"Rondó do Capitão": um poema-canção

Ana Luiza Martignoni Spínola

Resumo


Manuel Bandeira (1886-1968) pode ser considerado “o mais musical de nossos poetas do século XX”, de acordo com Solange Ribeiro de Oliveira (2003: 22). Muitos de seus poemas foram musicados, sobretudo pelo fato de Bandeira apontar a música como gênero artístico mais elevado. Por esse gosto declarado, procurou compor sua poesia, utilizando entonação e melodia para atingir certa musicalidade. Dessa forma, é pelo seu gosto pela música e essa capacidade de dar a seus poemas a carga melódica, que este artigo tem como objetivo estudar o poema “Rondó do Capitão”, de oito de outubro de 1940, musicado posteriormente pelo grupo musical Secos & Molhados, no início da década de 1970. Procurase, portanto, analisar o poema-canção, levando em consideração as teorias de Zumthor (2005) e Finnegan (2008) e as relações de Bandeira com a música.


Palavras-chave


Manuel Bandeira; Secos & Molhados; Poema-canção

Texto completo:

PDF

Referências


BANDEIRA, Manuel. Estrela da vida inteira. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1993.

BANDEIRA, Manuel. Itinerário de Pasárgada. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1984.

BUENO, André. Literatura e música: A palavra escrita, a palavra falada, a palavra cantada. In: KHÉDE, Sônia Salomão (Org.). Os contrapontos da literatura (Arte, Ciência e Filosofia). Petrópolis-RJ: Vozes, 1984.

CASCUDO, Luis da Câmara. Literatura oral no Brasil. Rio de Janeiro: José Olympio; Brasília: INL, 1978.

CAVALCANTI, Luciano Marcos Dias (UNICAMP). Música e poesia em Manuel Bandeira. Estação Literária, v. 3, 2009. Disponível no site: http://www.uel.br/pos/letras/EL. Acesso em: 30 maio 2011.

FINNEGAN, Ruth. O que vem primeiro: o texto, a música ou a performance? In: MATOS, C. N.; TRAVASSOS, E.; MEDEIROS, F. T. de. Palavra cantada. Ensaios sobre poesia, música e voz. Rio de Janeiro: 7 Letras, 2008.

MARIZ, Vasco. Manuel Bandeira, o poeta e a música. In: LOPEZ, Telê Porto (Org.). Manuel Bandeira: verso e reverso. São Paulo: T. A. Queiroz, 1987.

MOISÉS, Massaud. Dicionário de termos literários. São Paulo: Cultrix, 1974.

PIGNATARI, Décio. Comunicação poética. São Paulo: Cortez & Moraes, 1978.

RIBEIRO, Solange. Introdução à melopoética: a música na literatura brasileira. In: RIBEIRO, Solange. et al. Literatura e música. São Paulo: Editora SENAC São Paulo: Instituto Itaú Cultural, 2003.

VARGAS, Herom. Secos & Molhados: experimentalismo, mídia e performance. (Associação Nacional dos Programas de Pós-Graduação em Comunicação- XIX – COMPÓS Rio de Janeiro - 2010). Disponível no site: www.compos.org.br. Acesso em: 30 maio 2011.

ZAN, José Roberto. Secos & Molhados: o novo sentido da encenação da canção. In: Atas do 7. Congresso da seção latino-americana da International Association for Study of Popular Music (IASPM-AL), La Habana, jun. 2006. Disponível no site:: http://www.hist.puc.cl/iaspm/lahabana/articulosPDF/JoseRobertoZan.pdf. Acesso em: 30 maio 2011.

ZUMTHOR, Paul. Escritura e nomadismo. Trad. Jerusa P. Ferreira e Sônia Queiroz. São Paulo: Ateliê, 2005.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Boitatá
E-ISSN: 1980-4504
Universidade Estadual de Londrina
E-mail: boitata@uel.br
Telefone: (43) 33714428