“Esses chamados intelectuais de esquerda”: o IPM do PCB e o fenômeno do comunismo na produção cultural do pósgolpe

Rodrigo Czajka

Resumo


Entre as muitas ações de investigação adotadas pelos militares com a intenção de coletar informação sobre a chamada “subversão comunista” no pó-golpe, em 1964, uma das formas que muito se destacou foi o Inquérito Policial-Militar (IPM). Esse instrumento de investigação tinha por finalidade a coleta de provas e indícios que, posteriormente, serviriam de base para processos penais com base na Lei de Segurança Nacional (JSN). Entre os IPMs que ganharam maior repercussão estava o do Partido Comunista Brasileiro (PCB), sobretudo porque ele serviu de ponto de partida para outros inquéritos que se desdobraram em investigações específicas. Uma delas, que será abordada nesse artigo, diz respeito à organização de uma intelectualidade de esquerda que, se antes do golpe fundamentou um debate sobre o pensamento político e social no Brasil, após o golpe ganhará projeção ainda maior pela sua atuação na resistência ao regime militar. No IPM do PCB o “intelectual de esquerda” ou o “intelectual comunista” são definidos pelos relatórios militares como elementos portadores de um discurso sofisticado de propaganda soviética, logo, deveriam ser investigados em profundidade pelos serviços de informações.

Palavras-chave


Ditadura militar; Inquéritos militares; Comunismo; Intelectuais

Texto completo:

PDF

Referências


ALVES, Maria Helena Moreira. Estado e oposição no Brasil (1964-1984). Bauru: Edusc, 2005.

BARRETO FILHO, Amado Menna. IPM do ISEB, 1966, vol. 01, Brasília: STM/SeArq.

CARONE, Edgard. “Declaração sobre a política do P.C. (1958)”. In: O PCB: 1943-1964. São Paulo, Difel, 1982.

CZAJKA, Rodrigo. “O Comando do Trabalhadores Intelectuais e a formação das esquerdas culturais na década de 1960”. In: CZAJKA, Rodrigo; RIDENTI, Marcelo (orgs). Esquerdas e cultura. Revista Temáticas, Campinas, nº 37/38, ano 19, 2011.

CZAJKA, Rodrigo. “Os IPMs e a construção da subversão nos meios intelectuais no Brasil”. In: REIS, Daniel Aarão; ROLLAND, Denis. Intelectuais e modernidades. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2010.

DHBB – Dicionário Histórico-Biográfico Brasileiro. “Lei de Segurança Nacional”.

FGV/CPDOC, 2007. Verbete disponível em http://www.fgv.br/cpdoc/

FREDERICO, Celso. A política cultural dos comunistas. In: MORAIS, João Quartim de (org.) História do marxismo no Brasil, III. Campinas: Edunicamp, 1998.

IPM 709, O comunismo no Brasil: o inquérito policial militar nº 709. Rio de Janeiro: Biblioteca do Exército, 1966. Volume 01: Introdução; volume 02: A construção e a infiltração comunista; volume 03: Agitação, propaganda e movimentação de massas; volume 04; A ação violenta.

IPM DO ISEB. INQUÉRITO Policial-Militar n° 481. Relatório parcial do inquérito. Brasília: STM/SeArq, 1966.

IPM DO PCB. INQUÉRITO Policial-Militar nº 709. Relatório dos inquéritos. Brasília: STM/SeArq, 1966.

KLEIN, Lúcia; FIGUEIREDO, Marcus F. Legitimidade e coação no Brasil pós-64. Rio de Janeiro: Forense-Universitária, 1978.

LIMA, Hamilton Garcia de. O ocaso do comunismo democrático: o PCB na última ilegalidade (1964-1984). Tese de doutorado em Ciência Política. IFCH – Universidade Estadual de Campinas, 1995.

MIGLIOLI, Jorge. O papel crítico do intelectual marxista. Jornal Novos Rumos, nº 163. 30 de abril de 1962.

MOTTA, Rodrigo Patto Sá. Em guarda contra o perigo vermelho. São Paulo: Perspectiva/Fapesp, 2002.

NAPOLITANO, Marcos; MOTTA, Rodrigo Patto Sá; CZAJKA, Rodrigo. Comunistas brasileiros: cultura política e produção cultural. Belo Horizonte: EDUFMG, 2013.

PONTE PRETA, Stanislaw. FEBEAPÁ nº 1 – Festival de besteira que assola o país. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1996.

PONTE PRETA, Stanislaw. FEBEAPÁ nº 2 – Festival de besteira que assola o país. Rio de Janeiro: Sabiá, 1967.

RIDENTI, Marcelo. “Brasilidade vermelha: artistas e intelectuais comunistas nos anos 1950”. In: BOTELHO, André; BASTOS, Elide Rugai; VILLAS-BOAS, Gláucia. O moderno em questão: a década de 1950 no Brasil. Rio de Janeiro: Topbooks, 2007.

RIDENTI, Marcelo. Brasilidade revolucionária: um século de cultura e política. São Paulo: EdUnesp, 2010.

RUBIM, Antônio Albino Canelas. Marxismo, cultura e intelectuais no Brasil. In: MORAES, João Quartim de. História do Marxismo no Brasil III. Campinas: EdUnicamp, 1998.

RUBIM, Antonio Canellas. Partido Comunista, Cultura e Política Cultural. Tese de doutorado em Sociologia. FFLCH – Universidade de São Paulo, 1987.

SANTOS, Raimundo. A primeira renovação pecebista: reflexos do XX Congresso do PCUS no PCB. Belo Horizonte: Oficina de Livros, 1988.

SEGATTO, José Antonio. Reforma e revolução: vicissitudes políticas do PCB (1954-1964). Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1995.




DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1984-3356.2015v8n15p219

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

Antíteses
Londrina/PR - Brasil
ISSN: 1984-3356

antiteses@uel.br

PPG-HSCNPQRevista da ABPN foi a indexada a ERIHPLUS-European REference Index for the  Humanites and Social...Indexadores
Directory of Open Access Journals – DOAJDORA