A exposição de longa duração do Museu Histórico de Londrina: limites e possibilidades de representação

Taiane Vanessa da Silva

Resumo


Busca-se com este artigo indicar os limites e possibilidades da exposição de longa duração do Museu Histórico de Londrina-PR (MHL) em relação às representações da história da cidade. A pesquisa tem como norte a análise textual qualitativa (MORAES, 2003) e o conceito de representação (CHARTIER, 1990). Selecionou-se como fonte histórica o memorial descritivo da exposição, a fim de compreender as intenções da sua produção, entre 1996 e 2000, e a narrativa construída no Museu Histórico. O documento selecionado indica o diálogo da exposição com a história “oficial” de Londrina, a qual destaca mitos fundadores e aspectos positivos da cidade em detrimento de memórias e identidades plurais. Porém, a partir de 2016, a exposição “permanente” do MHL passou a contar com intervenções e inclusões das memórias de povos indígenas, a fim de superar lacunas. Além disso, a pesquisa também aponta outras possibilidades de representações por meio de ações educativas.

Palavras-chave


Museu Histórico de Londrina; Exposição museológica; Representação; Ação educativa

Texto completo:

PDF

Referências


ADUM, Sonia Maria Sperandio Lopes. Historiografia norte paranaense: alguns apontamentos. In: ALEGRO, Regina Celia; MOLINA, Ana Heloisa; CUNHA, Maria de Fátima; et al. (Orgs.). Temas e questões para o ensino de história do Paraná. Londrina: Eduel, 2013, p. 01-26.

ARIAS NETO, José Miguel. O Eldorado: representações da política em Londrina (1930-1975). 2 ed. Londrina: EDUEL, 2008.

BENATTE, Antonio Paulo. O centro e as margens: boemia e prostituição na capital "mundial do café” (Londrina: 1930-1970). 1996. Dissertação (Mestrado em História) - Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 1996.

BITTENCOURT, Circe Maria Fernandes. Museu e seus objetos. In: BITTENCOURT, Circe Maria Fernandes. Ensino de História: Fundamentos e Métodos. São Paulo: Cortez, 2008, p. 354-360.

BRASIL. Lei nº 11.904. Institui o Estatuto de Museus e dá outras providências. Brasília: Ministério da Cultura, 2009.

BRASIL. Ministério da Cultura. IPHAN. Departamento de Museus e Centro Culturais; MINAS GERAIS. Secretaria de Estado da Cultura. Superintendência de Museus. Caderno de diretrizes museológicas I. 1. ed. Belo Horizonte, 2006.

BRUNO, Maria Cristina Oliveira. Memorial Descritivo. Conceição Geraldo. São Paulo, 22 de junho de 1998. Carta impressa.

CHARTIER, Roger. Introdução. Por uma sociologia histórica das práticas culturais. In: CHARTIER, Roger. A História Cultural entre práticas e representações. (Coleção Memória e sociedade). Tradução de Maria Manuela Galhardo. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1990, p. 13-28.

CURY, Marília Xavier. Exposição: Análise metodológica de processo de concepção, montagem e avaliação. 1999. Dissertação (Mestrado em Comunicação) ECA/USP,Universidade de São Paulo, São Paulo, 1999.

DESVALLÉES, André. et al. Conceitos-chave de Museologia. Tradução de Bruno Brulon Soares e Marilia Xavier Cury. São Paulo: Comitê Brasileiro do Conselho Internacional de Museus, 2013.

FERNANDES, Aryane Kovacs. Narrativas de quem ensina: utilização de fotografias da exposição permanente do Museu Histórico de Londrina por monitores e professores (2014). 2014. Trabalho de Conclusão de Curso (Licenciatura em História) – Universidade Estadual de Londrina. Londrina, 2014.

GINZBURG, Carlo. Distância e mentira. In: GINZBURG, Carlo. Olhos de madeira: nove reflexões sobre a distância. Tradução de Eduardo Brandão. São Paulo: Companhia das Letras, 2001, p. 42-84.

