Abordagem sistêmica na gestão de riscos urbanos e planejamento territorial no município de Guarapuava, PR

Glauco Nonose Negrão, Luciana Moraes Silva

Resumo


Na cidade de Guarapuava-PR são evidentes as deficiências na conservação e planejamento territorial, que trazem como consequência impactos socioambientais urbanos, dificuldade de articulação com a Defesa Civil, além da necessidade de capacitação técnica profissional para a correta análise sistêmica, diagnóstico e prognóstico. Neste trabalho foram efetuadas consultas à base de dados da Defesa Civil de Guarapuava-PR para notificação de áreas de atenção quanto a deslizamentos, alagamentos, enchentes entre os anos de 2000 a 2014, revisão bibliográfica pertinente ao tema e atividades in loco. Propomos como objetivo geral a descrição das áreas de atenção segundo notificação oficial da base de dados da Defesa Civil de Guarapuava-PR tendo como objetivos específicos corroborar a atuação do profissional geógrafo quanto à interpretação de dados, análise ambiental sistêmica, evidenciando áreas de atenção urbanas com fatores de risco. O profissional geógrafo tem métodos e técnicas específicas para pesquisas ecossistêmicas que visem o conhecimento dos processos e leis naturais que determinam a dinâmica da paisagem e o uso racional do espaço urbano.


Palavras-chave


Planejamento urbano; Geomorfologia; Legislação

Texto completo:

PDF

Referências


B’SÁBER, AZIZ NACIB. Os domínios da natureza no Brasil: potencialidades paisagísticas. SÃO PAULO: ATELIÊ EDITORIAL, 2003.

BERTRAND, Georges. Paisagem e geografia física global: Esboço metodológico. R. RA´E GA, Curitiba, n. 8, p. 141-152, 2004.

BRASIL. CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL DE 1988. Disponível em

/constituicao.htm> Acesso em: 11 jul. 2013.

BRASIL. Lei 6.664 de 26 de junho de 1979. Dispões sobre as atribuições do profissional Geógrafo. http://www.legislação.planalto.gov.br/, acesso 14 de janeiro de 2014.

BRASIL. LEI Nº 6.938, DE 31 DE AGOSTO DE 1981. Dispõe sobre a Política Nacional do Meio Ambiente, seus fins e mecanismos de formulação e aplicação, e dá outras providências. Ministério do Meio Ambiente.

BRASIL. Resolução CONAMA nº 001, de 23 de janeiro de 1986. Dispõe sobre critérios básicos e diretrizes gerais para a avaliação de impacto ambiental. Ministério do Meio Ambiente. Conselho Nacional do Meio Ambiente.

CARLOS, Ana F.A. O espaço Urbano: novos escritos sobre a cidade. São Paulo: Labur Edições, 2007, 123p.

COELHO, M. C. N: Impactos ambientais em áreas urbanas – Teorias, conceitos e métodos de pesquisa. In: GUERRA, A. J. T; CUNHA, S. B.(Orgs.) Impactos Ambientais Urbanos no Brasil. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2001, pg. 19-45.

CORRÊA, R. L.O Espaço Urbano. São Paulo: Ática,2003.

DEFESA CIVIL. , acesso em 11-07-2014.

DEFESA CIVIL. Plano de contingência municipal de proteção e defesa civil. Disponível em Acesso em 11 jul. 2014.

FRANCO, Maria de Assunção Ribeiro. Planejamento ambiental para a cidade sustentável. São Paulo: Annablume: FAPESP, 2001.

FREITAS, M. R. P. ; KRAIZEC, T. ; LOPES, G. N. ; MACHADO, A. P. E. ; MACHADO, F. E. ; VELOSO, A. A. ; NEGRÃO, Glauco Nonose . Modificações na paisagem Bairro São Cristovão, Guarapuava Pr. 1985 - 2013. In: SIMPÓSIO DE ESTUDOS URBANOS: A DINÂMICA DAS CIDADES E A PRODUÇÃO DO ESPAÇO, CAMPO MOURÃO, 2, 2013, Campo Mourão. Anais... Editora da Fecilcam, 2013.

