v. 38 (2020)

Experimentalismos na literatura moderna: experimentos e experiências

As discussões sobre experimentalismos resultaram em tipologias nas artes, nas quais sobressaía ora o valor do novo em comparação ao antigo, ora em tipologias no sentido contrário, quando a arte experimental foi diversas vezes taxada como aristocrática. Diferentemente, convém pensar o próprio lugar do experimento/experiência, do erro/tentativa na literatura por outras vias. Agamben, nesse sentido, diante do impasse entre uma experiência pré-moderna e os experimentos (pós)modernos, abre novos pontos de fuga ao questionar sobre uma infância, um experimentum linguae que, por sua vez, apenas se dá na autorreferencialidade da linguagem, portanto em uma outra maneira de articular a questão dos seus limites, que aponta para o seu vazio. A discussão clássica de simulacro enquanto deriva desregrada do mimético, e repensada por Deleuze ou Baudrillard, não deixa de levantar questões para se repensar os experimentalismos da modernidade.

Edição completa

Ver ou baixar a edição completa PDF

Sumário

Expediente e Apresentação

Comissão Editorial
PDF
2
Comissão Editorial
PDF
5
Leonardo D'Avila, Claudia Camardella Rio Doce
PDF
6-8

Artigos

Samantha Lima de Almeida, Brenda Carlos de Andrade
PDF
9-18
Raul Antelo
PDF
19-40
Daniel Castello Branco Ciarlini
PDF
41-55
Leonardo D'Avila
PDF
56-68
Cláudia Rio Doce
PDF
69-77
Ana Clara Magalhães de Medeiros, Augusto Rodrigues da Silva Junior
PDF
78-89
Paulo Alberto da Silva Sales
PDF
90-103
Luciana Sacramento Moreno
PDF
104-115