Apolônio de Carvalho: trajetória, memórias e militância política na era do antifascismo (1937-1947)

Marco Antônio Machado Lima Pereira

Resumo


O objetivo do artigo é analisar a trajetória de Apolônio de Carvalho entre os anos 1937 e 1947, bem como as memórias produzidas pelo personagem sobre este período de sua militância política. Tal contexto foi marcado pela sua adesão ao Partido Comunista do Brasil (PCB) e pela decisão de lutar ao lado dos republicanos no conflito civil espanhol (1936-1939) e, posteriormente, na Resistência francesa contra as potências nazifascistas durante a Segunda Guerra Mundial (1939-1945). Desse modo, o recorte temporal proposto contempla uma década de engajamento do personagem na luta antifascista na Espanha e na França.

Palavras-chave


Apolônio de Carvalho; Trajetória; Memórias; Militância política; Antifascismo

Texto completo:

PDF

Referências


ACCIAI, Enrico. Albania transnational fighters: from the Spanish Civil War to the European resistance movements (1936-1945). War in History, [Essex, UK], p. 1-22, 2019.

ALMEIDA, Paulo Roberto de. Brasileiros na guerra civil espanhola: combatentes na luta contra o fascismo. Revista de Sociologia e Política, Curitiba, n. 12, p. 35-66, 1999.

BATTIBUGLI, Thaís. A solidariedade antifascista: brasileiros na guerra civil espanhola (1936-1939). Campinas: Autores Associados; São Paulo: EdUSP, 2004.

BERABA, Marcelo. Divisão das esquerdas foi fatal, afirma Apolônio. Folha de São Paulo, São Paulo, 13 jul. 1986. 2º Caderno, Exterior, p. 18.

BERNSTEIN, Serge. Culturas políticas e historiografia. In: AZEVEDO, Cecília et al. (org.). Cultura política, memória e historiografia. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2009. p. 29-45.

BISSO, Andrés. El antifascismo latinoamericano: usos locales y continentales de un discurso europeo. Asian Journal of Latin American Studies, Seúl, n. 3, p. 91-116, 2000.

BOURDIEU, Pierre. A ilusão biográfica. In: AMADO, Janaína; FERREIRA, Marieta de Moraes (org.). Usos e abusos da história oral. Rio de Janeiro: Editora FGV, 1996. p. 183-191.

CARVALHO, Apolônio de. Vale a pena sonhar. Rio de Janeiro: Rocco, 1997.

CARVALHO, Renée France de. Uma vida de lutas; organização Marly de Almeida Gomes Vianna, René Louis de Carvalho , Ramón Peña Castro. São Paulo: Editora Fundação Perseu Abramo, 2012.

CIERI, Alejandro. Fascismo y antifascismo en la cultura comunista: la resistencia antifascista y la internacionalización del movimiento comunista. Afers, Barcelona, v. 53/54, p. 245-265, 2006.

FERNANDEZ, Jorge Christian. Voluntários da liberdade: militares brasileiros nas forças armadas republicanas durante a guerra civil espanhola (1936-1939). 2003. Dissertação (Mestrado em História) – UNISINOS, Porto Alegre, 2003.

FERREIRA, Jorge. Apolônio de Carvalho: uma vida, muitas lutas e vários tempos. In: FERREIRA, Jorge; CARLONI, Karla (org.). A República no Brasil: trajetórias de vida entre a democracia e a ditadura. Niterói: EdUFF, 2019. p. 250-293.

GARCÍA FERNANDEZ, Hugo. Presente y futuro de una ilusión: la historiografía sobre el antifascismo desde Furet, 1995-2016. Ayer, Madrid, n. 100, p. 233-247, 2015.

GOMES, Angela de Castro. Estado Novo: ambiguidades e heranças do autoritarismo no Brasil. In: ROLLEMBERG, Denise; QUADRAT, Samantha (org.). A construção social dos regimes autoritários: Brasil e América Latina. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2011. v. 2, p. 35-70.

GRAHAM, Helen. La guerra y su sombra: la guerra civil española en la Europa del siglo XX. Tradução Sandra Kustrin. Barcelona: Crítica, 2013.

GROPPO, Bruno. Biografia e autobiografias como fontes para a história do comunismo: os trabalhos de biografia coletiva após a abertura dos arquivos do Comintern. Revista Contemporânea, Niterói, v. 2, n. 2, p. 226-250, 2012.

