O Brado de Oxum: possibilidades e contradições para a inscrição política da escrita de Conceição Evaristo

Rafaela Kelsen Dias

Resumo


Em Pode o subalterno falar? (2010), Gayatri Spivak irá afirmar a impossibilidade de fala àqueles a quem é negado o mínimo acesso aos domínios do imperialismo cultural. No eco deixado pelos postulados de Spivak, vê-se configurada uma posição intrincada para a análise da escrita de Conceição Evaristo. Sendo um sujeito advindo de classes populares discriminadas, a autora é também Doutora em Letras. Logo, conquanto abrigue em sua fala demandas advindas das camadas mais subjugadas dos extratos sociais brasileiros, Evaristo tem também seu discurso fortemente ancorado no posto de intelectualidade a ela conferido. Assim, tomando como ponto de partida o limiar identitário no qual estão presos Evaristo e muitos dos expoentes da Literatura Afro-brasileira, este trabalho tem por objetivo refletir sobre uma questão maior: em que medida será possível ouvir incólume a voz de indivíduos marginalizados por meio de falas afrodescendentes que adentram os saguões da academia e que, paulatinamente, vinculam-se a lugares de enunciação privilegiados?

Palavras-chave


Conceição Evaristo; Subalternidade; Literatura Afro-Brasileira; Intelectualidade.

Texto completo:

PDF

Referências


BARTHES, Roland. A morte do autor. In: O rumor da língua. Tradução de Mário Laranjeira. São Paulo: Martins Fontes, 2004.

DUARTE, Eduardo Assis; FONSECA, Maria Nazaré (Orgs.). Literatura e afrodescendência no Brasil: antologia crítica. Belo Horizonte: UFMG, 2011.

EVARISTO, Conceição. Literatura negra: uma poética de nossa afro-brasilidade. In: Maria Nazareth Soares Fonseca; Terezinha Taborda Moreira (Orgs.). Literatura Scripta, Belo Horizonte, v. 13, n. 25, p. 17-31, 2009.

EVARISTO, Conceição. In: DUARTE, E. A. e FONSECA, M. N. (Orgs.). Literatura e afrodescendência no Brasil: antologia crítica. Belo Horizonte: UFMG, 2011a, p. 103-116. Entrevista de Conceição Evaristo concedida a Eduardo Assis Duarte.

EVARISTO, Conceição. Insubmissas lágrimas de mulheres. Belo Horizonte: Nandyala, 2011b.

EVARISTO, Conceição. Depoimento da escritora Conceição Evaristo. [s.l.], 07 set. 2013.

FOUCAULT, Michel. A escrita de si. In: Ditos e escritos. Vol. V. Ética, sexualidade e política. Tradução de Elisa Monteiro e Inês Autran Dourado Barbosa Rio de Janeiro: Forense, 2004, p. 144-162.

FOUCAULT, Michel. Microfísica do poder. Tradução de Roberto Machado (Org.). Rio de Janeiro: Ed. Graal, 1993.

FOUCAULT, Michel. O que é o autor? In: Ditos e escritos. Vol. III. Estética: Literatura e Pintura, Música e Cinema. Tradução de Inês Autran Dourado Barbosa. Rio de Janeiro: Forense, 2009, 264-298.

FREYRE, Gilberto. Casa-grande & senzala: formação da família brasileira sob o regime da economia patriarcal. Rio de Janeiro/Brasília: Ed. José Olympio/INL-MEC, 1980.

IPEA. Situação social da população negra por estado. Brasília: IPEA, 2014.

KLINGER, Diana. Escritas de si e escritas do outro: auto-ficção e etnografia na literatura latino-americana contemporânea. 2006. 206 f. Tese (Doutorado em Letras. Literatura Comparada) – UERJ, Rio de Janeiro, 2006.

NINA RODRIGUES, Raimundo. As raças humanas e a responsabilidade penal no Brasil. 4 ed. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 1938.

SANTOS, T. L. Leis e Religiões: as ações do Estado sobre as religiões no Brasil do Século XIX. In: Anais do IV encontro do GT Nacional história das religiões e das religiosidades. Memória e narrativas as religiões e religiosidades. Revista Brasileira de História das Religiões, Maringá, v. 5 n. 15, jan/2013 , 2013. Disponível em: . Acesso em: 31 mar. 2015.

SARTRE, Jean-Paul. Que é a literatura? Tradução de Carlos Felipe Moisés. 3. ed. São Paulo: Ática, 2004.

SPIVAK, Gayatri. Pode o Subalterno Falar? Tradução de Sandra Regina Goulart Almeida; Marcos Pereira Feitosa; André Pereira. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2010.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Boitatá
E-ISSN: 1980-4504
Universidade Estadual de Londrina
E-mail: boitata@uel.br
Telefone: (43) 33714428