O milagre da língua: uma leitura de Milagrário Pessoal, de José Eduardo Agualusa

Carlos Batista Bach

Resumo


O objetivo desse breve ensaio é perceber a forma como o autor José Eduardo Agualusa, em seu romance Milagrário Pessoal, discorre sobre a língua portuguesa e suas tramas. Para tratar desse tema, Agualusa constrói uma narrativa que se transforma em uma viagem por caminhos que denotam a união entre a oralidade e a escrita.


Palavras-chave


Oralidade; Agualusa; Milagrário Pessoal; Literatura angolana

Texto completo:

PDF

Referências


AGUALUSA, José Eduardo. Milagrário Pessoal. Rio de Janeiro: Língua Geral, 2010.

CERTEAU, Michel de. A invenção do cotidiano. Petrópolis, RJ: Vozes, 2008.

MACÊDO, Tania, CHAVES, Rita. Literaturas de Língua Portuguesa: marcos e marcas. SãoPaulo: Arte e Ciência, 2007.

ONG, Walther. Oralidade e cultura escrita. Campinas: Papirus, 1998.

PADILHA, Laura Cavalcante. Novos pactos, outras ficções: ensaios sobre literaturas afro-luso-brasileiras. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2002.

ZUMTHOR, Paul. Performance, recepção, leitura. 2.ed. São Paulo: Cosac Naify, 2007.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Boitatá
E-ISSN: 1980-4504
Universidade Estadual de Londrina
E-mail: boitata@uel.br
Telefone: (43) 33714428