Relatos de trabalhadores: percepções de aspectos físicos e sociais do ambiente organizacional

Taís Manso, Aline Cristina Barbosa Pires, Fernando Ugo, Marilda Aparecida Dantas

Resumo


O mundo do trabalho é uma esfera da vida em que a maioria dos indivíduos, em algum momento da vida, irá vivenciar. Assim, torna-se fundamental conhecer e explorar as concepções dos trabalhadores a cerca de suas experiências e aspectos relacionados ao bem-estar e saúde. O objetivo deste trabalho foi de identificar e analisar as percepções dos trabalhadores quanto a aspectos físicos e sociais do ambiente de trabalho.  Foram participantes da pesquisa 12 trabalhadores de organizações de diferentes segmentos que adoeceram no posto de trabalho e foram afastados ou necessitaram de auxílio psicológico. Após a aprovação do projeto de pesquisa pelo Comitê de Ética em Pesquisa foi realizada a coleta de dados por meio de um roteiro de entrevista semi-estruturada sobre aspectos pessoais, profissionais, sociais e percepções do trabalhador acerca do que o trabalho representa em sua vida. As respostas obtidas foram analisadas qualitativa e quantitativamente. Os relatos dos participantes indicaram a necessidade de alívio em relação ao trabalho quanto a aspectos de ritmo de trabalho e divisão de tarefas com menor carga. Outros aspectos que incomodam os trabalhadores referem-se às relações sociais, principalmente queixas da postura da liderança, na qual se sentem de certa forma desvalorizados. A presente pesquisa contribui para a ampliação do conhecimento sobre tema e para fomentar a necessidade de mais investimentos na área, a fim de possibilitar maior bem-estar aos trabalhadores de modo geral, principalmente aos aspectos biopsicossociais.

Palavras-chave


saúde; trabalho; psicólogo

Texto completo:

PDF

Referências


Almeida, L. (2004). O trabalhador no mundo contemporáneo: Psicodrama nas organizações. São Paulo: Agora.

Borsoi, I. C. F. (2007). Da relação entre trabalho e saúde/relação entre trabalho e saúde mental. Psicologia e Sociedade, 19(n. especial), 103-111.

Dejours, C. (1992). A loucura do trabalho: Estudo de psicopatologia do trabalho (5. ed. Ampliada). São Paulo: Oboré.

Fontes, A. P., Neri, A. L., & Yassuda, M. S. (2010). Enfrentamento de estresse no trabalho: relações entre idade, experiência, autoeficácia e agência. Psicologia Ciência e Profissão, 30(3), 620-633.

Luz, R. (2007). Gestão do clima organizacional (3º ed.). Rio de Janeiro: Qualitymark.

Manetti, M. L., & Marziale P. H. M. (2007). Fatores associados à depressão relacionada ao trabalho de enfermagem. Estudos de Psicologia, 12(1), 79- 85.

Martins, L. M. M., Bronzatti, J. A.G., Vieira, C. S. C. A., Parra, S. H. B., & Silva, Y. B. (2000). Agentes estressores no trabalho e sugestões para amenizálos: opiniões de enfermeiros de pós-graduação. Revista Escola de Enfermagem da USP, 34(1), 52-58.

Nascimento, E. C., Nascimento, E. & Silva, J. P. (2007). Uso de álcool e anfetaminas entre caminhoneiros de estrada. Revista de Saúde Pública, 41(2), 290- 293.

Navarro, V. L. (2003). O trabalho e a saúde do trabalhador na indústria de calçados. São Paulo na Perspectiva, 17(2), 32-41.

Oliveira, J. R. S., Viganó, M. G., Lunardelli, M. C. F., Canêo, L. C., & Goulart Jr. E. (2010). Fadiga no trabalho: Como o psicólogo pode atuar? Psicologia em Estudo, 15(3), 633-638.

Rebouças, D., Legay, L. F., & Abelha, L. (2007). Satisfação com o trabalho e impacto causado nos profissionais de serviço de saúde mental. Revista de Saúde Pública, 41(2), 244-250.

Santos, A. F. O., & Cardoso, C. L. (2010). Profissionais de saúde mental: manifestação de stress e burnout. Estudos de Psicologia de Campinas, 27(1), 67-74.

Sato, L., & Bernardo, M. H. (2005). Saúde mental e trabalho: os problemas que persistem. Ciência e Saúde Coletiva, 10(4), 869-878.

Silva, A T. C., & Menezes, P. R. (2008) Esgotamento profissional e transtornos mentais comuns em agentes comunitários de saúde. Revista de Saúde Pública, 42(5), 921-929.

Souza, S. F., Carvalho, F. M.; Araújo, T. M., & Portode, L. A. (2010). Fatores psicossociais do trabalho e transtornos mentais comuns em eletricitários. Revista de Saúde Pública, 44(4), 710-717.

Ulhôa, M. A, Marqueze, E. C., Lemos, C. C., Silva, L. G., Silva, A A, Nehme, P., Fischer, F. M. et al. (2010). Distúrbios psíquicos menores e condições de trabalho em motoristas de caminhão. Revista de Saúde Pública, 44(6), 1130-1136.




DOI: http://dx.doi.org/10.5433/2236-6407.2011v2n2p194

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Estud. Interdiscip. Psicol.
E-mail: revistaeip@uel.br
E-ISSN: 2236-6407
DOI: 10.5433/2236-6407 

 Esta obra está licenciada com uma licença Attribution 4.0 International (CC BY 4.0)