Freud, racionalidade médica e a constituição do objeto psicopatológico na psicanálise: um estudo epistemológico

Kelly Moreira de Albuquerque

Resumo


Objetivamos investigar o contexto científico da época de Freud, mais especificamente, a racionalidade própria à medicina de seu tempo, quando de suas elaborações teóricas acerca das categorias do normal e patológico. Acredita-se que a elucidação dos modelos da racionalidade médica sobre normalidade e patologia contemporâneos a Freud permite uma compreensão de como ele, Freud, subverteu os aludidos modelos, transgredindo seus cânones teórico-metodológicos fundamentais, para, enfim, ter acesso ao inédito de seu objeto, o inconsciente. Para tanto, iniciaremos pela discussão foucaultiana sobre a descontinuidade entre as racionalidades das medicinas clássica e moderna. Em seguida, caracterizaremos o modelo anátomoclínico preponderante na medicina moderna, mostrando seus efeitos nas construções teóricas em psicopatologia e, numa posição subversiva, na refração freudiana. Freud pensou a doença como fenômeno totalizante, numa perspectiva dinâmica. Foi contra a ontologização da doença que ele se insurgiu. Numa posição antiobjetivista e antirreducionista, ele propôs uma concepção homogênea das perturbações anímicas, redefinindo-as enquanto formas de inserção na linguagem.

Palavras-chave


psicopatologia; psicanálise; epistemologia; clínica

Texto completo:

PDF

Referências


Assoun, P-L. (1983). Introdução à epistemologia freudiana. Rio de Janeiro: Imago.

Canguilhem, G.(2010). O normal e o patológico. Rio de Janeiro: Forense Universitária. (Originalmente publicado em 1966).

Estellita-Lins, C. E. (2007). Saúde e doença na psicanálise: sobre Georges Canguilhem e Donald W. Winnicott In: B. Bezerra Jr., F. Ortega. Winnicott e seus interlocutores (pp. 340-360). Rio de Janeiro: Relume Dumará.

Foucault, M. (2008). O nascimento da clínica. Rio de Janeiro: Forense Universitária. (Originalmente publicado em 1964).

Freud, S. (2014). Conferências Introdutórias à Psicanálise. Obras Completas, volume 13. São Paulo: Companhia das Letras. (Originalmente publicado em 1916-17).

Freud, S. (2011). Resumo da psicanálise. Obras Completas, volume 16. São Paulo: Companhia das Letras. (Originalmente publicado em 1924).

PINHEIRO, C V de Q. (2006). Saberes e práticas médicas e a constituição da identidade pessoal. Physis, Rio de Janeiro, 16(1), 45-58. doi: 10.1590/S0103-73312006000100004

PRATA, M R. (1999). O normal e o patológico em Freud. Physis: Rio de Janeiro, 9(1), 37-81.

Simanke, R. T. (2002). Metapsicologia lacaniana: os anos de formação. São Paulo: Discurso Editorial; Curitiba: Editora UFPR.




DOI: http://dx.doi.org/10.5433/2236-6407.2015v6n1p54

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Estud. Interdiscip. Psicol.
E-mail: revistaeip@uel.br
E-ISSN: 2236-6407
DOI: 10.5433/2236-6407 

 Esta obra está licenciada com uma licença Attribution 4.0 International (CC BY 4.0)