O perigo amarelo nas histórias em quadrinhos: Capitão América e discurso antinipônico nos Estados Unidos durante a Segunda Guerra Mundial

Richard André

Resumo


Este texto pretende demonstrar como as histórias em quadrinhos (HQ) constituem fontes que, articulando imagem e texto, possuem relações com o contexto histórico no qual foram produzidas, a despeito de sua natureza ficcional. Nesse sentido, os quadrinhos do Capitão América, durante a Segunda Guerra Mundial, foram utilizados como instrumentos que reelaboravam os principais elementos alardeados pelo discurso antinipônico nos Estados Unidos, principalmente a questão do perigo amarelo, associado à ideia de ameaça imperialista e militar. As HQ em foco assumiam, em parte, a função de educação dos olhares, reconstruindo e legitimando as ideologias bélicas do governo norte-americano. Como fontes, foram selecionadas algumas capas produzidas na conjuntura analisada, dada sua importância como protocolo de leitura. Da perspectiva epistemológica, foram adotados os conceitos de representação e apropriação propostos por Roger Chartier, bem como procedimentos para a interpretação de imagens como documentos para a pesquisa histórica.

Palavras-chave


Histórias em quadrinhos; Perigo amarelo; Capitão América

Texto completo:

PDF

Referências


ALBUQUERQUE, Eduardo Basto de. Transformações gerais na sociedade japonêsa e imigração para o Brasil. In: O japonês em São Paulo e no Brasil. São Paulo: Centro de Estudos Nipo-Brasileiros, 1971. p. 50-57.

ANDRÉ, Richard Gonçalves. A educação do olhar: discurso antinipônico e histórias em quadrinhos nos Estados Unidos. In: ENCONTRO DE PESQUISA EM EDUCAÇÃO DA REGIÃO SUL - ANPED SUL, n. 8, 2010, Londrina. Anais do VIII Encontro de Pesquisa em Educação da Região Sul - ANPED SUL, 2010.

ANDRÉ, Richard Gonçalves. O paraíso entre luzes e sombras: representações de natureza em fontes fotográficas (Londrina,1934-1944). Londrina: EDUEL, 2014.

BENEDICT, R. O crisântemo e a espada: padrões da cultura japonesa. São Paulo: Editora Perspectiva, 1972. CALAZANS, Flávio. História em quadrinhos na escola. São Paulo: Paulus, 2008.

CARONTINI, E.; PERAYA, D. O projeto semiótico: elementos de semiótica geral. São Paulo: Cultrix, EDUSP, 1979. p. 19-25.

CARVALHO, José Murilo. Formação das almas: o imaginário da República no Brasil. São Paulo: Companhia das Letras, 1990.

CHARTIER, Roger. À beira da falésia: a História entre certezas e inquietudes. Porto Alegre: Ed. Universidade/UFRGS, 2002.

DEZEM, Rogério. Matizes do “amarelo”: a gênese dos discursos sobre os orientais no Brasil (1878-1908). São Paulo: Associação Editorial Humanitas, 2005.

DUBOIS, Phillipe. O ato fotográfico. 7. ed. Campinas: Papirus, 1993. ECO, U. Leitura de “Steve Canyon”. In: Apocalípticos e integrados. 5. ed. São Paulo: Editora Perspectiva, 1993. p. 144 – 150.

FABRIS, A. Identidades virtuais: uma leitura do retrato fotográfico. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2004.

GASKELL, Ivan. História das imagens. In: BURKE, Peter (Org.). A escrita da História: novas perspectivas. São Paulo: EDUNESP, 1991. p. 237-271.

KOSSOY, Boris. Realidades e ficções na trama fotográfica. 3. ed. Cotia: Ateliê Editorial, 2002.

MARIN, Louis. Ler um quadro – uma carta de Poussin em 1639. In: CHARTIER, Roger (Org.). Práticas da leitura. 2. ed. São Paulo: Estação Liberdade, 2001. p. 117-140.

MINISTRY of Foreign Affairs. Overseas Migration Statistics. Tokyo, 1964.

PARRILLA, Franciele Aline. Chico Bento, um caipira do campo ou da cidade. 2006. Dissertação (Mestrado em História) – Universidade Estadual Paulista, Assis, 2006.

PÉCORA, Alcir. Introdução. In: CHARTIER, Roger (Org.). Práticas de leitura. 2. ed. São Paulo: Estação Liberdade, 2001. p. 9-17.

RAMA, Angela; VERGUEIRO, Waldomiro (Orgs.). Como usar as histórias em quadrinhos na sala de aula. São Paulo: Contexto, 2009a.

RAMA, Angela; WERGUEIRO, Waldomiro. Uso das HQS no ensino. In: RAMA, A.; VERGUEIRO, W. (Orgs.). Como usar as histórias em quadrinhos na sala de aula. São Paulo: Contexto, 2009b. p. 7-29.

TSUNEYOSHI, Azusa. Meiji pioneers: the early Japanese immigrants to the American Far West and Southwest, 1880-1930. Dissertation (Doctor’s Degree in History and Political Science) – Northern Arizona University, Arizona, 1989.

VOVELLE, Michel. Imagens e imaginário na História: fantasmas e certezas nas mentalidades desde a Idade Média até o século XX. São Paulo: Editora Ática, 1997.




DOI: http://dx.doi.org/10.5433/2237-9126.2014v8n16p113

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Domínios da Imagem
Telefone: 55 (43)3328-4589 
E-mail: dominiosdaimagem2@gmail.com
E-ISSN: 2237-9126