GROPPO, Bruno. Fascismos, antifascismos e comunismos. In: DREYFUS, Michel et. al. O século dos comunismos: depois da ideologia e da propaganda uma visão serena e rigorosa. Tradução Inês Hugon. Lisboa: Notícias, 2004. p. 579-594.

GROPPO, Bruno. Las políticas de la memoria. Sociohistórica, Buenos Aires, n. 11/12, p. 187-198, 2002.

HOBSBAWM, Eric. A era do antifascismo, 1929-45. In: HOBSBAWM, Eric. Como mudar o mundo: Marx e o marxismo, 1840-2011. Tradução Donaldson Garschagen. São Paulo: Companhia das Letras, 2011. p. 239-284.

KAREPOVS, Dainis. O “caso Besouchet” ou o lado brasileiro dos “Processos de Moscou” pelo mundo. O olho da história, Salvador, v. 12, n. 9, p. 1-10, 2006.

MEIHY, José Carlos Sebe Bom (org.). A revolução possível: história oral de soldados brasileiros na guerra civil espanhola. São Paulo: Xamã, 2009.

MENESES, Ulpiano Bezerra de. Os paradoxos da memória social. In: MIRANDA, Danilo Santos de (org.). Memória e cultura: a importância da memória na formação cultural humana. São Paulo: SESC, 2007. p. 13-33.

MOTTA, Rodrigo Patto Sá. A cultura política comunista: alguns apontamentos. In: NAPOLITANO, Marcos; CAJKA, Rodrigo; MOTTA, Rodrigo Patto Sá (org.). Comunistas: cultura política e produção cultural. Belo Horizonte: UFMG, 2013. p. 15-37.

PANDOLFI, Dulce. Camaradas e companheiros: memória e história do PCB. Rio de Janeiro: Relume-Dumará, 1995.

PENNETIER, Claude; PUDAL, Bernard. Uma Internacional, partidos e homens. In: DREYFUS, Michel et. al. O século dos comunismos: depois da ideologia e da propaganda uma visão serena e rigorosa. Tradução Inês Hugon. Lisboa: Notícias, 2004. p. 379-382.

PEREIRA, Marco Antônio Machado Lima. “Las armas y las letras” dos voluntários brasileiros na guerra civil espanhola: identidades, memórias e trajetórias. Porto Alegre: Multifoco, 2017.

PEREIRA, Marco Antônio Machado Lima; DALLA-CORTE CABALLERO, Gabriela. Cruzando fronteiras: as experiências de guerra dos voluntários paraguaios e brasileiros durante o conflito civil espanhol (1936-1939) retratadas no álbum fotográfico de Víctor Martínez. In: GUTIÉRREZ, Horácio (org.). A guerra civil espanhola e a América Latina. São Paulo: Terceira Margem, 2018. p. 69-92.

ROLLEMBERG, Denise. Definir o conceito de resistência: dilemas, reflexões e possibilidades. In: QUADRAT, Samantha; ROLLEMBERG, Denise (org.). História e memória das ditaduras do século XX. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2015. v. 1.

SEIDMAN, Michel. Transatlantic antifascisms: from the Spanish Civil War to the end of World War II. Cambridge: Cambridge University Press, 2018.

SKOUTELSKY, Rémi. Novedad en el frente: las Brigadas Internacionales en la guerra civil. Madrid: Ediciones Temas de Hoy, 2006.

SKOUTELSKY, Rémi. Brigadistas internacionais e resistentes. In: DREYFUS, Michel et. al. O século dos comunismos: depois da ideologia e da propaganda uma visão serena e rigorosa. Tradução Inês Hugon. Lisboa: Notícias, 2004. p. 511-525.

TRAVERSO, Enzo. Historia y memoria: notas sobre un debate. In: FRANCO, Marina; LEVIN, Florencia (comp.). Historia reciente: perspectivas y desafíos para un campo en construcción. Buenos Aires: Editorial Paidós, 2007. p. 67-96.

TRAVERSO, Enzo. A sangre y fuego: de la guerra civil europea (1914-1945). Tradução Miguel Ángel Petrecca. Buenos Aires: Prometeo Libros, 2009.

VENCESLAU, Paulo de Tarso. Memória: o general Apolônio de Carvalho. Teoria e Debate, n. 6, p. 1-18, abr/jun. 1989.




DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1984-3356.2020v13n25p181

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Antíteses
Londrina/PR - Brasil
ISSN: 1984-3356

antiteses@uel.br

PPG-HSCNPQRevista da ABPN foi a indexada a ERIHPLUS-European REference Index for the  Humanites and Social...Indexadores
Directory of Open Access Journals – DOAJDORA