Síndrome depressiva: um estudo com pacientes e familiares no contexto da doença renal crônica

Fabrycianne Gonçalves Costa, Maria da Penha de Lima Coutinho

Resumo


No contexto da doença renal crônica, uma comorbidade frequente é a depressão, que pode estar relacionada aos fatores adversos do meio social ou inerentes ao próprio tratamento. Neste estudo, objetivou-se mensurar a sintomatologia depressiva em pacientes renais crônicos e seus cuidadores/familiares e relacioná-la as variáveis biossociodemográficas. Participaram do estudo 50 pacientes e 50 familiares, que responderam a um questionário sociodemográfico e à Escala Hospitalar de Ansiedade e Depressão. Constatou-se um índice de 20% de sintomatologia depressiva nos pacientes, sendo o índice maior entre os pacientes solteiros (50%). Nos familiares, a prevalência dos sintomas depressivos foi de 46%, observando-se correlação positiva entre o tempo de cuidado e a depressão. A incidência de depressão encontrada entre os familiares de pacientes suscita a necessidade de atendimentos psicossociais a esse grupo, que por vezes é tratado como sub-prioritário e nem sempre são assistidos pelas políticas públicas de saúde.


Palavras-chave


depressão; insuficiência renal crônica; cuidadores familiares

Texto completo:

PDF

Referências


Andrade, S. V., Sesso, R., & Diniz, D. H. M. P. (2015). Desesperança, ideação suicida e depressão em pacientes renais crônicos em tratamento por hemodiálise ou transplante. Jornal Brasileiro de Nefrologia, 37(1), 55-63. doi: 10.5935/0101-2800.20150009

Arechabala, M. C., Catoni, M. I., Palma, E., & Barrios, S. (2011). Depresión y autopercepción de la carga del cuidado em pacientes en hemodiálisis y sus cuidadores. Revista Panamericana de Salud Pública, 30(1), 74–9. doi: 10.1590/S1020-49892011000700011

Asti, T., Kara, M., Ipek, G., & Erci, B. (2006). The experiences of loneliness, depression, and social support of Turkish patients with continuous ambulatory peritoneal dialysis and their caregivers. Journal of Clinical Nursing, 15(4), 490 - 97. doi: 10.1111/j.1365-2702.2006.01330.x

Besier, T., & Goldbeck, L. (2011). Anxiety and depression in adolescents with CF and their caregivers. Journal of Cystic Fibrosis, 10(6), 435 - 442. doi: 10.1016/j.jcf.2011.06.012

Botega, N. J., Bio, M. R., Zomignani, M. A., Garcia Jr, C., & Pereira, W. A. B. (1995). Transtornos do humor em enfermaria de clínica médica e validação de escala de medida (HAD) de ansiedade e depressão. Revista Saúde Pública, 29(5), 359-363. doi: 10.1590/S0034-89101995000500004

Brasil. (2014). Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Especializada e Temática. Diretrizes Clínicas para o Cuidado ao paciente com Doença Renal Crônica – DRC no Sistema Único de Saúde/ Ministério da Saúde. Brasília: Ministério da Saúde.

Cardoso, L., Vieira, M. V., Ricci, M. A. M., & Mazza, R. S. (2012). Perspectivas atuais sobre a sobrecarga do cuidador em saúde mental. Revista da Escola de Enfermagem da Universidade de São Paulo, 46(2), 513-517. doi: http://dx.doi.org/10.1590/S0080-62342012000200033

Chilcot, J., Wellsted, D., & Farrington, F. (2010). Illness representations are associated with fluid nonadherence among hemodialysis patients. Journal of Psychosomatic Research, 68(2), 203–212. doi: 10.1016/j.jpsychores.2009.08.010

Costa, F. G. (2013). Depressão e insuficiência renal crônica: representações sociais de pacientes em hemodiálise e cuidadores. Dissertação de Mestrado, Universidade Federal da Paraíba, João Pessoa. Recuperado de http://tede.biblioteca.ufpb.br:8080/bitstream/tede/6911/1/ArquivoTotal.pdf

Costa, F. G., Coutinho, M. P. L., Melo, J. R. F., & Oliveira, M. X. (2014). Rastreamento da depressão no contexto da insuficiência renal crônica. Revista Temas em Psicologia,22(2), 445-455. doi: 10.9788/TP2014.2-14

