Cinema, representação e relação de poder: uma análise do filme “Que horas ela volta?”

Alisson Gutemberg, Tiago José Lima

Resumo


Nossa proposta é discutir as relações de poder, por meio das imagens do filme Que Horas Ela Volta? (Anna Muylaert, 2015), construídas através dos arrolamentos sociais que envolvem o trabalho doméstico, tendo como eixo norteador a personagem Val, a partir da noção de poder proposta por Foucault (1979, 2003). Buscaremos compreender de que maneira o poder atua sobre o corpo do indivíduo, moldando, disciplinando, o comportamento social, levando em consideração também o papel da cultura em tal processo, a partir de um diálogo com autores como Elias (1990), Geertz (1989) e Morin (2011). Por fim, iremos observar de que maneira a composição da mise-en-scène ajuda na produção de sentido em congruência com a narrativa fílmica.

Palavras-chave


Imagens; Poder; Relações sociais.

Texto completo:

PDF

Referências


AUMONT, Jacques. O filme como representação visual e sonora. In: AUMONT, Jacques et al. A estética do filme. São Paulo: Papirus, 1995.

BECKER, Howard S. Falando da sociedade: ensaios sobre as diferentes maneiras de representar o social. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2009.

ELIAS, Norbert. O processo civilizador: uma história dos costumes. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 1990.

ENGELS, Friedrick. Ludwig Feuerbach e o fim da filosofia clássica alemã. Germinal: Marxismo e Educação em Debate, Salvador, v. 4, n. 2, p. 131-166, 2013.

FOUCAULT, Michel. Microfísica do poder. Rio de Janeiro: Graal, 1979.

FOUCAULT, Michel. Estratégia, poder-saber. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2003.

GEERTZ, Clifford. O impacto do conceito de cultura sobre o conceito de homem. In: GEERTZ, Clifford. A Interpretação das culturas. Rio de Janeiro: LTC, 1989. p. 25-40.

GUATTARI, Felix. Da produção da subjetividade. In: GUATTARI, Felix. Caosmose: um novo paradigma estético. Rio de Janeiro: Ed 34, 1992.

GIDDENS, Anthony. Modernidade e identidade. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2002.

KONDER, Leandro. O que é dialética. São Paulo: Brasiliense, 1985.

LYOTARD, Jean-François. O pós-moderno. Rio de Janeiro: José Olympio, 1986.

MARCUSE, Herbert. Ideias sobre uma teoria crítica da sociedade. Rio de Janeiro: Zahar, 1972.

METZ, Christian. A significação no cinema. São Paulo: Perspectiva, 1977.

MORIN, Edgar. O cinema ou o homem imaginário. Lisboa: Relógio D´água Editores, 1997.

MORIN, Edgar. O método 4. As ideias: habitat, vida, costumes, organização. Porto Alegre: Sulina, 2011.

QUE Horas ela volta?. Dirigido por Anna Muylaert. Produção de Fabiano Gullane, Caio Gullane, Débora Ivanov e Anna Muylaert. Brasil: África Filmes, 2015. 1 DVD.

SOUZA, Washington Luis. Ensaio sobre a noção de poder em Michel Foucault. Revista Múltiplas Leituras, São Paulo, v. 4, n. 2, p. 103-124, 2011.




DOI: http://dx.doi.org/10.5433/2237-9126.2017v11n20p298

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Domínios da Imagem
Telefone: 55 (43)3328-4589 
E-mail: dominiosdaimagem2@gmail.com
E-ISSN: 2237-9126