Fotolivro: cotidiano e tradições da comunidade Juçatuba

Marcus Elicius dos Santos Garcez, Silvio Rogério Rocha de Castro, Mary Aurea de Almeida Costa Everton

Resumo


Este trabalho tem por objetivo refletir sobre as imagens fotográficas como fonte de informação e memória, através do fotolivro “Juçatuba: cotidiano e tradições”. Para tanto, traz análises ao longo do artigo sobre a importância deste trabalho para a comunicação e, ainda, as etapas de construção do fotolivro. A metodologia envolve pesquisa exploratória e participante, com observações em campo, realizações de ensaios fotográficos, entrevistas semiestruturadas, além de pesquisas bibliográficas e documental.

Palavras-chave


Comunicação; Fotografia documental; Juçatuba; Memória

Texto completo:

PDF

Referências


FUNDAÇÃO PALMARES. Comunidades remanescentes de quilombos (CRQ’s). Disponível em:. Acesso em: 7 de jul. 2017.

ANDRADE, Rosane de. Fotografia e antropologia: olhares fora-dentro. São Paulo: Estação da Liberdade: EUDC, 2002.

BARBOSA, Carlos A.S. Fotolivros e história comparada da fotografia na América Latina: reflexões teóricas e possibilidades de investigação. IV Encontro Nacional de Estudos da Imagem. I Encontro Internacional de Estudos da Imagem. Londrina, Maio de 2013.

BARBOSA, Marialva. Comunicação e história: presente e passado em atos narrativos. Comunicação, Mídia e Consumo. São Paulo v. 6, n. 16, p. 11-27 jul. 2009. Disponível em:

______. O presente e o passado como processo comunicacional. São Paulo: Matrizes, v. 5, p. 145-155, 2012.

BARTHES, Roland. A câmara clara: nota sobre a fotografia. Tradução Júlio Castañon Guimarães. - [ed. especial] - Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2015.

BONI, Paulo César; MORESCHI, Bruna Maria. Fotoetnografia: a importância da fotografia para o resgate etnográfico. Revista Digital de Cinema Documentário, n. 3, dez. 2007, p.137-157. Disponível em:< http://www.doc.ubi.pt/03/artigo_paulo_cesar_boni.pdf>. Acesso em: 15 mar. 2018.

BRAGA, José Luiz. Constituição do campo da comunicação. Verso e Reverso. v. 25, n. 58, jan./abr. 2011. p. 62-77.

COLLIER, John. Antropologia visual: a fotografia como método de pesquisa; tradução Iara Ferraz e Solange Martins Couceiro. São Paulo: EPU, Ed. da Universidade de São Paulo, 1973.

CORRÊA, Manoel Luiz Gonçalves. Linguagem e comunicação social: visões da linguística moderna. São Paulo: Parábola, 2002.

DIDI-HUBERMAN, Georges. Quando as imagens tocam o real. Pós: Belo Horizonte, v. 2, n. 4, p. 204-219, nov. 2012.

DUBOIS, Philipe. O ato fotográfico e outros ensaios. Tradução Marina Appenzeller. - Campinas, SP: Papirus, 1993.

FRANÇA, Vera Veiga. Paradigmas da comunicação: conhecer o quê? Revista Ciberlegenda. n. 5, 2011.

GODOY, Arilda Schmidt. Pesquisa qualitativa: tipos fundamentais. Revista de Administração de Empresas. São Paulo, v. 35, n. 3, p. 20-29. maio/jun., 1995.

HARREL, W.M. Thomaz. Da pintura rupestre à fotografia. Manual de Fotografia (2002). Disponível em: . Acesso em: 13 out. 2018.

KOSSOY, Boris. Fotografia e História. 4. ed. São Paulo: Ateliê Editorial, 2012.

MARTINS, José de Souza. A fotografia e a vida cotidiana: ocultações e revelações. In: Sociologia da Fotografia e da Imagem. São Paulo: Contexto, 2008.

MAUAD, Ana Maria. Através da imagem: fotografia e história, interfaces. Tempo. Rio de Janeiro, v. 1, n. 2, 1996, p. 73-98.

NOVAES, Sylvia Caiuby. A construção de imagens na pesquisa de campo. Iluminuras, Porto Alegre, v. 13, n. 31, p.11-29, jul./dez. 2012.

PRODANOV, Cleber Cristiano; FREITAS, Ernani Cesar de. Metodologia do trabalho científico [recurso eletrônico]: métodos e técnicas da pesquisa e do trabalho acadêmico. 2. ed. - Novo Hamburgo: Feevale, 2013.

PETER, Jorge; SILVA, Verônica Monteira da. Um curso de fotografia na sua essência. Rio de Janeiro: Mauad, 1999.

SALVAGNI, Julice; SILVEIRA, Marco Antônio Negri da. Discursos imagéticos: a fotografia como método da pesquisa social. Anais eletrônicos do II encontro História, Imagens e Cultura visual – 8 e 9 de agosto de 2013. Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre. 2013.

SODRÉ, Muniz. A comunicação eletrônica é epistemóloga. Parágrafo. jan./jun. 2015, v. 1, n. 3 (2015). Disponível em: < http://revistaseletronicas. fiamfaam.br/index.php/ recicofi / article/view/289 > Acesso em: 06 de julho de 2017.

SODRÉ, Muniz. A televisão é uma forma de vida. Revista Famecos. Porto Alegre: Programa de Pós-Graduação em Comunicação Social da Faculdade de Comunicação Social - PUC-RS, n. 16, 2001. Disponível em: < http://revistaseletronicas. pucrs.br/ojs/ index.php/ revistafamecos/article/view/3135/2406 > Acesso em: 06 de julho de 2017.

SODRÉ, Muniz. Sobre a episteme comunicacional. Revista Matrizes, São Paulo, n. 1, 10/ 2007. Disponível em: Acesso em: 06 de jul. 2017.




DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1984-7939.2019v15n27p84

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

Discursos Fotogr.

Londrina - PR

DOI: 10.5433/1984-7939

EISSN: 1984-7939

Email: revistadiscursos@uel.br




 
Esta obra está licenciada com uma licença Creative Commons Atribuição-Não comercial 4.0 Internacional.