A concepção de estudantes universitários acerca da vergonha: um estudo no campo da psicologia moral

Mayara Gama de Lima, Heloisa Moulin de Alencar

Resumo


A presente pesquisa teve como objetivo investigar o juízo moral de estudantes universitários acerca da vergonha. O instrumento utilizado foi uma entrevista com roteiro semiestruturado, baseada no método clínico proposto por Piaget, contendo questões relativas à concepção de vergonha e ao juízo moral deste sentimento. Os dados revelam que o juízo de valor moral da vergonha envolve conteúdos que a equivalem a um controle externo e a um controle interno, sendo encontradas com maior frequência as categorias juízo e/ou olhares alheios e autojuízo, respectivamente. Espera-se, assim, contribuir com a reflexão sobre a relação entre a vergonha e o universo moral de estudantes universitários, e com o estudo da vergonha e da afetividade na psicologia moral. 


Palavras-chave


Moralidade; vergonha;estudantes universitários

Texto completo:

PDF

Referências


Alencar, H. M. (2003). Parcialidade e imparcialidade no juízo moral: a gênese da participação em situações de humilhação pública. (Tese de doutorado não publicada). Universidade de São Paulo, São Paulo.

Alencar, H. M., & La Taille, Y. (2007). Humilhação: o desrespeito no rebaixamento moral. Arquivos Brasileiros de Psicologia, Rio de Janeiro, 59(2), 217-231. doi: 10.1590/S1413-85572010000200009

Anolli, L. (2003). A vergonha: quando nossa autoimagem faz-se em pedaços e o que mais queremos é desaparecer. São Paulo, SP: Paulinas.

Anolli, L., & Pascucci, P. (2005). Guilt and guilt-proneness, shame and shameproneness in Indian and Italian young adults. Personality and Individual Differences, 39(5), 763–773.doi: 10.1177/0022022108321178

Araújo, U. F. (1998). O sentimento de vergonha como um regulador moral. (Tese de doutorado não publicada). Universidade de São Paulo, São Paulo.

Araújo, U. F. (2001). Ética docente: vergonha e humilhação. Revista Profissão Docente, Uberaba, 1(1), 1-13. Brasil (2012). Resolução 466/2012 do Ministério da Saúde. Diretrizes e normas regulamentadoras de pesquisas envolvendo seres humanos. Brasília: Ministério da Saúde.

Costa, C. F. C. D. (2008). As emoções morais: vergonha e culpa, e as bases motivacionais do ser humano. (Dissertação de mestrado não publicada). Universidade de Lisboa, Lisboa.

Darwin, C. (1981). A expressão das emoções no homem e nos animais (L. S. L. Garcia, Trad.). São Paulo: Companhia das letras. (Original publicado em 1872).

Delval, J. (2002). Introdução à prática do método clínico: descobrindo o pensamento das crianças. (F. Murad, Trad.). Porto Alegre: Artmed.

Gouveia, V. V., Singelis, T. M., Guerra, V. M., Santos, W. S., & Vasconcelos, T. C. (2005). Auto-imagem e sentimento de constrangimento. PSICO, Porto Alegre, PUCRS, 36(3), 231-241.

Gouveia, V. V., Singelis, T. M., Guerra, V. M., Santos, W. S., Rivera, G. A., & Vasconcelos, T. C. (2006). O sentimento de constrangimento: evidências acerca do contágio emocional e do gênero. Estudos de Psicologia, Campinas, 23(4), 329-337. doi: 10.1590/S0103-166X2006000400002

Harkot-De-La-Taille, E. (1999). Ensaio semiótico sobre a vergonha. São Paulo: Humanitas/FFLCH/USP.

Laskoski, L. M., Natividade, J. C., & Hutz, C. S. (2013). Development of Instruments to Assess Shame and Guilt in Adolescents: Empirical Differences Between the Constructs. Paidéia, Ribeirão Preto, 23(55), 171-178. doi: 10.1590/1982-43272355201304

La Taille, Y. (1996). Os conceitos de humilhação e honra em crianças de 7 e 12 anos de idade. In Z. A. Trindade, & C. Camino (Eds.). Cognição social e juízo moral. (vol. 1, pp. 137-154). Rio de Janeiro: Associação Nacional de Pesquisa e Pós-graduação em Psicologia (ANPEPP).

La Taille, Y. (2001). A questão da indisciplina: ética, virtudes e educação. In: Demo, P., La Taille, Y., & Hoffmann J. (Eds.), Grandes pensadores em educação: o desafio da aprendizagem, da formação moral e da avaliação (pp. 67-98). Porto Alegre: Mediação.

La Taille, Y. (2002a). O Sentimento de Vergonha e suas Relações com a Moralidade. Psicologia: Reflexão e Crítica, Porto Alegre 15(1), 13-25. doi: 10.1590/S0102-79722002000100003

La Taille, Y. (2002b). Vergonha: a ferida moral. Petrópolis: Vozes. La Taille, Y. (2006). Moral e ética: dimensões intelectuais e afetivas. Porto Alegre: Artmed.

