Entre o contexto e a linguagem: o discurso fotográfico e a pesquisa histórica

Richard Gonçalves André

Resumo


Este artigo tem por objetivo demonstrar como a fotografia pode ser objeto de análise histórica. Pretende-se sugerir que o documento imagético é uma representação, ou seja, uma
construção de concepções a partir de espaços, tempos e lugares sociais perpassados de especificidade. Desta forma, é necessário compreender as fontes iconográficas tendo em vista os autores, sua posição no jogo social, a apropriação que realizam de convenções, os meios que utilizam para reproduzir os artefatos culturais e os públicos aos quais estes se destinam, que atribuem novos sentidos às obras. Além disso, é preciso compreender as articulações dos signos icônicos no interior da linguagem fotográfica.


Palavras-chave


Fotorafia; História; Representação

Texto completo:

PDF

Referências


ADAMS, A. A câmera. Trad. Alexandre Roberto de Carvalho. 2. ed., São Paulo: Ed. SENAC, 2002.

ANDRÉ, R. G. Entre o mito e a técnica: representações de natureza em fontes fotográficas. Dissertação (História). UNESP, Assis, 2006.

ANDRÉ, R. G. Um contexto, dois olhares: fotografias de natureza segundo José Juliani e Haruo Ohara. Revista História Social, n. 11, 2005.

ARRUDA, G. Monumentos, semióforos e natureza nas fronteiras. In: ARRUDA, G. (org.). Natureza, fronteiras e territórios. Londrina: EDUEL, 2005.

BARTHES, R. Elementos de semiologia. São Paulo: Cultrix, 1987.

BARTHES, R. O sistema da moda. Lisboa: Edições 70, 1999.

BARTHES, R. A câmara clara: notas sobre a fotografia. Trad. Júlio Castañon Guimarães. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1984.

BLOCH, M. Introdução à história. Trad. Maria Manuel, Rui Grácio e Vítor Romaneiro. Lisboa: Europa-América, 1997.

BOURDIEU, P. A Génese dos conceitos de habitus e de campo. In: O poder simbólico. Trad. Fernando Tomaz. Rio de Janeiro: Bertand Brasil, 2000.

CARONTINI, E.; PERAYA, D. O projeto semiótico: elementos de semiótica geral. São Paulo: Cultrix, EDUSP, 1979.

CHARTIER, R. A história cultural: entre práticas e representações. Lisboa, Rio de Janeiro: Difel, Bertand Brasil, 1990.

DUBOIS, P. O ato fotográfico e outros ensaios. Trad. Marina Appenzeller. Campinas: Papirus, 1993.

FABRIS, A. Identidade/Identificação. In: FABRIS, A. Identidades virtuais: uma leitura do retrato fotográfico. Belo Horizonte: Ed. UFMG, 2004.

GASKELL, I. História das imagens. In: BURKE, P. (org.). A escrita da história: novas perspectivas. Trad. Magda Lopes. São Paulo: EDUNESP, 1991.

KOSSOY, B. Fotografia e história. São Paulo: Ática, 1989.

KOSSOY, B. Realidades e ficções na trama fotográfica. São Paulo: Ateliê Editorial, 2002.

KOSSOY, B. Dicionário histórico-fotográfico brasileiro. São Paulo: Instituto Moreira Salles, 2002.

LANGLOIS, C.; SEIGNOBOS, C. Introdução aos estudos históricos. São Paulo: Editora Renascença, 1946.

MARIN, L. Ler um quadro – uma carta de Poussin em 1639. In: CHARTIER, R. (org.). Práticas de leitura. Trad. Cristiane Nascimento, São Paulo: Estação Liberdade, 2001.

REIS, J. C. A História metódica, dita “positivista”. Pós-História, n. 3, 1995.

SONTAG, S. Ensaios sobre fotografia. Trad. Joaquim Paiva. Rio de Janeiro: Arbor, 1981.

THOMPSON, E. P. A Miséria da teoria ou um planetário de erros: uma crítica ao pensamento de Althusser. Trad. Waltensir Dutra. Rio de Janeiro: Zahar Editores, 1981.

VOVELLE, M. O luto burguês: dos avisos fúnebres à estatuária funerária. In: VOVELLE, M. Imagens e imaginário na história: fantasmas e certezas nas mentalidades desde a Idade Média até o século XX. Trad. Maria Julia Goldwasser. São Paulo: Editora Ática, 1997.




DOI: http://dx.doi.org/10.5433/2237-9126.2009v3n5p153

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Domínios da Imagem
Telefone: 55 (43)3328-4589 
E-mail: dominiosdaimagem2@gmail.com
E-ISSN: 2237-9126