Para salvar do esquecimento: da fotografia ao teatro da morte de Tadeusz Kantor

Thais Helena D’Abronzo, Maria Irene Pellegrino de Oliveira Souza

Resumo


A fotografia é acreditada como meio de registrar momentos para acariciar a memória; é em sua essência um fragmento da realidade embalsamado no tempo.  No entanto a realidade fotográfica, entendida como realidade da morte, acaricia a vida lembrando-a de suas perdas. No decorrer desse artigo pretende-se pensar a fotografia – por seu corte espaço-temporal – como um objeto de ruptura com a realidade cotidiana. Propõe-se também a apresentar o “teatro da morte” do encenador polonês Tadeusz Kantor refletindo sobre a natureza desse teatro e a linguagem fotográfica.


Palavras-chave


Análise Fotográfica. Teatro. Memória. Morte.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1984-7939.2006v2n2p237



Discursos Fotogr.

Londrina - PR

DOI: 10.5433/1984-7939

EISSN: 1984-7939

Email: revistadiscursos@uel.br




 
Esta obra está licenciada com uma licença Creative Commons Atribuição-Não comercial 4.0 Internacional.