Coutinho, M. P. L., & Costa, F. G. (2015). Depressão e insuficiência renal crônica: uma análise psicossociológica. Psicologia & Sociedade, 27(2), 448 449. doi.org/10.1590/1807-03102015v27n2p449

Cuker, G. M., & Fragnani, E. C. S. F. (2010). As dimensões psicológicas da doença renal crônica. Monografia de Conclusão de Curso de Psicologia, Universidade do Extremo Sul Catarinense, RS. Recuperado de http://www.bib.unesc.net/biblioteca/sumario/000044/0000440B.pdf

Dias, E. A. (2011). Sobrecarga vivenciada por familiares cuidadores de pacientes esquizofrênicos e sua relação com a depressão. Dissertação de mestrado, Faculdade de Ciências Médicas, Universidade Nova de Lisboa, Lisboa, Portugal. Recuperado de http://run.unl.pt/handle/10362/5932

Fernandes, J. (2009). Cuidar no domicílio e a sobrecarga do cuidador familiar. Dissertação de Mestrado, Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa. Recuperado de http://udcpplanaltomirandes.files.wordpress.com/2011/08/tese-demestrado-da-dra-jacinta.pdf

Ferreira, P. L., & Anes, E. J. (2010). Medição da qualidade de vida de insuficientes renais crônicos: criação da versão portuguesa do KDQOL-SF. Revista Portuguesa de Saúde Pública, 28(1), 31-39. Recuperado de http://www.ensp.unl.pt/dispositivos-de-apoio/cdi/cdi/sector-depublicacoes/revista/2010/pdf/vol-1-2010/03-2010.pdf

Fritz, C. O., Morris, P. E., & Richler, J. J. (2012). Effect size estimates: current use, calculations, and interpretation. Journal of Experimental Psychology: General, 141(1), 2-18. DOI: 10.1037/a0024338

Gayomali, C., Sutherland, S., & Finkelstein, F. O. (2008). The challenge for the caregiver of the patient with chronic kidney disease. Nephrol Dial Transplant., 23(12), 3749–3751. doi: 10.1093/ndt/gfn577

Kimmel, P. L., Cohen, S. D., & Peterson, R. A. (2008). Depression in patients with chronic renal disease: where are we going? Journal of Renal Nutrition, 18(1), 99–103. doi: 10.1053/j.jrn.2007.10.020

Maciel, S. C., Melo, J. R. F., Dias, C. C. V., Silva, G. L. S., & Gouveia, Y. B. (2014). Sintomas depressivos em familiares de dependentes químicos. Psicologia: Teoria e Prática, 16(2), 18-28. Recuperado em 22 de janeiro de 2016, de http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid= S1516-36872014000200002&lng=pt&tlng=pt.

Marcolino, J. A. M, Mathias, L. A. S. T, Piccinini Filho, L., Guaratini, A. A., Suzuki, F. M., & Alli, L. A. C. (2007). Escala Hospitalar de Ansiedade e Depressão: Estudo da validade de critério e da confiabilidade com pacientes no préoperatório. Revista Brasileira de Anestesiologia, 57(1), 52-62. doi: 10.1590/S0034-70942007000100006

Marques, A. K. M. C., Landim, F. L. P., Collares, P. M., & Mesquita, R. B. (2011). Apoio social na experiência do familiar cuidador. Ciência & Saúde Coletiva, 16(Supl. 1), 945-955. doi: 10.1590/S1413-81232011000700026

Miyashita, M., Narita, Y., Sakamoto, A., Kawada, N., Akiyama, M., Kayama, M. ... Fukuhara, S. (2009). Care burden and depression in caregivers caring for patients with intractable neurological diseases at home in Japan. Journal of the Neurological Sciences, 276(2), 148-152. doi: 10.1016/j.jns.2008.09.022

Moura Junior, J. A., Souza, C. A. M., Oliveira, I. R., Miranda, R. O., Teles, C., & Moura Neto, J. A. (2008). Risco de suicídio em pacientes em hemodiálise: evolução e mortalidade em três anos. Jornal Brasileiro de Psiquiatria, 57(1), 44-51. Recuperado de http://www.scielo.br/pdf/jbpsiq/v57n1/v57n1a09.pdf

Nifa, S., & Rudnicki, T. (2010). Depressão em pacientes renais crônicos em tratamento de hemodiálise. Revista da Sociedade Brasileira de Psicologia Hospitalar, 13(1), 64-75. Recuperado de http://pepsic.bvsalud.org/pdf/rsbph/v13n1/v13n1a06.pdf OMS (2016). World Health Organization. Depression. Disponível em: http://www.who.int/mediacentre/factsheets/fs369/en/.

