A imprensa católica a serviço da reforma ultramontana: o caso do Mensageiro do Coração de Jesus

Ana Rosa Cloclet da Silva, Lais da Silva Lourenço

Resumo


O presente artigo visa analisar o periódico jesuíta Mensageiro do Coração de Jesus, entre 1896 e 1900. Inserido no contexto das reformas ultramontanas, a normatização clerical, a afirmação da infalibilidade papal e a defesa da subordinação da Igreja à Santa Sé passaram a ser difundidas por diversos atores, tanto leigos, quanto clérigos. É nesse momento que os jesuítas retornam ao Brasil, estabelecendo-se na então Vila de Itú, no ano de 1856. Elaborando estratégias de fixação na soiedade local, tais clérigos atuaram para além da esfera religiosa. Nessa perspectiva, um dos campos de sua ação fora a imprensa, através do Mensageiro do Coração de Jesus, periódico cuja análise nos permite compreender as relações entre imprensa, ultramontanismo e atuação jesuítica no Brasil do fim do século XIX e início do XX. Através da análise desta fonte, o presente artigo busca averiguar a natureza do projeto de modernidade elaborado por estes clérigos, articuladamente a outros projetos em voga: como o liberal e o projeto da Igreja, de moldes tridentinos. Como contribuição geral, busca-se colaborar na compreensão dos rumos assumidos pelas reformas ultramontanas no Brasil durante o período analisado, revelador da especificidade do processo de secularização em curso.

Palavras-chave


Modernidade; Secularização; Religião; Política; Jesuítas; Imprensa católica

Texto completo:

PDF

Referências


ANDERSON, Benedict. Comunidades imaginadas. São Paulo: Cia das Letras, 1989.

ARDUINI, Guilherme; SILVEIRA, Diego. Valores, normas e crenças: uma leitura das linguagens políticas conservadoras nos periódicos a ordem (Rio de Janeiro) e o arquidiocesano (Minas Gerais). In: RODRIGO, Cândido et al. (Org.). Manifestações do pensamento católico na américa do sul. São Paulo: Fonte Editorial, 2015. p. 155-177.

BERGER, Peter. O dossel sagrado: elementos para uma teoria sociológica da religião. São Paulo: Paulinas, 1985.

BERGUER, Peter. Rumor de anjos: a sociedade moderna e a redescoberta do sobrenatural. Petrópolis: Vozes, 1997.

BOURDIEU, Pierre. A economia das trocas simbólicas. São Paulo: Perspectiva, 1974. CAPELATO, Maria. Imprensa e história do Brasil. São Paulo: Contexto/EDUSP, 1988.

CASANOVA, José. Rethinking secularization: a global comparative perspective. The Hedgehog Review, Charlottesville, v. 8, n. 2, p. 7-22, 2006.

CIARALLO, G. O tema da liberdade religiosa na política brasileira no século XIX: uma via para a compreensão da secularização da esfera política. Sociologia Política, Curitiba, v. 19, n. 3, p. 85- 99, fev. 2011.

CORDI, Cassiano. O tradicionalismo na república velha. 1984. 188 f. Tese (Doutorado em Filosofia) – Universidade Gama Filho, Rio de Janeiro, 1984.

DALMOLIN, Aline. Por uma história da imprensa católica brasileira. In: ENCONTRO DO NÚCLEO GAÚCHO DE HISTÓRIA DA MÍDIA, 4., 2012, São Borja. Anais... São Borja, 2012.

DI STEFANO, Roberto. “Por una historia de la secularización y de la laicidad en la Argentina”. Quinto Sol. vol. 15, n. 1, 2011, p. 1-32.

DI STEFANO, Roberto. “La revista La Relijion (1853-1862) y la formación de un círculo intelectual ultramontano en buenos aires’, in: CALDEIRA, Rodrigo Coppe; et. alli (orgs.). Manifestações do Pensamento Católico na América do Sul. São Paulo: Fonte Editorial, 2015, pp. 15-41.

DI STEFANO, Roberto. Disidencia religiosa y secularización en el siglo XIX iberoamericano: cuestiones conceptuales y metodológicas. Projeto História, São Paulo, n. 37, p. 157-178, dez. 2008.

GRESCHAT, Hans Jurgen. O que é ciência da religião. São Paulo: Paulinas, 2005.

HAUPT, Heinz-Gerhard. Religião e nação na Europa no século XIX: algumas notas comparativas. Estudos Avançados, São Paulo, v. 22, n. 62, p. 77-94, 2008.

HERVIEU LÉGER, Daniéle. La modernité rituelle: rites politiques et religieux des sociétés modernes. Paris: l´Harmattan, 2004.

