O uso da carbonização como alternativa de tratamento e destinação de resíduos sólidos

Laercio Voloch, Luiza Regina Peralta

Resumo


O aumento dos resíduos sólidos, nas últimas décadas, tem convergido as atenções de vários setores e profissionais para as consequências da degradação ambiental. No espaço urbano brasileiro, a opção é o depósito do lixo em aterros que, em sua maioria, apresentam irregularidades, poluindo e comprometendo o ambiente. A Lei Federal 12.305/2010 que instituiu a Política Nacional de Resíduos Sólidos abriu possibilidades para novas formas de gerenciamento e destinação de resíduos sólidos, mobilizando iniciativas que apontam para transformações sociais, econômicas e ambientais. Nesse novo formato, o processo de carbonização apresenta potencial para a destinação de resíduos, assim como perspectivas de crescimento do setor de aproveitamento energético a partir do lixo. Em vista desse contexto, o presente trabalho tem como objetivo analisar o sistema de carbonização como alternativa para destinação de resíduos sólidos urbanos, com foco na tecnologia nacional utilizada pelo Núcleo Tecno-Ambiental Railton Faz. A pesquisa fundamentou-se em investigações bibliográficas sobre o tema e em entrevistas com pesquisadores envolvidos.

Palavras-chave


Resíduos sólidos; Carbonização; Aproveitamento energético

Texto completo:

PDF

Referências


ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DAS EMPRESAS DISTRIBUIDORAS DE GÁS CANALIZADO - ABEGAS. O resto que vira megawatt. Disponível em: Acesso em: 15 abr. 2014.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE EMPRESAS DE LIMPEZA PÚBLICA E RESÍDUOS ESPECIAIS. Panorama dos Resíduos Sólidos no Brasil 2012. Disponível em: . Acesso em: 02 jul. 2014.

BRASIL. Decreto nº 7404, de 23 de dezembro de 2010. Regulamenta a Lei no 12.305, de 2 de agosto de 2010, que institui a Política Nacional de Resíduos Sólidos, cria o Comitê Interministerial da Política Nacional de Resíduos Sólidos e o Comitê Orientador para a Implantação dos Sistemas de Logística Reversa, e dá outras providências. Disponível em: . Acesso em: 07 jul. 2014.

BRASIL. Lei nº 12.305, de 02 de agosto de 2010. Institui a Política Nacional de Resíduos Sólidos. Disponível em: . Acesso em: 03 jul. 2014.

ECO4BUSINESS. Centrale mobile su rimorchio per la produzione di energia derivata da trattamento di rifiuti e biomassa. Disponível em: Acesso em: 23 jun. 2014.

EMPRESA DE PESQUISA ENERGÉTICA. Avaliação preliminar do aproveitamento energético dos resíduos sólidos urbanos de Campo Grande, MS. Ministério de Minas e Energia, 2008. Disponível em: Acesso em: 23 jun. 2014.

FUSCALDO, Wladimir C. Resíduos sólidos: práticas e conceitos: um estudo a partir da experiência de Londrina – PR. 2001. Dissertação (Mestrado em Geografia) – Universidade de São Paulo, São Paulo.

IBGE. Cidades. Disponível em: . Acesso em: 28 jun. 2014.

IPEA. Comunicado do Ipea – 2012 – Abril - nº 145. Plano Nacional de Resíduos Sólidos: diagnóstico dos resíduos urbanos, agrosilvopastoris e a questão dos catadores. Disponível em: . Acesso em: 28 jun. 2014.

LIMA, Jose Railton de S. Entrevista concedida por e-mail. Lagarto, 05 jul. 2012.

TJMC EMPREENDIMENTOS. Projeto Natureza Limpa. Disponível em: . Acesso em: 08 maio 2012.

WALDMAN, Maurício. Lixo: cenários e desafios: abordagens básicas para entender os resíduos sólidos. São Paulo: Cortez, 2010.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Geographia Opportuno Tempore
UEL - Londrina
EISSN: 2358-1972
E-mail: revista.opportuno.tempore@gmail.com
REDIB