Representações sociais, zona muda e práticas sociais femininas sobre envelhecimento e rejuvenescimento

Amanda Castro, Andréia Isabel Giacomozzi, Brigido Vizeu Camargo

Resumo


O presente estudo objetivou investigar as representações sociais, a zona muda e as práticas femininas sobre envelhecimento e rejuvenescimento. Participaram 40 mulheres com idade entre 30 e 60 anos. Metade utilizava procedimentos rejuvenescedores não invasivos e a outra metade fazia uso de procedimentos rejuvenescedores invasivos ou minimamente invasivos. Foram apresentadas às participantes histórias sobre práticas rejuvenescedoras utilizadas por duas mulheres, a Mulher 1 adota procedimentos rejuvenescedores não invasivos, e a Mulher 2 adota procedimentos invasivos. Os resultados mostraram que as participantes representaram a Mulher 1 como alguém que deve trabalhar muito, possivelmente como professora, enquanto a Mulher 2 teria boas condições financeiras trabalhando possivelmente no ramo da estética. A Mulher 1 é considerada, principalmente pelo grupo de mulheres que adotam práticas de rejuvenescimento não invasivas como feliz e altruísta, enquanto a Mulher 2 é apontada como infeliz e egoísta pelo mesmo grupo.


Palavras-chave


envelhecimento; rejuvenescer; representações sociais; beleza

Texto completo:

PDF

Referências


Abric, J. C. (2005). A zona muda das representações sociais. In D. C. Oliveira & P. H. F. Campos (Eds.), Representações Sociais: Uma teoria sem fronteiras (pp.23-34). Rio de Janeiro, RJ: Museu da República.

Alves, M. G., Azevedo, N. R., & Gonçalves, T. N. (2014). Satisfação e situação profissional: Um estudo com professores nos primeiros anos de carreira. Educação e Pesquisa, 40(2), 365-382. doi:10.1590/S151797022014005000002

Bardin, L. (2009). Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70 (Trabalho original publicado em 1977).

Camargo, B. V., Justo, A. M., & Jodelet, D. (2010). Normas, representações sociais e práticas corporais. Interamerican Journal of Psychology, 44(3), 449-457.

Camargo, B. V., Contarello, A., Wachelke, J. F. R., Morais, D. X., & Piccolo, C. (2014). Representações sociais do envelhecimento entre diferentes gerações no Brasil e na Itália. Psicologia em Pesquisa, 8(2), 179-188. doi:10.5327/Z1982-1247201400020007

Castro, A., Aguiar, A. D., Berri, B., & Camargo, B. V. (2016). Representações sociais do rejuvenescimento na mídia impressa. Temas em Psicologia, 24(1), 117-130. doi:10.9788/TP2016.1-08.

Cheung-Lucchese, T., & Alves, C. S. (2014). Percepção do Corpo Feminino e os Comportamentos de Consumo de Serviços de Estética. Revista Organizações em Contexto-Online, 9(18), 271-294. doi:10.15603/19828756/roc.v9n18p271-294

Craciun, C., & Flick, U. (2014). “I will never be the granny with rosy cheeks”: Perceptions of aging in precarious and financially secure middle-aged Germans. Journal of Aging Studies, 29, 78-87. doi:10.1016/j.jaging.2014.01.003

Deschamps, J. C. & Guimelli, C. (2004). L’organisation interne dês représentations sociales de la sécurité/insécurité et hypothèse de La zone muette (2004). In J. L. Beauvois, R. V. Joule, & J. M. Montreil (Eds.). Perspectives Cognitives et Conduites Sociales (pp. 300-323). Tomo IX. Rennes: Press Universitaire de Rennes.

Doise, W. (1985). Les représentations sociales: Définition d'un concept. Connexions, 45, 243-253.

Fin, T., Portella, M., Scortegagna, S., & Frighetto, J. (2015). Estética e expectativas sociais: O posicionamento da mulher idosa sobre os recursos estéti-cos. Kairós. Revista da Faculdade de Ciências Humanas e Saúde, 18(4), 133-149.

Flament, C., Guimelli, C., & Abric, J. C. (2006). Effets de masquage dans l'expression d'une représentation sociale. Les Cahiers internationaux de psychologie sociale, (1), 15-31. doi:10.3917/cips.069.0015.

