A fotografia mortuária no contexto familiar: estudo de retratos produzidos em Bela Vista de Goiás (1920-1960)

Déborah Borges

Resumo


Este trabalho propõe análises sobre as maneiras pelas quais famílias enlutadas utilizaram os retratos de pessoas falecidas no período de luto. Para isto, fixamos a cidade de Bela Vista de Goiás como espaço para a investigação, tentando estabelecer relações entre o conteúdo expresso nas fotografias, produzidas entre as décadas de 1920 e 1960, e o contexto cultural que cercava a produção e os usos destas imagens. Assim, esta pesquisa busca contribuir com as discussões acerca das mentalidades coletivas sobre morte e rituais de morte, além de refletir sobre um tipo específico de uso da fotografia num processo de construção de memórias familiares.


Palavras-chave


Morte; Fotografia; Bela Vista de Goiás.

Texto completo:

PDF

Referências


AMAR, Pierre-Jean. História da Fotografia. Tradução de Vitor Silva. Lisboa, Portugal: Edições 70, 2001.

ARANTES, Maria Adélia Mendonça. Terra branca, terra vermelha. Rio de Janeiro: Edições Galo Branco, 2007.

BAYARD, Jean-Pierre. Sentido oculto dos ritos mortuários: morrer é morrer? São Paulo: Paulus, 1996.

BOLLOCH, Joëlle. Photographie après décès: pratique, usages et functions. In: Le dernier Portrait. Musée d’Orsay, Paris: Réunion des Musées Nationaux, 2002.

HALBWACHS, Maurice. A memória coletiva. São Paulo: Centauro, 2004.

KOSSOY, Boris. Fotografia e memória: reconstituição por meio da fotografia. In: SAMAIN, Etienne (Org.). O fotográfico. São Paulo: Editora Hucitec/Editora Senac São Paulo, 2005.

KOURY, Mauro Guilherme Pinheiro (Org.). Você fotografa os seus mortos?. In: Imagem e memória – ensaios em Antropologia Visual. Rio de Janeiro: Garamond, 2001.

LEMOS, Carlos A. C. Retratos quase inocentes. São Paulo: Nobel, 1983.

MARANHÃO, José Luiz de Souza. O que é morte. São Paulo: Brasiliense, 1986.

MELLID, Marisol Romo. Fotografiar a los muertos. 2006. Disponível em http://www. antecamara.com.mx/nuevo/modules.php?o p=modload&name=PagEd&file=index& printerfriendly=1&page_id=706. Acesso em: 20 jun. 2013.

MENEZES, Rachel Aisengart. Em busca da boa morte: antropologia dos cuidados paliativos. Rio de Janeiro: Garamond: Fiocruz, 2004.

NORMAND-ROMAIN, Antoinette. Mémoire de Marbre: la sculpture funéraire en France (1804-1914). Paris: Bibliothèque histoique de la Ville de Paris, 1995.

PREGO, Messias Ferreira. Depoimento. Entrevista concedida à autora. Bela Vista de Goiás, mar. 2006.

RAYNAUD, Clémence. Du cortège funèbre au portrait posthume: fonctions et enjeux du masque mortuaire à la fin du Moyen Age. In: Le dernier Portrait. Musée d’Orsay, Paris: Réunion des Musées Nationaux, 2002.

RIEDL, Titus. Últimas Lembranças. Retratos da morte, no Cariri, região do Nordeste Brasileiro. São Paulo: Annablume, Fortaleza: Secult, 2002.

RIERA, Alberto. Introducción a la fotografia post mortem. 2006. Disponível em http:// www.caborian.com/content/view/574/142/. Acesso em: 20 jun. 2013. RODRIGUES, José Carlos. Tabu da morte. Rio de Janeiro: Achiamé, 1983.

RUBY, Jay. Secure the shadow: death and photography in América. USA: The MIT Press, 1995.

SILVA, Eliane Moura. Vida e Morte: o homem no labirinto da eternidade. 1993. 247 f. Tese (Doutorado em História) – Instituto de Filosofia e Ciências Humanas da Universidade Estadual de Campinas, Campinas. 1993.

SONTAG, Susan. Diante da dor dos outros. São Paulo: Companhia das Letras, 2003.

TELES, Nair Alves. Depoimento. Entrevista concedida à autora. Bela Vista de Goiás, jun. 2006.




DOI: http://dx.doi.org/10.5433/2237-9126.2013v7n13p24

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Domínios da Imagem
Telefone: 55 (43)3328-4589 
E-mail: dominiosdaimagem2@gmail.com
E-ISSN: 2237-9126