A industrialização do Paraná: abordagens de um processo de desenvolvimento concentrado

Leandro Garcia Niehues

Resumo


A industrialização do Paraná até a década de 1930 estava baseada no beneficiamento do mate e da madeira direcionado ao mercado exterior e sudeste brasileiro. Estas indústrias concentravam-se no denominado “Paraná tradicional”, área do Estado de ocupação pioneira, que abrange o litoral, Curitiba (e arredores) e os Campos Gerais. Com o declínio destas atividades e a ocupação do Norte do Paraná, principalmente a partir da década de 1940, houve no Estado um crescimento econômico com a atividade cafeeira e o setor industrial foi estimulado com o beneficiamento de café. No entanto, as indústrias paranaenses até a década de 1960 eram ainda incipiente, com reduzido emprego tecnológico e de baixa escala que propiciava o escoamento de capital excedente para outros estados, como São Paulo. A partir da década de 1960 o governo do Estado cria um modelo de desenvolvimento voltado à industrialização, instalando infraestrutura necessária e financiamentos para atrair indústrias que geravam produtos de maior valor agregado e amplo uso de tecnologia. Esta política de desenvolvimento acarretou na concentração espacial e econômica do setor industrial paranaense na Região Metropolitana de Curitiba, não propiciando disseminar-se por outras regiões do Estado. Assim, o objetivo deste trabalho é abordar os processos de industrialização do Estado do Paraná e discutir o modelo de desenvolvimento proposto. O método utilizado foi baseado na realização de pesquisa bibliográfica a respeito da industrialização do Paraná e da sua formação socioespacial. 


Palavras-chave


Industrialização; Paraná; Desenvolvimento

Texto completo:

PDF

Referências


AUGUSTO, Maria Helena Oliva. Formulação do projeto de desenvolvimento paranaense. In: _________. Intervencionismo estatal e ideologia desenvolvimentista. São Paulo: Símbolo, 1978.

BALHANA, Altiva Pilatti; MACHADO, Brasil Pinheiro; WESTPHALEN, Cecília Maria. História do Paraná. Curitiba: Grafipar, 1969.

BATISTA, Ederval Everson. A importância da cafeicultura para a permanência dos sitiantes na terra: uma análise dos bairros rurais da Laranja Azeda e da Limeira em Lerroville, Londrina-PR. 2010. Tese (Doutorado em Geografia) – Faculdade de Ciências e Tecnologia, Universidade Estadual Paulista, Presidente Prudente.

BRAGUETO, Claudio Roberto. O processo de industrialização do Paraná até a década de 1970. Geografia: Revista do Departamento de Geociências, Londrina, v.8, n.2, p.149-160, jul./dez. 1999.

BRAGUETO, Claudio Roberto. O Aglomerado Urbano-Industrial de Londrina: sua constituição e dinâmica industrial. 2007. Tese (Doutorado em Geografia Humana) - Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo.

FIRKOWSKI, Olga Lúcia Castreghini de Freitas. A nova territorialidade da indústria e o aglomerado metropolitano de Curitiba. 2001. 278f. Tese (Doutorado em Geografia Humana) – Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo.

FRESCA, Tânia Maria. Aprendendo sobre a região: o difícil começo. In: CARVALHO, Márcia Siqueira de (Org.). Geografia, meio ambiente e desenvolvimento. Londrina: a Autora, 2003. p. 35-57.

LEÃO, Igor Zanoni Constant Carneiro. O Paraná nos anos setenta. Curitiba: IPARDES/CONCITEC, 1989.

OLIVEIRA, Dennison de. Urbanização e industrialização no Paraná. Curitiba: SEED, 2001.

SANTOS, M. Por uma outra globalização: do pensamento único à consciência universal. 2. ed. Rio de Janeiro: Record, 2000.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Geographia Opportuno Tempore
UEL - Londrina
EISSN: 2358-1972
E-mail: revista.opportuno.tempore@gmail.com
REDIB