Percepções sobre a linguagem museológica do Museu Histórico de Londrina: a exposição “Cuidar, Curar, Lembrar – memória da saúde em Londrina” e as representações de mulheres

Bruno Sanches Mariante da Silva

Resumo


Os museus históricos, como os monumentos, já foram entendidos como imagens que as sociedades produzem para o futuro. No entanto, esta concepção dos museus enquanto espaços mantenedores e guardiães da memória de uma comunidade ou localidade começa a ser revista. A cidade de Londrina, mesmo que bastante nova, conserva através de diferentes meios o elogio à memória de determinados grupos chamados de ‘pioneiros’. A contestação de tais práticas memorialísticas e a inclusão de novos atores é bastante polêmica e custosa. Desse modo, o presente artigo traz em seu escopo refletir acerca das representações de mulheres na linguagem do Museu Histórico de Londrina. Para tal propõe-se a analisar a mais recente exposição temporária que este espaço abrigou: “Cuidar, Curar, Lembrar – memória da saúde em Londrina”. Assim, quer-se investigar com qual(ais) linguagem (s) museológica o MHL alinha-se e como apresenta-se ao público.

Palavras-chave


Museus; Londrina; Representações de mulheres; Memória; Saúde pública

Texto completo:

PDF

Referências


ABREU, Regina. A fabricação do imortal. Memória e estratégias de consagração do Brasil. Rio de Janeiro: Rocco: Lapa, 1996.

ADUM, Sonia M. S. L. Imagens do Progresso: Civilização e Barbárie em Londrina 1930/1960. 1991. Dissertação (Mestrado em História) - Unesp, Assis, 1991.

ADUM, Sonia M. S. L. Práticas discursivas, patrimônio e memória: Monumento Memorial do Pioneiro. IN: SILVA, Claudia. MORAES, Vanda (Org.). Encontro Cidades Novas: a construção de políticas patrimoniais. Londrina: Edição Humanidades, 2009.

ARIAS NETO, José Miguel. O Eldorado: Representações da política em Londrina: 1930 – 1975. Londrina: EDUEL, 2008.

ARIAS NETO, José Miguel. Pioneirismo: discurso político e identidade regional. História e Ensino: revista do Laboratório de Ensino de História da UEL, Londrina, n. 1, p. 69-82, 1995.

BREFE, Ana Cláudia Fonseca. O museu Paulista: Affonso de Taunay e a memória nacional. São Paulo: Ed. UNESP; Museu Paulista, 2005.

BONI, Paulo César, KOMARCHESQUEI, Bruna M.; RODRIGUES, Natália de Fátima. O papel do Paraná Norte na construção da Santa Casa e o esporte nas ondas do rádio: duas experiências históricas da imprensa londrinense. Londrina: EDUEL, 2010.

CASTRO, Rosimeire Ap. A. O cotidiano e a cidade: práticas, papéis e representações femininas em Londrina (1930 – 1960). 1994. Dissertação (Mestrado em História) - UFPR, Curitiba, 1994.

CASTRO, Rosimeire Ap. A. Ecos da Memória: uma contribuição à história da vida quotidiana de mulheres no Paraná (1930/1975). 2003. Tese (Doutorado em História) – PUC-SP, São Paulo, 2003.

CHAUÍ, Marilena. Brasil: mito fundador e sociedade autoritária. São Paulo: Editora Fundação Perseu Abramo, 2001.

FREIRE, Maria Martha de Luna. Mulheres, mães e médicos: discurso maternalista no Brasil. Rio de Janeiro: FGV, 2009.

HARTOG, François. Tempo e Patrimônio. Tradução: João Carlos Reis. Varia História, Belo Horizonte, v.22, n.36. p. 261-273, jul/dez., 2006.

JULIÃO, Letícia. Apontamentos sobre a história do museu. In: BRASIL. Ministério da Cultural. Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional. Departamento de Museus e Centros Culturais. Cadernos de diretrizes museológicas. Belo Horizonte: Secretaria de Estado da Cultura, 2006. p.17-30.

LEME, Edson H. Noites Ilícitas: histórias e memórias da prostituição. Londrina: EDUEL, 2009.

MARTINS, Ana Paula V. "Vamos criar seu filho": os médicos puericultores e a pedagogia materna no século XX. História, Ciências, Saúde-Manguinhos, v. 1, p. 135-154, 2008.

MENESES, Ulpiano Bezerra. O museu na cidade X a cidade no museu: para uma abordagem histórica dos museus de cidade. Revista Brasileira de História, São Paulo, v. 5, n. 8/9. p.197-205, set. 1984/abr.1985.

MENESES, Ulpiano Bezerra. A História, cativa da memória? Para um mapeamento da memória no campo das ciências sociais. Revista Estudos Brasileiros, São Paulo, v. 34, p. 9-29, 1992.

MOTT, Maria Lúcia. Maternalismo, políticas públicas e benemerência no Brasil (1930-1945). Cadernos Pagu, v. 16, p.199-234, 2001.

NORA, Pierre. Entre memória e história: a problemática dos lugares. Tradução: Yara Aun Khoury. Projeto História, São Paulo, n.10, p.07-28, dez.1993.

OBERDIEK, Hermann I. Serviços Médicos: em Londrina (1933 a 1971). Londrina: EDUEL, 2011.

OGUIDO, Homero. De imigrantes a pioneiros: A saga dos japoneses no Paraná. Curitiba: Ipê, 1988.

PAULA, Zueleide C. Os marcos urbanos em história e memória: o Museu Histórico de Londrina “Pe. Carlos Weiss” em breve nota. Boletim Museu Histórico de Londrina: Londrina, v. 1, n. 2, jan/jun. 2010.

PEDRO, Joana Maria. Historicizando o gênero. In: FERREIRA, A. C., BEZERRA, H.G. e DE LUCCA, T. R. (Org.). O historiador e seu tempo: encontros com a história. São Paulo: Ed. UNESP: ANPUH, 2008.

PERROT, Michelle. As mulheres ou os silêncios da história. Tradução de Viviane Ribeiro. Bauru: EDUSC, 2005.

PINSKY, Carla B. Mulheres dos anos dourados. In: DEL PRIORE, M.; PINSKY, Carla. B. História das Mulheres no Brasil. 9.ed. São Paulo: Ed. Contexto, 2010.

ROCHA-COUTINHO, Maria Lúcia. Tecendo por trás dos panos: a mulher brasileira nas relações familiares. Rio de Janeiro: Rocco, 1994.

SANTOS, Myrian, Sepúlveda. A escr do passado em museus históricos. Rio de Janeiro: Garamond, Minc, IPHAN, DEMU, 2006.




DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1984-3356.2015v8n16p252

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

Antíteses
Londrina/PR - Brasil
ISSN: 1984-3356

antiteses@uel.br

PPG-HSCNPQRevista da ABPN foi a indexada a ERIHPLUS-European REference Index for the  Humanites and Social...Indexadores
Directory of Open Access Journals – DOAJDORA