Preparando as Marcas: O caso das chocolateiras (entre interpretações da Europa e do Brasil)

Rosângela Ferreira Leite

Resumo


Neste artigo, analisaremos as trajetórias do artefato chocolateira, a partir dos contextos de popularização do chocolate quente e de transferência da Corte Bragantina para o Brasil. Buscaremos compreender como se deu a passagem do cacau ao produto chocolate. Longe de apresentar a Corte Portuguesa como propagadora de luxo, cosmopolitismo ou novos hábitos de consumo, este texto sinaliza a centralidade dos espaços coloniais para a sofisticação de mercadorias ordinárias que deram suporte à construção de uma propalada “cultura de consumo europeia”, ao longo do século XIX. Argumentaremos que esses artefatos criaram uma infusão entre as travessias do cacau e uma concepção de chocolate. Esses procedimentos envolveram as determinações dos Estados, as operações cognitivas dos sujeitos e a materialidade dos objetos.


Palavras-chave


Cultura Material; Consumo; Chocolateira; Chocolate

Texto completo:

PDF

Referências


ALGRANTI, Leila Mezan. Em Torno da Mesa do Rei: artefatos, convivialidade e celebração no Rio de Janeiro Joanino. Anais do Museu Paulista, São Paulo, v.25, n. 1, jan./ abr.2017. Disponível em:https://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-47142017000100013&lng=pt&tlng=pt.Acesso em Acesso em: 15 abr. 2019.

ALMANAK LAEMMERT: Administrativo, Mercantil e Industrial. Rio de Janeiro: Typhografia Universal de E & H Laemmert, 1908. Disponível em:http://memoria.bn.br/DocReader/Hotpage/HotpageBN.aspx?bib=313394&pagfis=34541&url=http://memoria.bn.br/docreaderAcesso em: 01 set. 2020.

ARRUDA, José Jobson de Andrade. O Brasil no Comércio Colonial. São Paulo: Ática, 1980.

BALANÇA Geral do Commercio do Reyno de Portugal com os Seus Dominios e Nações Estrangeiras. 1808-1818. Cópia da Cátedra Jaime Cortesão, São Paulo, USP.

CARDOSO, Rafael. Os Impressos Efêmeros Como Fonte Para o Estudo da História Cultural Brasileira. In: HEYNEMANN, Claudia Beatriz; RAINHO, Maria do Carmo; CARDOSO, Rafael (ed.). Marcas do Progresso: consumo e design no Brasil do século XIX. Rio de Janeiro, Mauad, 2009.

CARVALHO, Vania Carneiro de. Cultura Material, Espaço Doméstico e Musealização. Varia História, Belo Horizonte, v. 27, n. 46, 2011, p. 443-469. Disponível em: cielo.br/scielo.php?pid=S0104-7752011000200003&script=sci_abstract&tlng=pt. Acesso em 10 ago. 2020.

CROWLEY, John E. A Visual Empire. Seeing the British Atlantic World from a Global British Perspective. In: MANCKE, Elizabeth; SHAMMAS, Carole (ed.). The Creation of the British Atlantic World. Baltimore: John Hopkins University Press, 2005, p.283-303.

CUMPRIMENTO Do Aviso Expedido por V. Exª. Rio de Janeiro: [s.n.], 31/03/1808, 3 p., Orig.

DEBRET, Jean Baptiste. Viagem Pitoresca e Histórica ao Brasil. 2 t.. Belo Horizonte: Ed. Itatiaia Limitada; São Paulo: Edusp, 1989.

DIARIO MERCANTIL. Rio de Janeiro, RJ: Typ. Mercantil, 1824-1827. Disponível em: http://bndigital.bn.br/acervo-digital/diario-mercantil/706892. Acesso em: 12 jun. 2021.

FATTACCIU, Irene. Gremios y Evolución de las Pautas de Consumo en el Siglo XVIII: la industria artesanal del chocolate. In: NAVARRO, Daniel Muñoz. Comprar, Vender y Consumir: Nuevas Aportaciones a la historia del consumo en la España moderna. València: Publicaciones de la Universitat de València, 2011.

GAZETA DO RIO DE JANEIRO. Rio de Janeiro: Impr. Régia, 1808-1822. Disponível em: http://memoria.bn.br/DocReader/DocReader.aspx?bib=749664&pagfis=3. Acesso em: 20 mai.2020.

HALBWACHS, Maurice. A Memória Coletiva. São Paulo: Centauro, 2003.

KOPYTOFF, Igor. A Biografia Cultural das Coisas: a mercantilização como processo. In: APPADURAI, Arjun. A Vida Social das Coisas: As mercadorias sob uma perspectiva cultural. Niterói: Editora da UFF, 2008, p. 89-121.

KOSELLECK, Reinhart. Crítica e Crise: Uma contribuição à patogênese do mundo burguês. Rio de Janeiro: EDUERJ, 1999.

LAVEDÁN, Antonio. Tratado de los Usos, Abusos, Propriedade y Virtudes del Tabaco, Café, Té y Chocolate. Madrid: Imprenta Real, 1776. Copia digital. Valladolid: Junta de Castilha y León. Consejería de la Cultura e Turismo, 2009-2010. Disponível em: https://bibliotecadigital.jcyl.es/es/consulta/registro.cmd?id=4573. Acesso em: 05 mai.2020.

LEACH, William. Land of Desire: merchants, power and rise of new American culture. New York: Vintage Books,1993.

LEARS, Jackson. Fables of Abundance: a cultural history of advertising in America. New York: Basic books, 1994.

LEITE, Rosângela Ferreira. Nos Limites da Exclusão: ocupação territorial, organização econômica e populações livres pobres (Guarapuava, 1808-1878). São Paulo: Alameda, 2011.