La Taille, Y. (2007). Desenvolvimento Humano: contribuições da Psicologia Moral. Psicologia USP, São Paulo, 18(1), 11-36. doi: 10.1590/S0103- 65642007000100002

La Taille, Y. (2009). Construção da consciência moral. Prima Facie revista de ética, Portugal, 2, 7-30.

La Taille, Y. (2010). Moral e Ética: Uma Leitura Psicológica. Psicologia: Teoria e Pesquisa, 26(num. Esp.), 105-114. doi: 10.1590/S0102-37722010000500009

La Taille, Y., Bedoian, G., & Gimenez, P. A. (1991). A construção da fronteira moral da intimidade: o lugar da confissão na hierarquia de valores morais em sujeitos de 6 a 14 anos. Psicologia, Teoria e Pesquisa, Brasília, 7(2), 91-110.

La Taille, Y., Maiorino, C., Storto, D.N., & Roos, L.C.P.V. (1992). Construção da fronteira moral da intimidade: a humilhação e a vergonha na educação moral. Cadernos de Pesquisa, São Paulo, (82), 43-45.

La Taille, Y., Duarte, C.S., & Mello, P.C. (1993). A fronteira moral da intimidade: desenvolvimento moral e construção de normas que regulam o falar-de-si. Psicologia, Teoria e Pesquisa, Brasília, 9(1), 51-73.

Leeming, D., & Boyle, M. (2013). Managing shame: An interpersonal perspective. British Journal of Social Psychology, 52(1), 140–160. doi: 10.1111/j.2044- 8309.2011.02061.x

Orth, U., Robins, R. W., & Soto, C. J. (2010). Tracking the trajectory of shame, guilt, and pride across the life span. Journal of Personality and Social Psychology, 99(6), 1061–1071. doi: 10.1037/a0021342

Piaget, J. (1994). O juízo moral na criança. Tradução de E. Leonardon. São Paulo: Summus. (Trabalho original publicado em 1932).

Piaget, J. (2005). Introdução - Problemas e Métodos. In A representação do mundo na criança (pp. 9-31). (A. U. Sobral, Trad.). Aparecida, SP: Idéias e Letras (Trabalho original publicado em 1926).

Pitt-Rivers, J. (1965 -s.d). Honra e posição social. In J. G. Peristiany (Ed.). Honra e vergonha: valores das sociedades mediterrânicas (pp. 11-55). (J. C. Lisboa, Trad). Lisboa, Fundação Calouste Gulbenkian.

Sabini, J., Garvey, B., & Hall, A. L. (2001). Shame and Embarrassment Revisited. Personality and Social Psychology Bulletin, 27(1), 104-117. doi: 10.1177/0146167201271009

Santos, A. S. (2009). Diferenças individuais na tendência para a vergonha e culpa: Antecedentes motivacionais. (Dissertação de mestrado não publicada). Universidade de Lisboa, Lisboa, Portugal.

Schimith, P. B. (2013). Psicologia da moralidade e psicanálise: um estudo sobre a vergonha. (Dissertação de Mestrado não publicada). Universidade Federal do Espírito Santo, Espírito Santo.

Stoeber, J., Harris, R. A., & Moon, P. S. (2007). Perfectionism and the experience of pride, shame, and guilt: Comparing healthy perfectionists, unhealthy perfectionists, and nonperfectionists. Personality and Individual Differences, 43(1), 131-141. doi:10.1016/j.paid.2006.11.012

Tangney, J. P., & Miller, R. S. (1996). Are shame, guilt, embarrassment distinct emotions? Journal of Personality and Social Psychology, 70(6), 1256-1269. doi: 10.1037/0022-3514.70.6.1256

Tangney, J. P., Stuewing, J., & Mashek, D. J. (2007). Moral emotions and moral behavior. Annual Review of Psychology, 58, 345-372. doi: 10.114/annurev.psych.56.091103.070145

Tangney, J. P., & Tracy, J. L. (2012). Self-conscious emotions. In M. Leary, & J. P. Tangney (Eds.), Handbook of self and identity (2a Ed., pp. 446-478). New York, NY: Guilford.

Tognetta, L. R. P., & La Taille, Y. (2008). A Formação de Personalidades Éticas: Representações de Si e Moral. Psicologia: Teoria e Pesquisa, Brasília, 24(2),181-188. doi: 10.1590/S0102-37722008000200007

Tracy, J. L., & Robins, R. W. (2006). Appraisal antecedents of shame and guilt support for a Theoretical Model. Personality and Social Psychology Bulletin, 32(10), 1339-1351. doi: 10.1177/0146167206290212




DOI: http://dx.doi.org/10.5433/2236-6407.2016v7n1p124

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Estud. Interdiscip. Psicol.
E-mail: revistaeip@uel.br
E-ISSN: 2236-6407
DOI: 10.5433/2236-6407 

 Esta obra está licenciada com uma licença Attribution 4.0 International (CC BY 4.0)