HALBWACHS, Maurice. A memória coletiva. São Paulo: Vertice, 1990.

HILDEBRANDO, Gilberto. O museu e a escola: memórias e histórias em uma cidade de formação recente – Londrina/PR. 2010. Dissertação (Mestrado em História Social) - Universidade Estadual de Londrina, Londrina, 2012.

JULIÃO, Letícia. Apontamentos sobre a história do Museu. In: NASCIMENTO, Silvania Sousa do. (Coord.). Caderno de Diretrizes Museológicas I. Belo Horizonte: Secretaria de Estado da Cultura/Superintendência de Museus, 2006a, p. 17-30.

JULIÃO, Letícia. Pesquisa Histórica no Museu. In: NASCIMENTO, Silvania Sousa do. (Coord.). Caderno de Diretrizes Museológicas I. Belo Horizonte: Secretaria de Estado da Cultura/Superintendência de Museus, 2006b, p. 91-107.

LEME, Edson José Holtz. O Teatro da Memória: o Museu Histórico de Londrina: 1959-2000. 2013. Tese (Doutorado em História) – Faculdade de Ciências e Letras, Universidade Estadual Paulista, Assis, 2013.

LE GOFF, Jacques. Documento/monumento. Enciclopédia Einaldi, v. 1, Lisboa: Imprensa Nacional/Casa da Moeda, 1984.

MARTINEZ, Cláudia Eliane P. Entre palavras e imagens: famílias negras no Museu Histórico de Londrina/PR (1970-2016). Revista de História Regional, v. 23, n. 2, 2018, p. 321-343.

MENESES, Ulpiano Toledo Bezerra de. A exposição museológica e o conhecimento histórico. In: FIGUEIREDO, Betânia Gonçalves; VIDAL, Diana Gonçalves (org.). Museus: dos gabinetes de curiosidades à museologia moderna. Belo Horizonte: Argvmentvm, 2005, p. 15-84.

MORAES, Roque. Uma tempestade de luz: a compreensão possibilitada pela análise textual discursiva. Ciência e Educação, v. 9, n. 2, 2003, p. 191-211.

NORA, Pierre. Entre Memória e História: a problemática dos lugares. Tradução de Yara Maria Aun Khoury. Projeto História, São Paulo, s.v., n. 10, 1993, p. 07-28.

POLLAK, Michael. Memória e Identidade Social. Estudos Históricos. Rio de Janeiro, v.5, n. 10, 1992, p. 200-212.

RAMOS, Francisco Régis Lopes. A danação do objeto: o museu no ensino de história. 1ª ed. Chapecó: Argos, 2004.

SANTOS, Myrian Sepúlveda dos. A escrita do passado em museus históricos. Rio de Janeiro: Garamond, 2006.

SETI. Seminário destaca acervos de culturas indígenas, 2016. Disponível em: < http://www.seti.pr.gov.br/Noticia/Seminario-destaca-acervos-de-Culturas-indigenas>. Acesso em: 29 set. 2020.

SILVA, Taiane Vanessa da. A história de Londrina em foco: apropriações da narrativa do Museu Histórico de Londrina por professoras do ensino básico (1996- 2015). 2016. Trabalho de Conclusão de Curso (Licenciatura em História) – Universidade Estadual de Londrina, Londrina, 2016.

SIMAN, Lana Mara de Castro. O papel dos mediadores culturais e da ação mediadora do professor no processo de construção do conhecimento histórico pelos alunos. In: ZARTH, Paulo A. et al. (Orgs.). Ensino de História e Educação. Ijuí: Ed. UNIJUÍ, 2004, p. 81-107.




DOI: http://dx.doi.org/10.5433/2237-9126.2021v15n28p23

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Domínios da Imagem
Telefone: 55 (43)3328-4589 
E-mail: dominiosdaimagem2@gmail.com
E-ISSN: 2237-9126