O que escrever quer dizer, uma leitura de “Da cabula”

Julio Souto Salom, Luciéle Bernardi de Souza

Resumo


Focaremos neste artigo a relação entre as culturas dominadas ou populares, e a cultura dominante ou canônica, plasmada especialmente nos âmbitos da oralidade e a escrita. Para tal fim, servimo-nos como provocação da peça Da Cabula, de Allan da Rosa, contextualizada dentro da chamada Literatura Marginal. Nesta peça o tema central será a apropriação da escrita por uma mulher analfabeta, mas ao mesmo tempo, esta aquisição será compatibilizada com a afirmação da própria identidade e das raízes afrodescendentes. A partir das singularidades desta peça (considerando as conotações e as representações do enredo, aspectos formais como o registro escrito da oralidade, até a mesma apresentação gráfica do livro), e da trajetória da Literatura Marginal dentro do campo literário brasileiro, refletiremos nas possibilidades de empoderamento de sujeitos subalternos através das utilizações rituais da palavra.

Palavras-chave


Cultura popular; Oralidade; Literatura Marginal

Texto completo:

PDF

Referências


ALMEIDA, Alfredo Wagner Berno; OLIVEIRA Osvaldo Martins de. Caderno de debates Nova Cartografia Social: Territórios quilombolas e conflitos – Manaus: Projeto Nova Cartografia Social da Amazônia / UEA Edições, 2010.

BOURDIEU, Pierre. A Economia das Trocas Simbólicas: o que falar quer dizer. Trad. Sérgio Miceli et al. São Paulo: Perspectiva, 1992.

BOURDIEU, Pierre. As Regras da Arte: Gênese e Estrutura do Campo Literário. Trad. Maria Lúcia Machado. São Paulo: Companhia das Letras, 1996.

CANCLINI, Néstor García. Culturas híbridas: estratégias para entrar e sair da modernidade. Tradução Ana Regina Lessa e Heloísa Pezza Cintrão. São Paulo: EDUSP. 2008.

CANDIDO, Antonio. A educação pela noite & outros ensaios. São Paulo: Ática, 1987.

CANDIDO, Antonio. Dialética da Malandragem (caracterização das Memórias de um sargento de milícias). Revista do Instituto de estudos brasileiros, São Paulo, n. 8, 1970.

CHARTIER, Roger. Formas e sentido – cultura escrita: entre distinção e apropriação. Campinas: Mercado de Letras: Associação de Leitura do Brasil, 2003.

CORNEJO POLAR, Antonio. Una heterogeneidad no dialéctica: Sujeto y discurso migrantes en el Perú moderno. Revista Iberoamericana, Pittsburgh, v. 172, n. 176 177, Jul./Dic. 1996.

DA ROSA, Allan. Da Cabula. São Paulo, Editora Global, 2008.

DA ROSA, Allan. A parabélum e o passarinho (Entrevista). Revista eletrônica Darandina, Juiz de Fora, v. 3, n. 2, dez. 2010. Disponível em: http://www.ufjf.br/darandina/files/2011/07/Entrevista-Allan-da-Rosa.pdf Acessado em ago de 2012.

DA ROSA, Allan. A palavra que está fervendo. Entrevista concedida ao blog Política Cultural das Ruas. Disponível em http://revistaraiz.uol.com.br/politicas/cooperifa.html. Acesso em: Jul. 2012.

FERRÉZ. Terrorismo literário. In: FERRÉZ (org.) Literatura Marginal: Talentos da escrita periférica. Rio de Janeiro: Ed. Agir, 2005.

JESUS, Carolina Maria de. Quarto de despejo: diário de uma favelada. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1960.

NASCIMENTO, Érica Peçanha, Vozes Marginais na Literatura. Rio de Janeiro: Aeroplano, 2009.

NORDMANN, Charlotte. Bourdieu/Rancière: La política entre sociología y filosofía. Buenos Aires: Nueva Visión, 2010.

PATROCÍNIO, Paulo Roberto Tonani do. Allan Santos da Rosa, um outro olhar sobre a periferia. Revista Ipotesi, Juiz de Fora, v.15, n.2, jul./dez. 2011. Numero Especial.

PELLEGRINI, Tânia. No fio da navalha: literatura e violência no Brasil de hoje. Estudos de Literatura Brasileira Contemporânea, Brasília, n. 24, jul./dez. 2004.

ROCHA, João César de Castro. A guerra de relatos no brasil contemporâneo. Ou: “a dialética da marginalidade”. Tradução: Marcus De Martini e Lawrence Flores Pereira. Revista Letras, Santa Maria, n. 32, jan./ jun. 2006.

RAMOS, Luiz Fernando Ramos. A rubrica como literatura da teatralidade: modelos textuais & poéticas da cena. Revista Sala Preta,São Paulo, v. 1, n.1, 2011.

RANCIERE, Jacques. O efeito de realidade e a política da ficção. Tradução: Carolina Santos. Novos Estudos, São Paulo, n. 86, 2010.

SOUZA, Jessé. A modernização seletiva: uma reinterpretação do dilema brasileiro. Brasília: UnB, 2000.

TETTAMANZY, Ana Lúcia Liberato e EWALD, Felipe Grune. Vozes da periferia: expressões culturais da Restinga. Ipotesi, Juiz de Fora, v.15, n.2, jul./dez. 2011.

VILLARRAGA Eslava, Fernando. Literatura Marginal: o assalto ao poder da escrita.Estudos de Literatura Brasileira Contemporânea, Brasília, n. 24, jul./dez. 2004.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Boitatá
E-ISSN: 1980-4504
Universidade Estadual de Londrina
E-mail: boitata@uel.br
Telefone: (43) 33714428