LEMIRE, Beverly. Global Trade and the Transformation of Consumer Cultures: The material world remade, c. 1500-1820. Cambridge, Cambridge University Press, 2018.

LEVI-STRAUSS, Claude. Antropologia Estrutural. São Paulo: Cosac Naify, 2014.

LIMA, Tania Andrade. Chá e Simpatia: uma estratégia de gênero no Rio de Janeiro oitocentista. Anais do Museu Paulista, São Paulo, v. 05, n.1, 2009, p. 93-129.Disponível em:https://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0101-47141997000100003&script=sci_abstract&tlng=pt. Acesso em: 20 jun. 2020.

LOVEMAN, Kate. The Introduction of Chocolate into England: retailers, researchers, and consumers, 1640-1730. Journal of Social History, Oxford, v. 47, n. 01, 2013, p. 27-46.

MADUREIRA, Nuno Luís. Mercado e Privilégios. A indústria portuguesa entre 1750 e 1834. Lisboa: Editorial Estampa, 1997.

MENESES, Ulpiano Toledo Bezerra de. O Fogão da Société Anonyme Du Gaz. Sugestões para uma leitura histórica de imagem publicitária. Projeto História, São Paulo, v. 21, nov. 2000, p. 105 – 119. Disponível em: https://revistas.pucsp.br/revph/article/view/10764. Acesso em: 03 set. 2020.

MENESES, Ulpiano Toledo Bezerra de. Memória e Cultura Material: documentos pessoais no espaço público. Estudos Históricos, São Paulo, v.11, n. 21, 1998, p. 89-103. Disponível em: http://bibliotecadigital.fgv.br/ojs/index.php/reh/article/view%20File/2067/1206. Acesso em: 22 jul. 2020.

MENESES, Ulpiano Toledo Bezerra de. A Problemática da Identidade Cultural nos Museus: de objetivo (de ação) a objeto (do conhecimento). Anais do Museu Paulista, São Paulo, v. 1, 1993, p. 207-309. Disponível em: https://www.scielo.br/j/anaismp/a/8RcxDr6PPmbLfcXv37SFggm/abstract/?lang=pt. Acesso em: 03 set. 2020.

MILLER, Daniel. Trecos, Troços e Coisas: Estudos Antropológicos sobre cultura material. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2013.

MOTA, Antonia da Silva. Cotidiano e Cultura Material nos Espólios Familiares da Capitania do Maranhão, séculos XVIII e XIX. Clio Revista de Pesquisa Histórica, Recife, v.1 n. 25, 2007, p. 157-162. Disponível em: https://periodicos.ufpe.br/revistas/revistaclio/article/view/24697. Acesso em: 02 abr. 2020.

NEAL, Larry. The Rise of Financial Capitalism: International Capital Markets in the Age of Reason. Cambridge: Cambridge University Press, 2002.

NEVES, Maria Lucia Bastos Pereira das. Napoleão: Imaginário e Política em Portugal. São Paulo: Alameda Editorial, 2018.

NORTON, Marcy. Tasting Empire: chocolate and the European internalization of Mesoamerica aesthetics. The American Historical Review, Oxford, v.111, n. 03, June 2006, p. 660-691. Disponível em: https://www.jstor.org/stable/10.1086/ahr.111.3.660?seq=1. Acesso em: 03 fev. 2020.

OTERO-CLEVES, Ana Maria. Jeneros de Gusto y Sobretodos Ingleses: el impacto cultural del consumo de bienes ingleses por la clase alta bogotana del siglo XIX. Historia Critica, Bogotá, n.38, 2009, p. 20-45. Disponível em: https://dialnet.unirioja.es/ejemplar/228622. Acesso em: 10 jan. 2020.

PESAVENTO, Sandra Jatahy. Exposições Universais: Espetáculos da Modernidade. São Paulo: Hucitec, 1997.

POLANYI, Karl. A Grande Transformação: as origens da nossa época. Rio de Janeiro: Elsevier, 2012.

POMERANZ, Kenneth. A Grande Divergência: A China, a Europa e a construção da economia mundial moderna. Lisboa: Edições 70, 2013.

RICCEUR, Paul. A Memória, a História, o Esquecimento. Campinas: Editora da Unicamp, 2007.

RIELLO, Giogio (org.). Global Economic History. London: Bloomsbury, 2018.

TRENTMANN, Frank. Empire of Things. London: Allen Lane & Penguin Books, 2016.

TRENTMANN, Frank. Free Trade Nation. Oxford: Oxford University Press, 2009.

VELLOSO, José Mariano da Conceição. O Fazendeiro do Brasil: Bebidas Alimentosas Cacao. t. 3, pt. 3. Lisboa: Imprensa Régia, 1805.

VIANA JUNIOR, Fernando Santa Clara. A Corte Joanina e os Novos Hábitos Alimentares: a mudança de sensibilidades expressa na gazeta do Rio de Janeiro (1808-1821). Revista do Arquivo Geral da Cidade do Rio de Janeiro, n. 14, 2018, p. 57-76. Disponível em: http://wpro.rio.rj.gov.br/revistaagcrj/a-corte-joanina-e-os-novos-habitos-alimentares-a-mudanca-de-sensibilidades-expressa-na-gazeta-do-rio-de-janeiro-1808-1821. Acesso em: 21 fev. 2020.

ZANGGER, Andreas. Chops and Trademarks: Asian trading ports and textile branding, 1840-1920. Enterprise & Society, Oxford, v. 15, n.1, 2014, p. 759-790.




DOI: http://dx.doi.org/10.5433/2237-9126.2021v15n28p157

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Domínios da Imagem
Telefone: 55 (43)3328-4589 
E-mail: dominiosdaimagem2@gmail.com
E-ISSN: 2237-9126