Gilmartin, J. (2011). Contemporary cosmetic surgery: The potential risks and relevance for practice. Journal of clinical nursing, 20(13?14), 1801-1809. doi:10.1111/j.1365-2702.2010.03527.x.

Goetz, E. R. (2013). Beleza e plasticomania. Curitiba, PR: Juruá.

Jodelet, D. (1984). The representation of the body and its transformations. In R. Farr & S. Moscovici (Eds.), Social representations (pp. 211-238). Cambridge: Cambridge University Press.

Jodelet, D. (2001) Representações sociais: Um domínio em expansão. In D. Jodelet, (Ed.). As representações sociais. (pp. 17-41). Rio de Janeiro, RJ: EDUERJ.

Jodelet, D. (2005). Loucuras e representações sociais. Petrópolis, RJ: Vozes.

Leyens, J.P, & Yzerbyt, V. (1999). Relações e conflitos intergrupos. Psicologia Social. Lisboa: Edições 70.

Martins, V. L. (2013). A beleza como instrumento de autoafirmação na sociedade de consumo latino-americana. Intr@ciência, 77(1), 78-85.

Menin, M. S. D. S. (2006). Representação social e estereótipo: A zona muda das representações sociais. Psicologia Teoria Pesquisa, 22(1), 43-51. doi:10.1590/S0102-37722006000100006

Moscovici, S. (1981). On social representations. In J. P. Forgas (Ed.). Social Cognition: Perspectives on everyday understanding. London: Academic Press.

Murad, A. (2012). Dermatologia Cosmética. Rio de Janeiro, RJ: Elsevier editores.

Neri, A. L. (2013) Conceitos e teorias sobre o envelhecimento. In L. Malloy-Diniz, D. Fuentes, & R. M. Cosenza. (Eds.), Neuropsicologia do envelhecimento: Uma Abordagem Multidimensional (pp. 17-42). Porto Alegre: Artmed.

Pereira, F. (2016). Enaltecimento e controle do corpo: Uma análise de “o disfarce e a euforia”, de Rubem Fonseca. Artefactum-Revista de estudos em Linguagens e Tecnologia, 13(2).

Presidência da República, Casa Civil, Subchefia para Assuntos Jurídicos. (2003). Lei n°10.741, de 1 de outubro de 2003: Dispõe sobre o estatuto do idoso e das outras providências. Brasília, DF: Senado Federal.

Smirnova, M. H. (2012). A will to youth: the woman’s anti-aging elixir. Social Science & Medicine, 75(7), 1236-1243. doi:10.1016/j.socscimed.2012.02.061

Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (2009). Cirurgia Plástica no Brasil. Disponível em http://www2.cirurgiaplastica.org.br/wp-content/uploads/2012/11/pesquisa2009.pdf

Tajfel, H. (1978). Differentiation between social groups: Studies in the social psychology of Intergroup relations. London: Academic Press.

Tajfel, H., & Turner, J. C. (1979). An integrative theory of intergroup conflict. In W. G. Austin, & S. Worchel (Eds.), The social psychology of intergroup relations (pp. 33-37). Monterey, CA: Brooks/Cole.

Torres, T. L., Camargo, B. V., Boulsfield, A. B., & Silva, A. O. (2015). Representações sociais e crenças normativas sobre envelhecimento. Ciência & Saúde Coletiva, 20(12), 3621-3630. doi:10.1590/1413812320152012.01042015

Vala, J. (1997). Representações sociais e percepções intergrupais. Análise Social, 32(140), 7-29.

Veiga, M. R. M. (2012). Mulheres na meia-idade: Corpos, envelhecimentos e feminilidades. (Dissertação de Mestrado). Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, RS.

Wachelke, J. F. R., & Camargo, B. V. (2007). Representações sociais, representações individuais e comportamento. Revista Interamericana de Psicologia, 41(2), 379-390.

Zani, R. (1994). Beleza e rejuvenescimento: Métodos e técnicas. São Paulo, SP: Saraiva.




DOI: http://dx.doi.org/10.5433/2236-6407.2018v9n2p58

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Estud. Interdiscip. Psicol.
E-mail: revistaeip@uel.br
E-ISSN: 2236-6407
DOI: 10.5433/2236-6407 

 Esta obra está licenciada com uma licença Attribution 4.0 International (CC BY 4.0)