As vozes da estrela: uma abordagem discursiva em A hora da estrela

Cassiano Motta Fernandes

Resumo


O intento deste artigo manifesta-se a partir das discussões propostas por Mikhail Bakhtin acerca da elaboração dos discursos no gênero romanesco e do choque de vozes presentes em A hora da estrela, de Clarice Lispector. Para tanto, far-se-á necessária uma análise da arquitetura do texto no tocante à representação da linguagem, cujo enfoque privilegiado se encontra consubstanciado a partir da relação de identificação entre a autora e seu universo ficcional.


Palavras-chave


Clarice Lispector; A hora da estrela; Identidade; Dialogismo

Texto completo:

PDF

Referências


BAKHTIN, Mikhail. Marxismo e filosofia da linguagem. São Paulo: Hucitec, 2006.

BAKHTIN, Mikhail. Problemas da poética de Dostoievski. Rio de Janeiro: ForenseUniversitária, 1981.

BAKHTIN, Mikhail. Questões de literatura e de estética: a teoria do romance. São Paulo: Hucitec /Annablume, 2002.

GOTLIB. Nádia Battella. Clarice: uma vida que se conta. São Paulo: Ática, 1995.

HALL, Stuart. A identidade cultural na pós-modernidade. Rio de Janeiro: DP&A, 2006.

LISPECTOR, Clarice. Água viva. Rio de Janeiro: Rocco, 1998a.

LISPECTOR, Clarice. A hora da estrela. Rio de Janeiro: Rocco, 1998b.

LISPECTOR, Clarice. A descoberta do mundo. Rio de Janeiro: Francisco Alves Editora, 1992.

LISPECTOR, Clarice. Um sopro de vida (Pulsações). Rio de Janeiro: Francisco Alves Editora, 1991.

MACHADO, Irene A. O romance e a voz: a prosaica dialógica de Mikhail Bakhtin. São Paulo/Rio de Janeiro: Fapesp/Imago, 1995.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Boitatá
E-ISSN: 1980-4504
Universidade Estadual de Londrina
E-mail: boitata@uel.br
Telefone: (43) 33714428