Teste de Bender (B-SPG) e DFH-escala Sisto: Validade por grupos contrastantes

Daniel Bartholomeu, Juliana Francisca Cecato, José Maria Montiel, Afonso Antonio Machado, Fermino Fernandes Sisto

Resumo


Este trabalho investigou evidências de validade por grupos contrastantes para o Teste de Bender (B-SPG) e o DFH-Escala Sisto. Os instrumentos foram aplicados a 244 alunos, 50,4% meninos, com idades de sete a 10 anos, média de oito anos (DP=1,08) que cursavam de primeira a quarta série do ensino fundamental de uma escola pública do interior do estado de São Paulo. Os testes foram aplicados coletivamente, sendo que no caso do Bender as figuras foram projetadas no quadro negro para que pudessem ser copiadas pelas crianças. Foram evidenciadas diferenças entre os grupos extremos do DFH em relação ao escore do teste de Bender em todas as situações estudadas. Concluiu-se que o Teste Gestáltico fornece uma estimativa das capacidades intelectuais de crianças e diferencia aquelas com maiores pontuações no DFH das com menores pontuações nesse teste.

Palavras-chave


: avaliação psicológica; teste de Bender; desenho da figura humana; psicodiagnóstico; desenvolvimento humano

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/2236-6407.2012v3n2p241

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Estud. Interdiscip. Psicol.
E-mail: revistaeip@uel.br
E-ISSN: 2236-6407
DOI: 10.5433/2236-6407 

 Esta obra está licenciada com uma licença Attribution 4.0 International (CC BY 4.0)