O “olhar pós-moderno”: o sublime, o reticular e o estranho-familiar em foco

Maria Ogécia Drigo

Resumo


Com o propósito de rever as noções de sublime, simulacro e estranho-familiar, buscamos contribuições em teorias de Burke, Mario Costa, Sartre e Freud e valemo-nos de análises de representações visuais, considerando-as como indícios do real. As reflexões podem contribuir para caracterizar a modalidade de visão que se constrói na pós-modernidade e, no que se refere à comunicação, permitem conjeturar sobre o fato de que a técnica não é algo externo ao homem, mas que influencia a sua forma de perceber e de se relacionar com os objetos e com as pessoas.

 


Palavras-chave


Cultura Visual. Sublime. Reticular. Estranho-familiar.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1984-7939.2014v10n16p191



Discursos Fotogr.

Londrina - PR

DOI: 10.5433/1984-7939

EISSN: 1984-7939

Email: revistadiscursos@uel.br




 
Esta obra está licenciada com uma licença Creative Commons Atribuição-Não comercial 4.0 Internacional.