Novos modos de vestir na contemporaneidade: por um embaralhamento de fronteiras

Maria Isabel Rodrigues Orofino, Francisco Silva Mitraud

Resumo


Neste artigo, analisamos as revoluções culturais e estruturais ocorridas na pós-modernidade no campo da estética, das paisagens urbanas, do trabalho e na sensibilidade dos sujeitos. As transformações do sistema capitalista, como o surgimento dos grandes conglomerados, o capitalismo global e a acumulação flexível, criam novas práticas de consumo, mas também novas formas de fruição. Apesar de pressionado pelas injunções hegemônicas, os sujeitos resistem e encontram brechas. Nesse contexto, novas formas de vestir fazem parte do cenário pós-moderno e denotam um embaralhamento de fronteiras.

Palavras-chave


Design de Moda. Pós-modernidade. Estética. Práticas de Consumo. Vestuário.



DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1984-7939.2015v11n18p35



Discursos Fotogr.

Londrina - PR

DOI: 10.5433/1984-7939

EISSN: 1984-7939

Email: revistadiscursos@uel.br




 
Esta obra está licenciada com uma licença Creative Commons Atribuição-Não comercial 4.0 Internacional.