“Eu tenho uma cidade nos olhos”: Escrevivência e memória na poesia do marroquino Tahar Ben Jelloun

Israel Victor de Melo

Resumo


A poesia do marroquino Tahar Ben Jelloun (1944-) revela uma geografia intensa de um país multicultural cercado de lendas e mitos, personagens e dor. Imbuído de certos poemas-ferida, o poeta desenha paisagens nutridas de um pensamento participativo coercitivamente no debate universal de conflitos histórico-culturais. Não obstante, o poeta, romancista e cronista marroquino desenvolve sua literatura participativa, de modo a, na tônica do Mediterrâneo, pensar e defender uma ideologia de tolerância, respeito à multiplicidade cultural e, portanto, uma leitura mais cuidadosa de sua nação. A catarse não é a revelação do mundo, ela é a revelação da poesia, do pensamento, da pulsão afetiva entre o poeta e seu mundo. O objetivo deste artigo é apresentar, num primeiro momento, uma breve historiografia da poesia árabe, e ainda, em seguida, apresentar as potencialidades do texto benjellouniano, compreendido como uma das novas possibilidades de se pensar o outro escrito, falado, visto, percebido e representado.

Palavras-chave


Poesia árabe marroquina; Engajamento; Tahar Ben Jelloun.

Texto completo:

PDF

Referências


BALDUINO, Cláudia Felicia Falluh. A poesia árabe de temática bélica e o iconoclasmo islâmico: Tahar Ben Jelloun. La remontée des cendres. 2007.

BALDUINO, Cláudia Felicia Falluh. Introdução. In: BEN JELLOUN, Tahar. As cicatrizes do Atlas. Brasília: Editora Universidade de Brasília, 2003.

BEN ABDA, Saloua. Bilinguisme et poétique chez Tahar Ben Jelloun. 1991.

Tese de doutoramento. Université Paris IV Sorbonne. Disponível em: . Acesso em: 31 jul. 2016.

BEN JELLOUN, Tahar. As cicatrizes do Atlas. Tradução de Cláudia Falluh Balduino Ferreira. Brasília: Editora Universidade de Brasília, 2003.

BEN ABDA, Saloua. Les amandiers sont morts de leurs blessures. Paris : Mapero, 1977.

BEN ABDA, Saloua. “Suis-je un écrivain arabe?”, 2004.

GENETTE, Gérard. Figuras II. Tradução de Nícia Adan Bonatti. São Paulo: Estação Liberdade, 2015.

HOURANI, Albert. Uma história dos povos árabes. Tradução de Marcos Santarrita. São Paulo: Companhia das Letras, 1991.

MEMMI, Albert. Anthologie des littératures maghrébines. Paris : Présence Africaine, 1969.

MEMMI, Albert. Anthologie des écrivains maghrébins d’expression française. Paris : Présence Africaine, 1964.

MUCHAIL, Salma Tannus. Michel Foucault e o dilaceramento do autor. Revista Margem. São Paulo, n. 16, p. 129-135, dez. 2002.

MUSSA, Alberto. Os poemas suspensos [Al-Muallaqat]. Rio de Janeiro: Editora Record, 2006.

NOIRAY, Jacques. Littératures francofones: I. le Maghreb. Paris : Éditions Belin, 2000.

Sahara Media Agency. Prix international de poésie «Argana» 2010 : l’écrivain Tahar Benjelloun a reçu le prix international de poésie «Argana» décerné par «Bayt Achiîr » (Maison de poésie) du Maroc.

SLEIMAN, Michel. A poesia árabe-andaluza: Ibn Quzman de Córdoba. São Paulo: Editora FAPESP: Perspectiva, 2000.

WELLEK, René. La teoría de los géneros, la lírica y el erlebnis. In: ASEGUINOLAZA, Fernando Cabo (Org.). Teorías sobre la lírica. Madrid: Arco/Libros, S.L, 1999.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Boitatá
E-ISSN: 1980-4504
Universidade Estadual de Londrina
E-mail: boitata@uel.br
Telefone: (43) 33714428