Efeitos da herança psíquica na opção pela não construção do vínculo amoroso

Sandra Aparecida Serra Zanetti, Isabel Cristina Gomes

Resumo


O presente artigo objetiva demonstrar a influência e importância da herança psíquica familiar na opção pela não construção de um vínculo amoroso compromissado, a partir da análise de um caso. Esse artigo baseia-se numa pesquisa mais ampla que visou compreender esse tipo de opção pelo viés sociocultural, econômico e psíquico-geracional, cujos resultados evidenciaram a dimensão deste último fator psíquico influenciando esse tipo de escolha.

Palavras-chave


transmissão psíquica entre gerações; psicanálise; amor

Texto completo:

PDF

Referências


Bleger, J. (1980). A entrevista psicológica. In J. Bleger, Temas de psicologia: entrevista e grupo. (pp. 7-44). São Paulo: Martins Fontes.

Castoriadis-Aulagnier, P. (1975). La violence de l’interprétation. Le pictogramme et l’énoncé, Paris: PUF. Eiguer, A. (2008). Jamais moi sans toi. Paris: Dunod.

Eiguer, A. (2009). Les mythes de la famille et du thérapeute familial et leur déconstruction. Le Carnet PSY, 3 (134), 31-35.

Féres-Carneiro, T. (2005). Conjugalidade dos Pais: possíveis influencias no projeto de casamento dos filhos. In Simpósio Nacional de Psicologia Social e do Desenvolvimento X Encontro Nacional PROCAD-Psicologia/CAPES. Violência e Desenvolvimento Humano: Textos Completos, pp. 89-97.

Fernandes, M. I. A. (2004). Algumas reflexões sobre a negatividade na construção dos laços sociais [Versão eletrônica]. Vínculo, 1 (1), 9-16.

Freud, S. (1921-2006). Psicologia de Grupo e a Análise do Ego. In S. Freud, Além do princípio de prazer psicologia de grupo e outros trabalhos. Edição Standard Brasileira das Obras Psicológicas Completas de S. Freud, Vol. XVIII. (pp. 79-154). Rio de Janeiro: Imago.

Frosh, S. (2009). O Lugar da Psicanálise no Campo da Psicologia Social. Aulas ministradas no Instituto de Psicologia nos dias 25 e 27 de agosto, 01, 03 e 04 de setembro de 2009.

Granjon, E. (2001). A elaboração do tempo genealógico no espaço do tratamento da terapia familiar psicanalítica In O. B. R. Correa (Org.), Os avatares da transmissão psíquica geracional. (pp. 17-43). São Paulo: Editora Escuta.

Haesler, L. (1992). De la transmission transgénérationnelle du traumatisme. Journal de la Psychanalyse de L’enfant, 9, 132-147. Kaës, R. (1993). Transmission de la vie psychique entre générations. Paris: Dunod

Kaës, R. (2001). O sujeito da herança. In R. Kaës; H. Faimberg et al. (Orgs.), Transmissão da vida psíquica entre gerações (pp. 9-25). São Paulo: Casa do Psicólogo.

Kaës, R. (2005). Espaços Psíquicos Compartilhados: transmissão e negatividade. São Paulo: Casa do Psicólogo.

Kaës, R. (2009). La transmission de la vie psychique et les contradictions de la modernité , In Marcel Sassolas Transmissions et soins psychiques (pp. 21- 35).

Érès Hors collection. Kaës, R. (2011). Um singular plural: a psicanálise à prova do grupo. São Paulo: Edições Loyola.

Laplanche, J. (2004). Vocabulário de Psicanálise. Laplanche e Pontalis. São Paulo: Martins Fontes. Levine, H. B. (1982). Toward a psychoanalytical undertanding of children of survivors of Holocaust. Psychoanalytical Quarterly, LI, 70-92.

Magalhães, A. S. & Féres-Carneiro, T. (2004/dezembro). Transmissão psíquicogeracional na contemporaneidade. Psicologia em Revista, Belo Horizonte, 10 (6), 243-255.

Passos, M. C. (2007, novembro). A constituição dos laços na família em tempos de individualismo. Mental, V, 5(9), 117-130.

Puget, J. ; Kaës, R et al (1989). Violence d’État et psychanalyse. Paris: Dunod. Schacht, L. (1977). Découverte de l’historicité. Nouvelle revue de psychanalyse, 15, 69-79.

Stern, J. (1986). Quarante ans après à Beer-Scheba. In P. Fédid, J. Guyotat et al, Mémoires, transferts. Paris: Ècho-Centurion.

Trachtenberg, A. R. C. (2005). Trauma, Transgeracionalidade e Intergeracionalidade: uma transformação possível. In A. R. C. Trachtenberg et al, Transgeracionalidade: de escravo a herdeiro: um destino entre gerações (pp. 119-129). São Paulo: Casa do Psicólogo.

Turato, E. R. (2003). Tratado da metodologia da pesquisa clínico-qualitativa. Petrópolis: Vozes.

Velho, G. (1986). Subjetividade e Sociedade: uma experiência de geração. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor.




DOI: http://dx.doi.org/10.5433/2236-6407.2012v3n1p57

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Estud. Interdiscip. Psicol.
E-mail: revistaeip@uel.br
E-ISSN: 2236-6407
DOI: 10.5433/2236-6407 

 Esta obra está licenciada com uma licença Attribution 4.0 International (CC BY 4.0)