JULIA, Dominique. História religiosa. In: LE GOFF, Jacques; NORA, Pierre (Org.). História: novas abordagens. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1976. p. 106-131.

LONDOÑO, Fernando. História das religiões. In: PASSOS, João Décio; USARSKI, Frank. (Org.). Compêndio de ciência da religião. São Paulo: Paulus, 2013.

MADUREIRA, I. A liberdade dos índios, a Companhia de Jesus: sua pedagogia e seus resultados. Rio de janeiro: Imprensa Nacional, 1927.

TADDEI, Bartholomeu, Manifestação Solene promovida pelo Apostolado da Oração do Brasil ao SSMO Coração de Jesus, em homenagem ao Sumo Pontífice Pio X em seu Jubileu Sacerdotal. Itú, s.d.

MARTINS, Patrícia Carla de Melo. Padroado Régio no auge do Império Brasileiro. Revista Brasileira de História das Religiões, Maringá, ano 3, n. 9, jan. 2011.

MENSAGEIRO DO CORAÇÃO DE JESUS. 1896-1900. Disponível em: . Acesso em: 24 jun. 2016.

MONTERO, Paula. Secularização e espaço público: a reinvenção do pluralismo religioso no Brasil. Etnográfica, Lisboa, v. 13, n. 1, p. 7-16, 2009.

MOREL, M. Os primeiros passos da palavra impressa. In: DE LUCA, Tania Regina; MARTINS, Ana Luiza (Org.). História da imprensa no Brasil. São Paulo: Contexto, 2008.

MOREL, Marco; BARROS, Mariana. Palavra, imagem e poder: o surgimento da imprensa no Brasil do século XIX. Rio de Janeiro: DP&A, 2003.

ORLANDI, Eni Pulcinelli. A linguagem e seu funcionamento: as formas do discurso. São Paulo: Brasiliense, 1983.

PAULA, Eurípedes Simões. Trabalho livre e trabalho escravo. São Paulo, 1973.

PETERS, José Leandro. A história das religiões no contexto da história cultural. Faces de Clio, Juiz de Fora, v. 1, n. 1, jan./jun. 2015.

PINHEIRO, Alceste. O apóstolo, ano I: a autocompreensão de um jornal católico no século XIX. In: CONGRESSO DE CIÊNCIAS DA COMUNICAÇÃO NA REGIÃO SUDESTE, 14., 2009, Rio de Janeiro. Anais... Rio de Janeiro, 2009.

PIRES, Thiago. Revisitando a historiografia eclesiástica: a superação de uma narrativa eusebiana. In: BUARQUE, Virgínia A. Castro (Org.). História da historiografia religiosa. Ouro Preto: EDUFOP/PPGHIS, 2012. p. 27-42.

PRODI, Paolo. Il paradigma tridentino, un’epoca della storia della Chiesa. Brescia: Morcelliana, 2010.

RÉMOND, René. O retorno do político. In: CHAVEAU, A.; TÉTARD, Ph. (Org.). Questões para a história do presente. Bauru: EDUSC, 1999.

SANTIROCCHI, Ítalo D. Questão de consciência: os ultramontanos no Brasil e o regalismo do segundo reinado (1840-1889). Belo Horizonte: Fino Traço, 2015.

SANTIROCCHI, Ítalo D. Uma questão de revisão de conceitos: Romanização, ultramontanismo, reforma. Temporalidade, v. 2, n. 2, ago./dez. 2010, p. 24-33.

SCHEWENGBER, Otmar Jacob. Apostolado da oração e MEJ em perguntas e respostas. São Paulo: Loyola, 2014.

SILVA, Ana Rosa Cloclet da; LOURENÇO, Laís da Silva. Entre a política e a religião: uma análise da imprensa periódica feijoísta, na conjuntura de 1834 à 1835. Revista Brasileira de História das Religiões, Maringá, ano 7, n. 21, jan./abr. 2015. Disponível em: . Acesso em: 24 set. 2016.

SODRÉ, Nelson. A história da imprensa no Brasil. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1966.

SOUZA, Françoise Jean de Oliveira. Do altar à tribuna: os padres políticos na formação do estado nacional brasileiro. Rio de Janeiro, 2010.

TAVARES, Mauro Dillmann. Progresso e civilização à luz ultramontana: jornais católicos no Sul do Brasil - Porto Alegre, século 19. Revista História, São Paulo: Arquivo do Estado de São Paulo, n. 12, 2006.




DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1984-3356.2018v11n21p157

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.

Antíteses
Londrina/PR - Brasil
ISSN: 1984-3356

antiteses@uel.br

PPG-HSCNPQRevista da ABPN foi a indexada a ERIHPLUS-European REference Index for the  Humanites and Social...Indexadores
Directory of Open Access Journals – DOAJDORA