Ramos, I. C., Queiroz, M. V. O., & Jorge, M. S. B. (2008). Cuidado em situação de doença renal crônica: representações sociais elaboradas por adolescentes. Revista Brasileira de Enfermagem, 61(2), 193-200. doi: org/10.1590/S0034-71672008000200008

Ribeiro, D. F., Marques, S. K. L., & Ribeiro, R. C. H. (2009). Processo de cuidar do idoso em diálise peritoneal ambulatorial contínua no domicílio. Acta Paulista de Enfermagem, 22(6), 761-766. Recuperado de http://www.scielo.br/pdf/ape/v22n6/a06v22n6.pdf

Ribeiro, K. C. S., Coutinho, M. P. L., & Nascimento, E. S. (2010). Representação social da depressão em uma Instituição de Ensino da Rede Pública. Psicologia Ciência e Profissão, 30(3), 448-463. doi: 10.1590/S1414- 98932010000300002

Rudnicki, T. (2014). Doença renal crônica: vivência do paciente em tratamento de hemodiálise. Contextos Clínicos, 7(1), 105-116. doi: 10.4013/ctc.2014.71.10

Saeed, Z., Ahmad, A. M., Shakoor, A., Ghafoor, F., & Kanwal, S. (2012). Depression in patients on hemodialysis and their caregivers. Saudi Journal of Kidney Diseases and Transplantation, 23(5), 946-52. doi: 10.4103/1319- 2442.100869

Sansoni, J., Vellone, E., & Piras, G. (2004). Anxiety and depression in community-dwelling, Italian Alzheimer’s disease caregivers. International Journal of Nursing Practice, 10(2), 93-100. doi: 10.1111/j.1440- 172X.2003.00461.x

Schuster, J. T., Feldens, V. P., Iser, B. P. M., & Ghislandi, G. M. (2015). Avaliação de sintomas depressivos em pacientes com insuficiência renal crônica submetidos à hemodiálise em Tubarão – Santa Catarina – Brasil. Revista da Associação Médica do Rio Grande do Sul, 59(1), 15-19.

Sezer, M. T., Eren, I., Ozcankaya, R., Civi, I., Erturk, J., & Ozturk, M. (2003). Psychological Symptoms Are Greater in Caregivers of Patients on Hemodialysis Than Those of Peritoneal Dialysis. Hemodialysis International, 7(4), 332–337. doi: 10.1046/j.1492-7535.2003.00058.x

Smith, M. D., Hong, B. A., & Robson, A. M. (1985). Diagnosis of depression in patients with end stage renal disease. The American Journal of Medicine, 79(2), 160-166.

Stasiak, C. E. S., Bazan, K. S., Kuss, R. S., Schuinski, A. F. M., & Baroni, G. (2014). Prevalência de ansiedade e depressão e suas comorbidades em pacientes com doença renal crônica em hemodiálise e diálise peritoneal. Jornal Brasileiro de Nefrologia, 36(3), 325-331. doi: 10.5935/0101- 2800.20140047

Vieira, C. P. B., Fialho, A. V. M., Freitas, C. H. A., & Jorge, M. S. B. (2011). Práticas do cuidador informal do idoso no domicílio. Revista Brasileira de Enfermagem, 64(3), 570-579. Recuperado de http://www.scielo.br/pdf/reben/v64n3/v64n3a23.pdf




DOI: http://dx.doi.org/10.5433/2236-6407.2016v7n1p38

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Estud. Interdiscip. Psicol.
E-mail: revistaeip@uel.br
E-ISSN: 2236-6407
DOI: 10.5433/2236-6407 

 Esta obra está licenciada com uma licença Attribution 4.0 International (CC BY 4.0)