A questão da memória nos fotógrafos ficcionais de Italo Calvino, Adolfo Bioy Casares e Julio Cortázar

Carolina Martins Etcheverry, Bruna Rajão Frio, Olívia Silva Nery

Resumo


Este artigo propõe a análise de três contos que envolvem questões de memória e fotografia:“As aventuras de um fotógrafo” (1955), de Italo Calvino, “As babas do diabo” (1959), de Julio Cortázar e “A invenção de Morel” (1963), de Adolfo Bioy Casares, a fim de refletir sobre as relações entre a fotografia, a memória e o comportamento social do fotógrafo enquanto fotógrafo. Em todos esses casos, a fotografia (ou a reprodução do “real” vivido)aparece em sua relação com a memória como evocadora do passado.


Palavras-chave


Análise Fotográfica. Memória. Literatura.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1984-7939.2014v10n17p139



Discursos Fotogr.

Londrina - PR

DOI: 10.5433/1984-7939

EISSN: 1984-7939

Email: revistadiscursos@uel.br




 
Esta obra está licenciada com uma licença Creative Commons Atribuição-Não comercial 4.0 Internacional.