FREITAS, M. R. P.; MACHADO. F. E.; NEGRÃO. G. N. 2013. UNICENTRO. Uso e ocupação do solo e impactos ambientais decorrentes no município de Guarapuava-Pr. Simpósio Internacional. História Ambiental e Desastres.

GUERRA, Antonio José Teixeira & CUNHA, Sandra Baptista. Impactos ambientais urbanos no Brasil. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2001.

IPARDES - Instituto Paranaense de Desenvolvimento Econômico e Social. (2013). Caderno Estatístico de Guarapuava. http://www.ipardes.gov.br/cadernos/ Montapdf.php?Municipio=85000, acesso em 30 abril de 2014.

LIMA, Myrian Del Vecchio & RONCAGLIO, Cynthia. Degradação socioambiental urbana, políticas públicas e cidadania. Desenvolvimento e Meio Ambiente, n. 3, p. 53-63, jan./jun. 2001. Editora da UFPR.

MAACK, Reinhard. Geografia física do estado do Paraná. 2.ed. Rio de Janeiro: Curitiba:J. Olympio/Secretaria da Cultura e do Esporte do Estado do Paraná, 1981. 450p.

MULLER-PLANTENBERG, Clarita & AB`SABER, Aziz. Previsão de impactos: o estudo de impacto ambiental no Leste, Oeste e Sul, experiências no Brasil, na Rússia e na Alemanha. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 2006. 2 ed.

PREFEITURA MUNICIPAL DE GUARAPUAVA. Decreto n. 3264-2013. Disponível em http://www.defesacivil.pr.gov.br/ , acesso em 11-07-2014.

PREFEITURA MUNICIPAL DE GUARAPUAVA. História. Disponível em: < www.guarapuava.pr.gov.br/turista/historia> Acesso 11-07-2014.

PREFEITURA MUNICIPAL DE GUARAPUAVA. Lei N. 691-97. Disponível em http://www.defesacivil.pr.gov.br/ , acesso em 11-07-2014.

ROSS, Jurandyr Luciano Sanches. Ecogeografia do Brasil: subsídios para planejamento ambiental. São Paulo: Oficina de textos, 2006.

RUSCHEINSKY, A. Educação ambiental: abordagens múltiplas. Porto Alegre: Artmed, 2002.

SANTOS, Milton. Metamorfose do espaço habitado: fundamentos teóricos e metodológico da Geografia. Hucitec: São Paulo, 1988.

SILVA, J. M. Valorização fundiária e expansão urbana recente de Guarapuava-PR. 167f. Dissertação (Mestrado em Geografia) – Centro de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis. 1995.

SUERTEGARAY, D. M. & NUNES, J. O. R. A natureza da Geografia física na Geografia. Terra Livre, São Paulo, n. 17, p. 11-24, 2001.

TOMMASI, L. R.. Estudos de Impacto Ambiental. CETESB: Terragraph Artes e Informática. São Paulo, 1994.

TRICART, J. Ecodinâmica. Rio de Janeito IBGE-SUPREN, 1977.

VENTURI, Luis Antonio Bittar. Praticando a geografia: técnicas de campo e laboratório em geografia e análise ambiental. São Paulo: Oficina de Textos, 2005.

VEYRET, Yvette. Os riscos: o homem como agressor e vítima do meio ambiente. São Paulo: Editora Contexto, 2007.

VITTE,?Antonio?Carlos; GUERRA,?Antonio?José Teixeira.?Reflexões sobre a Geografia Física no Brasil.?2. ed. Rio de Janeiro: Editora Bertrand Brasil, 2007.?


Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Geographia Opportuno Tempore
UEL - Londrina
EISSN: 2358-1972
E-mail: revista.opportuno.tempore@gmail.com
REDIB