Uma análise sobre as ilustrações e a temática da morte em Harvey: como me tornei invisível

Daniela Maria Segabinazi, Jaine Sousa Barbosa

Resumo


A morte está presente nos textos literários destinados ao público infantil, e, embora a temática ainda seja considerada tabu para muitos, o número de obras que a utilizam como eixo central da narrativa vem crescendo ao longo dos anos, bem como cresce o número de obras ilustradas, sendo muitas delas compostas apenas por imagens. Nas páginas dos livros, a morte assume várias facetas, e na literatura para crianças isso não é diferente. Nessa relação entre texto e imagem que esse trabalho surgiu. Assim, analisamos como as ilustrações contribuem para a construção da representação da morte na obra Harvey, como me tornei invisível, de Hervé Bouchard e Janice Nadeau (2012), enfatizando não apenas a própria representação da morte criada a partir da narrativa, mas, especialmente, como as imagens atuam tanto na construção dos significados dos textos quantos nos desdobramentos de seus sentidos. Como aporte teórico, visitamos obras de autores consagrados tanto no âmbito da literatura infantil, quanto da temática da morte e da ilustração. Desses nomes, listamos Oliveira (2008), Abramovich (2008), Ramos e Nunes (2013), Paiva (2011), Lotterman (2009) e Aguiar (2010).

Palavras-chave


Morte; Ilustração; Literatura infantil

Texto completo:

PDF

Referências


ABRAMOVICH, Fanny. Literatura Infantil: gostosuras e bobices. São Paulo: Scipione, 2008

AGUIAR, Vera Teixeira de. A morte na literatura: da tradição ao mundo infantil. Vera Teixeira de Aguiar; João Luís Ceccantini; Alice Áurea Penteado Martha, orgs. Heróis contra a parede: estudos de literatura infantil e juvenil. São Paulo: Cultura Acadêmica, 2010. 23-42.

ARIÈS, P. Sobre a história da morte no Ocidente desde a Idade Média. Trad. Priscila Viana Siqueira. 2ª. ed. Lisboa: Teorema, 2012.

BOUCHARD, Hervé; Janice Nadeau. Harvey: como me tornei invisível. São Paulo: Pulo do Gato, 2012.

COELHO, Nelly Novaes. Panorama histórico da literatura infantil e juvenil. São Paulo: Quíron, 1984.

DARNTON, R. O grande massacre de gatos, e outros episódios da história cultural francesa. Rio de Janeiro: Graal, 1986.

FITTIPALDI, Ciça. O que é uma imagem narrativa? Ieda Oliveira. O que é qualidade em ilustração no livro infantil e juvenil: com a palavra o ilustrador. São Paulo: DCL, 2008. 123-139.

HUNT, Peter. Crítica, teoria e literatura infantil. Trad. Cid Knipel. São Paulo: Cosac Naify, 2010.

LOTTERMANN, Clarice. Representações da morte na literatura infantil e juvenil brasileira. Anais do SILEL - Simpósio Nacional e Internacional de Letras e Linguística. v. 1. 17 a 19 de nov. de 2009. Uberlândia: EDUFU, 2009. http://www.ileel.ufu.br/anaisdosilel/pt/arquivos/gt_lt07_artigo_5.pdf.

PAIVA, Lucélia Elizabeth. A arte de falar da morte para crianças: a literatura infantil como recurso para abordar a morte com crianças e educadores. Aparecida: Ideias & Letras, 2011.

RAMOS, Flavia Brocchetto; Marília Forgearini Nunes. Efeitos da ilustração do livro de literatura infantil no processo de leitura. Educar em Revista, Curitiba, n. 48, p. 251-263, 2013. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/er/n48/n48a15.pdf.

RIBEIRO, Marcelo. A relação entre o texto e a imagem. Ieda Oliveira. O que é qualidade em ilustração no livro infantil e juvenil: com a palavra o ilustrador. São Paulo: DCL, 2008. 123-139.

RODRIGUES, José Carlos. Tabu da morte. Rio de Janeiro: Achiamé, 1983.

TRAÇA, Maria Emília. O Fio da Memória – do conto popular ao conto para crianças. 2ª. ed. Porto: Porto, 1998.




DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1678-2054.2020v39p115

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Publicação do Programa de Pós-graduação em Letras da Universidade Estadual de Londrina.  


ISSN: 1678-2054

QUALIS - CAPES 2013-2016: Letras/Linguística: B1 ; Educação: B2

Os artigos têm Identificador de Objeto Digital (DOI). 
 
Índice de Citações dos artigosGoogle Acadêmico

a) índice h1 - (>2016) - 11
b) índice i10 - (>2016) - 14

MIAR - ICDS (2021) - 6.3

Fale conosco