Cultura material canavieira do Cariri cearense: anos 1930-1970

Naudiney de Castro Gonçalves

Resumo


Este artigo apresenta a cultura material canavieira do Cariri cearense, produzida entre as décadas de 1930 e 1970, como fonte possível para uma abordagem historiográfica da transição tecnológica dos engenhos artesanais para a agroindústria. Propomos uma compreensão da Chapada do Araripe, localizada a aproximadamente 500 quilômetros ao sul da capital Fortaleza, enquanto paisagem cultural por abrigar tanto os vestígios materiais, quanto as expressões populares que remetem aos saberes tradicionais e ao cotidiano dos canaviais. Ao analisarmos as ruínas e os remanescentes de maquinários, nos aproximamos do campo arqueológico e museológico em busca de uma compreensão deste complexo mosaico enquanto patrimônio cultural industrial.


Palavras-chave


Cariri cearense; Patrimônio industrial; Paisagem cultural.

Texto completo:

PDF

Referências


ANDRADE, Manuel Correia de. Modernização e pobreza: a expansão da agroindústria canavieira e seu impacto ecológico e social. São Paulo: Editora da Universidade Estadual Paulista, 1994.

BRITO, Maria Socorro. Mudanças na organização do espaço: o novo e o velho Cariri canavieiro cearense. Fortaleza: IOCE, 1985.

CARTA DE NIZHNY TAGIL SOBRE O PATRIMÓNIO INDUSTRIAL (2003). Disponível em: https://ticcihbrasil.com.br/cartas/carta-de-nizhny-tagil-sobre-o-patrimonio-industrial/ Acesso em 01 set. 2020.

DEAN, Warren. A fábrica São Luiz de Itu: um estudo de arqueologia industrial. In: Anais de História. Instituto de Letras, História e Psicologia de Assis. Assis: Universidade Estadual Paulista, 1977, p. 9-25.

GARDNER, George. Viagens no Brasil: principalmente nas províncias do norte e nos distritos do ouro e do diamante durante os anos de 1836-1841. São Paulo, Rio de Janeiro, Recife, Porto Alegre: Companhia Editora Nacional, 1942.

KÜHL, Beatriz Mugayar. Preservação do Patrimônio Arquitetônico da Industrialização: Problemas Teóricos de Restauro. Cotia, SP: Ateliê Editorial, 2008.

LIMAVERDE, Rosiane. Arqueologia social inclusiva: A fundação Casa Grande e a gestão do patrimônio Cultural da Chapada do Araripe. 2015. Tese (Doutorado em Arqueologia) – Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra, Portugal, 2015.

NAJJAR, Rosana. Arqueologia histórica: manual. Brasília: IPHAN, 2005.

OLIVEIRA, Antônio José de. Engenhos de rapadura do Cariri: trabalho e cotidiano (1790-1850). 2003. Dissertação (Mestrado em História Social) – Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2003.

PATATIVA DO ASSARÉ. Antologia poética. Fortaleza: Edições Demócrito Rocha, 2008.

PERRUCI, Gadiel. A República das usinas: um estudo de história social e econômica do Nordeste, 1889-1930. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1978.

RIBEIRO, Rafael Winter. Paisagem cultural e patrimônio. Rio de Janeiro: IPHAN/COPEDOC. 2007.

SÁ, Maria Yacê Carleial Feijó de. Os homens que faziam o Tupinambá moer: experiência e trabalho em engenhos de rapadura no Cariri (1945-1980). 2007. Dissertação (Mestrado em História Social) – Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2007.

SCIFONI, Simone. Paisagem cultural. In: GRIECO, Bettina; TEIXEIRA, Luciano; THOMPSON, Analucia (Orgs.). Dicionário IPHAN de Patrimônio Cultural. 2. ed. rev. ampl. Rio de Janeiro, Brasília: IPHAN/DAF/Copedoc, 2016. (verbete).




DOI: http://dx.doi.org/10.5433/2237-9126.2021v15n28p141

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Domínios da Imagem
Telefone: 55 (43)3328-4589 
E-mail: dominiosdaimagem2@gmail.com
E-ISSN: 2237-9126