, Brasil.

Teixeira, J. A. C. (2004). Psicologia da Saúde. Análise Psicológica, 3(21), 441-448.

Trigo, T. R., Teng, C. T., & Hallak, J. E. C. (2007). Síndrome de burnout ou estafa profissional e os transtornos psiquiátricos. Revista Psiquiatria clínica, 34(5), 223-33.

Varella, D. (2014). Doenças e sintomas: Síndrome de burnout. Recuperado de http://drauziovarella.com.br/letras/s/sindrome-de-burnout/

Volpato, C. D., Gomes, F. B., Castro, M. A., Borges, S. K., Jeisto, T., & Benevides-Perera, A. M. T. (2003). Burnout em profissionais de Maringá. Revista Eletrônica de Interação Psy, 1(1), 102-111.




DOI: http://dx.doi.org/10.5433/2236-6407.2019v10n3p26

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Estud. Interdiscip. Psicol.
E-mail: revistaeip@uel.br
E-ISSN: 2236-6407
DOI: 10.5433/2236-6407 

 Esta obra está licenciada com uma licença Attribution 4.0 International (CC BY 4.0)