A crítica cientificista em negativo na peleja do negro e do branco

Geice Peres Nunes

Resumo


Nosso trabalho tem o intuito de apresentar uma leitura acerca da peleja de Inácio da Catingueira e Romano da Mãe d’Água, para demonstrar a influência da crítica cientificista na literatura popular do Nordeste, sobretudo no que tange à miscigenação.


Palavras-chave


Peleja; Cientificismo; Influência

Texto completo:

PDF

Referências


ADORNO, Theodor. Palestra sobre lírica e sociedade. In: ADORNO, Theodor. Notas de Literatura I. São Paulo: Duas Cidades; Editora 34, 3003, p. 65-89.

ARÊDA, Francisco Sales. A malassombrada peleja de Francisco Sales com o “Negro Visão”. In: ARÊDA, Francisco Sales. Literatura Popular em Verso. Antologia. Rio de Janeiro: Fundação Casa de Rui Barbosa, p. 293-302.

CANDIDO, Antonio. O método crítico de Silvio Romero. Rio de Janeiro: Ouro sobre Azul, 2006.

CASCUDO. Vaqueiros e Cantadores. Porto Alegre: Ediouro, [19--].

LESSA, Orígenes. Inácio da Catingueira e Luís Gama: dois poetas negros contra o racismo dos mestiços. Rio de Janeiro: Fundação Casa de Rui Barbosa, 1982.

NUNES, Luiz. A peleja que idealizei. In: NUNES, Luiz. Inácio da Catingueira: o gênio escravo. João Pessoa: A União, 1979. p. 39-62.

RAMOS, Graciliano. Desafio. In: Inácio da Catingueira: o gênio escravo. João Pessoa: A União, 1979. p. 205-208.

ROMERO, Silvio. Estudos sobre a poesia popular do Brasil. Rio de Janeiro: Vozes, 1977.

SANTOS, Idelette Muzart Fonseca. Memória das vozes: Cantoria, romanceiro e cordel. Salvador: Secretaria da Cultura e Turismo; Fundação Cultural do Estado da Bahia, 2006.

SCHWARCZ, Lilia Moritz. O espetáculo das raças. São Paulo: Companhia das Letras, 2001.

ZUMTHOR, Paul. Introdução à poesia oral. São Paulo: HUCITEC, 1997.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Boitatá
E-ISSN: 1980-4504
Universidade Estadual de Londrina
E-mail: boitata@uel.br
Telefone: (43) 33714428