Imagens do inimaginável: fotografia e a (re)presentação do evento

Sergio Roncallo, Juan Carlos Arias

Resumo


Nós parecemos viver em um tempo em que a imagem é onipresente. O diagnóstico de Guy Debord, em meados de 1960, sobre a imagem vindoura da realidade, parece ser relevante para descrever a contemporaneidade. Chegamos ao ponto em que o surpreendente não é a imagem do extraordinário, mas a falta dela. Hoje, a conexão entre eventos extraordinários e imagens parece ser natural. Entretanto, ainda seria legítimo questionar o que as imagens podem fazer em relação a tais eventos? O que a fotografia pode fazer frente ao inimaginável? Neste texto, gostaríamos de apresentar três casos que poderiam servir, e, na verdade foram usados, para responder a esta questão sobre a possível relação entre a fotografia e o evento.

Palavras-chave


Análise Fotográfica.Filosofia da Imagem. Imaginário.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1984-7939.2013v9n14p141



Discursos Fotogr.

Londrina - PR

DOI: 10.5433/1984-7939

EISSN: 1984-7939

Email: revistadiscursos@uel.br




 
Esta obra está licenciada com uma licença Creative Commons Atribuição-Não comercial 4.0 Internacional.